‘Já demos uma trava na Petrobras’, diz Onyx Lorenzoni a caminhoneiro em áudio


Chefe da Casa Civil comentou em gravação enviada por aplicativo de mensagem ações do governo federal para atender demandas da categoria. Petrobras ainda não se manifestou. O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou em mensagem de áudio enviada a caminhoneiro que qualquer modificação de preço nos combustíveis teria que ocorrer com prazo mínimo entre 15 e 30 dias
Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
Em uma mensagem de áudio enviada a um caminhoneiro, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, comentou medidas articuladas pelo Palácio do Planalto para atender demandas da categoria que paralisou o país em maio do ano passado e afirmou ao interlocutor que o governo havia dado uma “trava” na Petrobras para evitar reajustes de combustíveis com frequência inferior a 15 dias.
O áudio viralizou em grupos de conversas de caminhoneiros em aplicativos de mensagens. Não é possível identificar a data em que a mensagem foi enviada, mas, em entrevista ao jornal “Folha de S.Paulo”, o caminhoneiro Marconi França disse que era o interlocutor do áudio enviado pelo chefe da Casa Civil e informou que a mensagem foi trocada em 27 de março. “Já demos uma trava na Petrobras. Qualquer modificação de preço, no mínimo entre 15 e 30 dias, não pode ter menos que isso”, declarou Onyx ao caminhoneiro no áudio (ouça o áudio no site da Rádio CBN).
O G1 procurou a assessoria da Petrobras, mas até a última atualização desta reportagem ainda não havia obtido resposta sobre o conteúdo do áudio enviado pelo chefe da Casa Civil ao caminhoneiro.
Em 26 de março, véspera da data em que o ministro enviou a mensagem ao caminhoneiro, a Petrobras informou, em um comunicado ao mercado, que a diretoria da petroleira havia aprovado mudanças na periodicidade de reajuste nos preços do diesel vendido para as refinarias. Na ocasião, os preços passaram a ser reajustados, no mínimo, a cada 15 dias. 
Desde que se encerrou o governo Michel Temer, a petroleira voltou a reajustar os combustívels em intervalos sem frequência mínima, de acordo com as oscilações do barril de petróleo no mercado internacional e também da cotação do dólar. A mudança ocorreu com o fim do programa de subsídios lançado pelo governo após a greve dos caminhoneiros. No áudio, Onyx Lorenzoni também afirma ao interlocutor que o presidente Jair Bolsonaro estava trabalhando para melhorar as condições dos caminhoneiros e, no dia seguinte ao diálogo, estava programando uma manifestação de apoio à categoria em uma transmissão ao vivo em uma rede social. “O presidente entrou nisso [reivindicações dos caminhoneiros], tu vai ver que já muitas coisas vão começar a acontecer já nesta semana. O presidente amanhã deve se manifestar pelas redes sociais em direção à categoria dos caminhoneiros, particularmente aos autônomos”, ressaltou na ocasião o chefe da Casa Civil.
Em conversa com internautas no dia 28 de março, Jair Bolsonaro sinalizou com novas concessões aos caminhoneiros. Na oportunidade, o presidente deu detalhes sobre o cartão caminhoneiro, que permitirá a compra antecipada de até 500 litros de combustível para ser usado durante o trajeto.
Intervenção na Petrobras
Bolsonaro manda suspender aumento do preço do diesel
A troca de mensagens entre Onyx Lorenzoni e o caminhoneiro Marconi França ocorreu mais de duas semanas antes de Bolsonaro intervir para barrar um reajuste de 5,74% que havia sido anunciado pela estatal do petróleo no preço do diesel.
A intervenção do presidente da República na política de preços de combustíveis da petroleira teve forte impacto na bolsa de valores. Por conta do episódio, a Petrobras perdeu R$ 32,4 bilhões em valor de mercado.
Recuo no preço do diesel coloca em dúvida agenda liberal do governo, dizem analistas; ENTENDA
Diante da repercussão negativa da intervenção na Petrobras, Bolsonaro foi convencido por auxiliares e aliados a autorizar a retomada da política de reajuste dos combustíveis de acordo com as oscilações do petróleo e do dólar. Na última quarta-feira (17), o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, anunciou uma alta de R$ 0,10 por litro do óleo diesel. Petrobras anuncia alta de R$ 0,10 por litro no diesel
Com o reajuste, o litro do diesel passou a custar R$ 2,2470 nas distribuidoras. O anúncio se deu seis dias após a estatal voltar atrás no último aumento, por determinação do presidente da República.
Em contrapartida à liberação dos reajustes, o governo Bolsonaro anunciou nesta semana uma série de medidas para acalmar os caminhoneiros e tentar afastar a possibilidade de uma nova greve da categoria. Após negociações do Planalto com caminhoneiros, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) abriu uma linha de crédito a caminhoneiros autônomos de R$ 30 mil para manutenção dos caminhões. O governo também anunciou investimento de R$ 2 bilhões em rodovias. Governo anuncia medidas em favor dos caminhoneiros

