Como China e Índia têm ajudado Rússia a driblar sanções comprando petróleo barato

1 de 2
Putin e Xi Jinping se reuniram em Pequim semanas antes do início da invasão russa à Ucrânia — Foto: Alexei Druzhinin/TASS via Getty Images/BBC

Putin e Xi Jinping se reuniram em Pequim semanas antes do início da invasão russa à Ucrânia — Foto: Alexei Druzhinin/TASS via Getty Images/BBC

A Rússia encontrou na Ásia novos clientes para sua poderosa indústria de petróleo e gás. E, graças a eles, tem sido capaz de mitigar os efeitos das fortes sanções econômicas impostas aos produtos russos pela Europa Ocidental e pelos Estados Unidos.

Após invadir a Ucrânia, a Rússia ultrapassou a Arábia Saudita e se tornou o principal fornecedor de petróleo para a China.

A Rússia teria oferecido descontos à China em seus preços de petróleo e gás, o que abriu à Rússia um enorme mercado até então não explorado e capaz de compensar, ao menos em parte, as perdas pelo bloqueio nas vendas após as sanções econômicas.

A Rússia também se voltou para a Índia: antes da invasão da Ucrânia, apenas 1% das suas exportações de petróleo eram destinadas ao país. Em maio de 2022, elas correspondiam a 18%.

China, Rússia e Índia compõem, junto com Brasil e África do Sul, o bloco geopolítico dos Brics. E, apesar de décadas de desavenças, a aproximação recente entre Rússia, China e Índia traz não apenas ganhos financeiros para todos, mas também reforçam suas posições internacionais na disputa com o bloco antagônico, liderado pelos Estados Unidos.

Em 19 de junho, em discurso virtual durante a abertura do fórum de negócios dos Brics, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, deixou claro que enviar seus produtos para os demais membros dos Brics, especialmente Índia e China, é a estratégia da Rússia para driblar as sanções.

Enquanto vende derivados de petróleo a chineses e indianos, Putin citou a possibilidade de aumentar a presença de carros da China no país e a abertura de lojas de uma rede indiana de supermercados.

“As entregas de petróleo russo para China e Índia estão aumentando. E a cooperação agrícola tem se desenvolvido dinamicamente”, disse Putin, o principal responsável pelas remessas de fertilizantes para os países dos Brics.

Segundo Putin, junto com os demais membros do bloco, os russos têm avançado para diminuir sua dependência financeira de dólar e euro nas transações internacionais.

Fora a Rússia, três dos quatro membros dos Brics se abstiveram de apoiar a condenação da invasão à Ucrânia proposta na Organização das Nações Unidas (ONU).

A exceção foi o Brasil, que apoiou a medida sugerida pelos americanos. O governo brasileiro, no entanto, deixou claro que era contrário às sanções impostas por Estados Unidos e Europa Ocidental à economia russa.

2 de 2
Plataforma de exploração de petróleo da Rússia — Foto: Reuters

Plataforma de exploração de petróleo da Rússia — Foto: Reuters

Os ganhos são evidentes para Putin. Houve uma queda significativa nas receitas das exportações de petróleo e gás, mas os lucros do setor de energia ainda são suficientes para financiar, entre outras coisas, a guerra na Ucrânia.

Petróleo em promoção

De acordo com dados da Administração Geral de Alfândegas da China, as importações de petróleo russo — incluindo suprimentos vindos do oleoduto da Sibéria Oriental-Oceano Pacífico — atingiram 8,42 milhões de toneladas no mês passado.

Isso representou um aumento de 55% em relação a 2021, atingindo níveis recordes no mês de maio.

Empresas estatais chinesas, como Sinopec e Zhenhua Oil, reforçaram sua demanda por petróleo nos últimos meses.

As empresas receberam grandes descontos da Rússia, pois os compradores na Europa e nos Estados Unidos começaram a evitar o petróleo e o gás russos após a invasão.