Gunmen attack Afghan communications ministry in Kabul

Gunmen attacked the communications ministry in the center of Kabul on Saturday, interrupting months of relative calm in the Afghan capital and underlining security threats that have continued despite efforts to open peace talks with the Taliban.div class=”feedflare”
a href=”http://feeds.reuters.com/~ff/Reuters/worldNews?a=ckGPypx8rw4:wnZzAnnmlv0:yIl2AUoC8zA”img src=”http://feeds.feedburner.com/~ff/Reuters/worldNews?d=yIl2AUoC8zA” border=”0″/img/a a href=”http://feeds.reuters.com/~ff/Reuters/worldNews?a=ckGPypx8rw4:wnZzAnnmlv0:F7zBnMyn0Lo”img src=”http://feeds.feedburner.com/~ff/Reuters/worldNews?i=ckGPypx8rw4:wnZzAnnmlv0:F7zBnMyn0Lo” border=”0″/img/a a href=”http://feeds.reuters.com/~ff/Reuters/worldNews?a=ckGPypx8rw4:wnZzAnnmlv0:V_sGLiPBpWU”img src=”http://feeds.feedburner.com/~ff/Reuters/worldNews?i=ckGPypx8rw4:wnZzAnnmlv0:V_sGLiPBpWU” border=”0″/img/a
/divimg src=”http://feeds.feedburner.com/~r/Reuters/worldNews/~4/ckGPypx8rw4″ height=”1″ width=”1″ alt=””/

Sudan investigating Bashir after large sums of cash found at home: source

Sudan’s public prosecutor has begun investigating ousted President Omar al-Bashir on charges of money laundering and possession of large sums of foreign currency without legal grounds, a judicial source said on Saturday.div class=”feedflare”
a href=”http://feeds.reuters.com/~ff/Reuters/worldNews?a=L50yCyxDnvY:XVujclKkY9Y:yIl2AUoC8zA”img src=”http://feeds.feedburner.com/~ff/Reuters/worldNews?d=yIl2AUoC8zA” border=”0″/img/a a href=”http://feeds.reuters.com/~ff/Reuters/worldNews?a=L50yCyxDnvY:XVujclKkY9Y:F7zBnMyn0Lo”img src=”http://feeds.feedburner.com/~ff/Reuters/worldNews?i=L50yCyxDnvY:XVujclKkY9Y:F7zBnMyn0Lo” border=”0″/img/a a href=”http://feeds.reuters.com/~ff/Reuters/worldNews?a=L50yCyxDnvY:XVujclKkY9Y:V_sGLiPBpWU”img src=”http://feeds.feedburner.com/~ff/Reuters/worldNews?i=L50yCyxDnvY:XVujclKkY9Y:V_sGLiPBpWU” border=”0″/img/a
/divimg src=”http://feeds.feedburner.com/~r/Reuters/worldNews/~4/L50yCyxDnvY” height=”1″ width=”1″ alt=””/

Hackathon 2019: começa a quinta edição do desafio de tecnologia da Globo


Maratona de desenvolvimento da empresa acontece durante 35h e vai até domingo. Quem vencer ganha uma viagem para o Vale do Silício. Começou nesta sábado (20) a edição 2019 do Hackathon Globo, uma maratona de desenvolvimento e tecnologia que reúne 52 participantes selecionados, na casa do “Big Brother Brasil”.
AO VIVO: acompanhe a cobertura em tempo real do hackathon da Globo
Participantes do Hackathon 2019
Thiago Lavado/G1
Os “hackathoners” foram recebidos nesta manhã na casa e tiveram as primeiras orientações para formação dos grupos. Eles foram selecionados em meio a mais de 2,8 mil inscritos, um recorde para o evento. Os 13 times de 4 pessoas devem reunir conhecimentos de desenvolvimento, design, negócios ou marketing e trabalhar em um projeto de tecnologia pelas próximas 35 horas. A equipe vencedora ganha uma viagem para o Vale do Silício, em São Francisco na Califórnia.

Thai navy boards cabin of fugitive ‘seasteaders’ facing death penalty

The Thai navy on Saturday boarded the floating cabin of a fugitive U.S. citizen and his Thai girlfriend, both prominent members of the “seasteading” movement who possibly face the death sentence for setting up their offshore home.div class=”feedflare”
a href=”http://feeds.reuters.com/~ff/Reuters/worldNews?a=NCZPZlJ9zOs:DXOxPDv5alI:yIl2AUoC8zA”img src=”http://feeds.feedburner.com/~ff/Reuters/worldNews?d=yIl2AUoC8zA” border=”0″/img/a a href=”http://feeds.reuters.com/~ff/Reuters/worldNews?a=NCZPZlJ9zOs:DXOxPDv5alI:F7zBnMyn0Lo”img src=”http://feeds.feedburner.com/~ff/Reuters/worldNews?i=NCZPZlJ9zOs:DXOxPDv5alI:F7zBnMyn0Lo” border=”0″/img/a a href=”http://feeds.reuters.com/~ff/Reuters/worldNews?a=NCZPZlJ9zOs:DXOxPDv5alI:V_sGLiPBpWU”img src=”http://feeds.feedburner.com/~ff/Reuters/worldNews?i=NCZPZlJ9zOs:DXOxPDv5alI:V_sGLiPBpWU” border=”0″/img/a
/divimg src=”http://feeds.feedburner.com/~r/Reuters/worldNews/~4/NCZPZlJ9zOs” height=”1″ width=”1″ alt=””/

Região de Campinas concentra US$ 2,1 bilhões em investimentos e indústria é líder em SP, aponta Seade