Isso deixou a Arábia Saudita em segundo lugar entre os países que fornecem petróleo à China, com 7,82 milhões de toneladas.

Mas a Rússia não é o único país sob sanções do qual a China está comprando petróleo: o país adquiriu 260 mil toneladas de petróleo do Irã no mês passado, a terceira compra desse tipo desde dezembro.

Brechas nas leis

De acordo com um relatório do Centro de Pesquisa em Energia e Ar Limpo (Crea, na sigla em inglês), a Rússia teve um declínio contínuo em suas vendas de derivados do petróleo desde o início das sanções.

O relatório alerta, porém, que a Rússia encontrou brechas nas leis para seguir exportando.

Uma delas seria exportar petróleo cru para países como a Índia, onde esse produto é refinado e depois enviado para países europeus.

“O relatório observa que cada vez mais petróleo russo está sendo exportado para a Índia para refino e que muito desse petróleo refinado chega aos mercados europeus”, disse Theo Legget, repórter da BBC especialista em negócios.

“E enquanto a Rússia procura novos mercados para seus produtos, o petróleo russo passa de oleodutos para navios, a maioria deles pertencentes a empresas europeias. Para que a pressão sobre a Rússia seja efetiva, questões como essas devem ser abordadas.”

O dilema da Europa

A União Europeia (grupo de 27 países da Europa) continua sendo o principal comprador de gás e petróleo da Rússia.

Estima-se que US$ 59 bilhões dos US$ 97 bilhões (ou R$ 307 bilhões dos R$ 505 bilhões) que a Rússia recebeu em exportações de energia durante os primeiros 100 dias da guerra na Ucrânia vieram do bloco.

Ao menos por ora, tem se mostrado impossível para a União Europeia chegar a um acordo para proibir completamente a compra de petróleo e gás da Rússia. Mas alguns planos têm avançado.

O bloco planeja impor uma proibição às importações de petróleo russo que chegam por mar antes do final do ano, o que reduziria o montante importado em mais de 60%.

Além disso, em março, a comunidade europeia se comprometeu a reduzir as importações de gás russo em pelo menos dois terços em um período de um ano.

Por sua vez, os Estados Unidos decretaram a proibição total das compras de petróleo, gás e carvão da Rússia, e espera-se que o Reino Unido faça o mesmo antes do final de 2022.

O que pode acontecer?

“Com os preços dos combustíveis disparando”, diz Dharshini David, correspondente global de negócios da BBC, “não são apenas os motoristas que fazem fila quando veem um desconto.”

David explica que Índia e China têm conseguido tirar proveito da situação atual na Rússia, mas alerta que, com a entrada em vigor das sanções europeias e a transição para outros fornecedores, o bom momento de exportação russa pode durar pouco.

“As receitas petrolíferas da Rússia já começaram a cair, e isso se intensificará à medida que outras nações busquem fontes alternativas de energia.”

Funcionário recebe R$ 1,6 milhão por engano, pede demissão e foge com dinheiro da empresa

Um funcionário de uma empresa chilena produtora de frios recebeu uma transferência de 281 milhões de pesos chilenos (cerca de 1,6 milhão), pediu demissão e fugiu com o dinheiro, segundo reportagem do jornal argentino Clarin. A empresa tenta agora reaver o dinheiro na Justiça alegando “apropriação indevida”.

Segundo o jornal, o dinheiro caiu na conta do profissional devido a um erro da área de recursos humanos da empresa, e o homem só descobriu a quantia milionária quando recebeu seu salário de maio.

Sua primeira reação foi esconder que tinha recebido o dinheiro, mas quando a empresa percebeu o erro, informou que ele tinha que devolver o recurso. No entanto, no dia combinado, ele não foi à agência bancária entregar o dinheiro que já tinha sacado.

“Ligaram para ele centenas de vezes, até que ele atendeu e comentou que tinha adormecido. Eles continuaram esperando, mas o dia passou sem nenhuma resposta”, informa a reportagem.

O funcionário ficou vários dias sem dar notícias, até que um advogado apareceu na empresa para relatar que seu cliente não estava convencido a devolver o dinheiro porque o erro era da própria empresa.

A empresa então entrou com uma ação judicial, e ele foi denunciado por “apropriação indevida”. Diante do tribunal, alegou que mesmo tendo sido um erro, isso não dava o direito de o homem ficar com o dinheiro e insistiu que ele é obrigado a devolvê-lo ao “legítimo proprietário”.

Carne de porco foi a única que teve queda de preço nos últimos 12 meses

Mais barata, carne de porco é a estrela do mercado

Mais barata, carne de porco é a estrela do mercado

Alguns alimentos tiveram que sair do cardápio dos brasileiros por causa da inflação. Mas a carne de porco acabou ganhando destaque por causa do preço atrativo. A carne suína foi a única que ficou mais barata nos últimos 12 meses, de acordo com reportagem da GloboNews, levando em conta as carnes mais consumidas no Brasil.

Segundo dados do IPCA (a inflação oficial do país), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o preço da carne de porco teve queda de 5,52%, enquanto a de boi subiu 7,35%, e a de frango, 20,26%.

Em um ano, o consumo médio por pessoa passou de 16,9 quilos para mais de 18 quilos, um recorde.

O quilo do pernil suíno, por exemplo, chega a ser 30% mais barato que o do filé de frango, com pele e osso.

De acordo com Edmar Gervásio, técnico do Departamento de Economia Rural, as exportações da carne de porco não se concretizaram, e a proteína acabou ficando no mercado doméstico, o que acabou baixando os preços.

Com tanta carne de porco sobrando no mercado interno, os produtores não conseguiram repassar ao consumidor a alta de custos, relacionada ao milho e ao farelo de soja, segundo Iuri Machado, consultor de mercado da Associação Brasileira de Criadores Suínos.

Mineradores de bitcoin têm quase US$ 4 bilhões em empréstimos sob risco de default

1 de 1
Bitcoin — Foto: Divulgação

Bitcoin — Foto: Divulgação

A queda prolongada do bitcoin está trazendo dificuldade para alguns mineradores pagarem até US$ 4 bilhões em empréstimos garantidos por seus equipamentos, representando um risco potencial para os principais credores de criptomoedas.

Um número crescente de empréstimos agora está sob risco, de acordo com analistas, já que muitos dos ativos dados como garantia por essas plataformas de mineração caíram pela metade, juntamente com o preço do maior token digital do mundo.

Poucos mineradores deixaram de pagar seus empréstimos até agora, mas vendas recentes de criptomoedas sinalizam sinais de dificuldades.

A Core Scientific Inc. vendeu mais de 2.000 bitcoins em maio para ajudar a cobrir os custos operacionais. Enquanto isso, a Bitfarms Ltd. descarregou quase metade de seus tokens minerados no início deste mês para pagar parte de seu empréstimo de US$ 100 milhões com a Galaxy Digital Holdings Ltd. Ela também fez outro empréstimo garantido por máquina do New York Digital Investment Group LLC.

Se o mercado não melhorar, analistas alertam que pode se materializar um cenário complicado. A venda de reservas de bitcoin pressiona ainda mais os preços e o custo do equipamento pode cair ainda mais se os credores – que procuram recuperar suas perdas com os calotes – começarem a liquidar as máquinas que eles recuperam. O valor da popular plataforma de mineração S19 da Bitmain caiu cerca de 47% em relação a uma máxima de aproximadamente US$ 10 mil em novembro, segundo dados da Luxor Technologies Corp.

“Os mineradores de bitcoin, em geral, estão sentindo dor”, disse Luka Jankovic, chefe de empréstimos da Galaxy Digital. “Muitas operações se tornaram negativas nesses níveis. Os valores das máquinas despencaram e ainda estão no modo de descoberta de preços, o que é agravado por preços de energia voláteis e oferta limitada de espaço em rack”.