O montante da Região Administrativa de Campinas equivale a 14,1% do aporte total estadual, que soma US$ 15,2 bilhões. Investimentos apontam confiança de empresas na região, mas valor é o 2º mais baixo em 7 anos. Indústrias da Região Administrativa de Campinas são destaque no cenário estadual, aponta pesquisa da Fundação Seade.
Reprodução/EPTV
A Região Administrativa (RA) de Campinas (SP) foi destaque no estado de São Paulo em investimentos anunciados confirmados no ano de 2018. O montante de US$ 2,1 bilhões equivale a 14,1% do aporte total estadual, US$ 15,2 bilhões. A RA de Campinas foi a que mais teve participação na indústria em SP, 38,4%. O levantamento faz parte da Pesquisa de Investimentos Anunciados no Estado de São Paulo (Piesp), realizada pela Fundação Seade. “A região de Campinas lidera os investimentos na indústria, e a maior parte é de empresas multinacionais, que usam o estado de São Paulo como plataforma da América do Sul”, afirma Margarida Kalemkarian, coordenadora do estudo e economista da Seade.
O valor representa a confiança de investidores – privados, na maioria, e alguns públicos. Margarida explica que, quando as empresas privadas investem, é porque elas estão visualizando possibilidade de avanço e novas atividades que surgem. Desta forma, acabam impulsionando toda a atividade econômica. “Vão sinalizando que a atividade econômica está avançando. Na medida em que existe uma segurança por parte das empresas para investir, esse clima de negócios acaba sendo positivo”, diz.
No entanto, o aporte computado em 2018 é um dos menores dos últimos anos na região. No período de 2012 a 2018, a RA de Campinas contabilizou um total de US$ 24,8 bilhões, com altos e baixos. A quantia do ano passado é 14,65% menor do que a de 2017, que somou US$ 2,5 bilhões. Só em 2016, que registrou US$ 1,3 bilhão por conta da recessão na economia, o valor foi menor do que em 2018. Veja no gráfico, abaixo. “No ano passado, a gente teve uma série de problemas que acabaram influenciando negativamente a atividade econômica, mas, mesmo assim, a gente teve um resultado bastante razoável. Teve a greve dos caminhoneiros, eleições, problemas no cenário internacional, as exportações para a Argentina foram reduzidas, uma série de fatores”, explica a economista.
O ano de 2012 foi o primeiro da série de estudos da Fundação com dados mais completos sobre os investimentos de cada região. Este também foi o ano com maior valor anunciado por investidores, US$ 9,4 bilhões . “Aquele ano foi dos melhores anos para São Paulo e para o país. Tinha um grande crescimento de infraestrutura; o aeroporto de Viracopos; Paulínia, que puxou bastante investimento da Petrobras para criar novos tipos de combustíveis”, lembra Margarida.
Influência do dólar x situação em real
A economista ressalta que a variação no dólar no ano passado influenciou diretamente no resultado do estado, mas o cenário muda quando se converte os valores em real (R$).
A diferença entre os investimentos de 2018 e 2017 na RA de Campinas foi equivalente a 14,65% em dólares e a 2,1% em reais. Considerando só o setor da indústria, houve redução de 4,1% nos valores em dólares, mas alta de 11,5% em reais, representando um avanço, segundo a economista. “A diferença se dá por conta do câmbio. O dólar subiu muito no ano passado. Em setembro, atingiu o nível mais alto de toda a série. Quando a gente faz a conversão de reais para dólares, isso acaba alterando um pouco o cenário. A gente tem que considerar que também houve a questão da desvalorização do real no ano passado, mas muitas empresas estrangeiras aplicaram recursos aqui”, explica Margarida.
Onde estão os investimentos de 2018
O aporte de 2018 teve influências de peso na região, segundo a coordenadora do estudo. Os investimentos da Toyota em Indaiatuba (SP), com um modelo de veículo mais sustentável; atividade de informática e eletrônicos; o anúncio da Qualcomm, que vai fabricar em Jaguariúna (SP) um chip compactado que não existe na América Latina; e, ainda, uma produtora de chip em Atibaia (SP) que vai lançar novos produtos de transformação digital.
Veja o ranking dos destaques por setor:
Indústria – US$ 1,03 bilhão, com destaque para equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos; e veículos automotores, reboques e carrocerias.
Serviços – US$ 868,6 milhões, destaque para atividades de prestação de serviços de informação e do ramo imobiliário.
Infraestrutura – US$ 214,3 milhões, sendo que eletricidade e gás tem maioria dos investimentos, seguido por armazenamento e atividades auxiliares dos transportes.
Comércio – US$ 21,4 milhões, com destaque para comércio por atacado, exceto veículos automotores e motocicletas.
Outros – US$ 3 milhões, investidos em agricultura, pecuária e serviços relacionados.
No estado de SP
Dados da Piesp mostram que foram contabilizados 483 investimentos em 2018 no estado. A Região Administrativa de Campinas fica atrás somente Região Metropolitana de São Paulo, que concentra 57% do total de aporte, US$ 8,7 bilhões. Do total de recursos anunciados e confirmados para o estado, a divisão contempla infraestrutura, serviços, indústria e comércio.
Infraestrutura: US$ 8,7 bilhões (57,3%)
Serviços: US$ 3,3 bilhões (21,4%)
Indústria: US$ 2,7 bilhões (17,7%)
Comércio: US$ 540,1 milhões (3,6%)
A coordenadora do estudo ressalta que a participação da RA de Campinas no estado aumentou em um ano, passou de 13,4 % e passou a 14,1%.
A RA representa 10,9% do estado, é composta por 90 cidades. Se destaca pelo Aeroporto Internacional de Viracopos, malhas rodoviárias e ferroviárias. Além da metrópole, possui municípios com mais de 200 mil habitantes, como Piracicaba (SP), Sumaré (SP), Limeira (SP) e Jundiaí (SP).
No site da pesquisa da Seade é possível conferir cada um dos investimentos divulgados na região.
Maior obra científica do Brasil, Sirius fica no CNPEM, em Campinas (SP)
Cesar Cocco
Projeções para 2019
Margarida afirma que a expectativa para 2019 é rodeada de muita cautela na avaliação econômica de investimentos. A aposta é de incentivos em:
Eletricidade e energia
Construção civil
Indústria automotiva
Eletrônicos e informática
Telecomunicações
Operação de satélite
Indústria agrícola “Há uma quantidade enorme de institutos de pesquisas, grandes empresas que fazem parcerias com esses institutos para tentar compartilhar o conhecimento. O acelerador de partículas, o Sirius, vai atrás um monte de interessados. Ele permite você identificar a estrutura dos materiais. É um negócio de última geração mesmo”, pontua a economista.
Veja mais notícias da região no G1 Campinas