A mineração de bitcoin – que usa computadores poderosos para processar registros de transações e ganhar recompensas no token – estava entre os negócios mais lucrativos no período que antecedeu a corrida histórica da criptomoeda. As margens podem chegar a 90%. Mas empréstimos para máquinas atualizados por meio de financiamento tradicional podem ser difíceis de obter ou incluem altas taxas de juros devido à volatilidade do mercado.

Para preencher o vazio, credores de criptomoedas nativas como Galaxy Digital, NYDIG, BlockFi Inc., Celsius Network Ltd., Foundry Networks LLC e Babel Finance começaram a aceitar plataformas como garantia, além de pagamentos em dinheiro. Mas agora esses credores podem estar significativamente subgarantidos, disse Ethan Vera, cofundador da mineradora Luxor Technologies, com sede em Seattle. “Eles estão nervosos com seus livros de empréstimos, especialmente aqueles com altos índices de garantia.”

Vera estima que haja até US$ 4 bilhões em empréstimos garantidos por máquinas, que se somam a ainda mais empréstimos garantidos por tokens, popularizados pela primeira vez na Ásia com credores como a Babel.

O diretor de risco da BlockFi, Yuri Mushkin, disse em um e-mail à Bloomberg que os empréstimos lastreados em mineração são “apenas uma parte de nosso maior portfólio de empréstimos” e seguem as mesmas práticas de risco e subscrição implementadas em seus negócios institucionais.

Foundry se recusou a comentar enquanto NYDIG, Babel e Celsius não responderam a um pedido da Bloomberg.

Sinais de aflição

Muitos mineradores de bitcoin ainda desfrutam de margens de lucro decentes. O custo de produção de uma grande empresa de mineração é de cerca de US$ 8.000 por token, assumindo preços médios de eletricidade e máquinas de mineração relativamente novas, de acordo com Jaran Mellerud, analista de mineração da Arcane Crypto.

“Mas a renda reduzida ainda afeta seus negócios, pois alguns deles têm empréstimos para pagar e garantias para depositar em suas compras de máquinas”, disse Mellerud. “Esses pagamentos podem ser difíceis para eles sem vender uma parte significativa de suas participações em bitcoin.”

Um abalo do setor pode estar próximo, especialmente para operadoras menores e de fluxo de caixa negativo que compraram equipamentos caros meses atrás, pensando que iriam valorizar.

Se considerar os custos indiretos de infraestrutura e taxas de juros, os custos totais para alguns mineradores já podem estar acima de US$ 20 mil, que é o preço atual do bitcoin, disse Wilfred Daye, CEO da Securitize Capital.

“Os mineradores pensaram que estariam em um ambiente de captação de capital melhor hoje”, disse Vera. “Eles compraram dezenas de milhares de máquinas, se inscreveram para host, baixaram os depósitos e agora não podem cumprir” obrigações, disse ele.

Will Foxley, diretor de conteúdo da Compass Mining Inc., disse que o custo para levantar capital aumentou drasticamente com as oportunidades de mercado de dívida e ações secando para as mineradoras.

“O bitcoin sai do precipício, então o valor das máquinas cai ainda mais porque as pessoas realmente não querem usá-lo para mais nada”, disse ele. “Há apenas uma tonelada de pedidos de máquinas que ainda estão pendentes.”

Veja os destaques do Globo Rural deste domingo (26/06/2022)

Veja os destaques do Globo Rural deste domingo (26/06/2022)

Veja os destaques do Globo Rural deste domingo (26/06/2022)

O Globo Rural deste domingo (26) vai mostrar o crescimento do cultivo de azeitonas para a produção de azeites no Brasil e como os agricultores mineiros estão investindo nesse setor.

Tem ainda um pecuarista que criou uma ração que consegue reduzir a emissão de gás metano por bovinos. Além disso tem colheita de girassol e mais.

O programa começa a partir das 8h. Não perca!

VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural

200 vídeos

Vale-gás: parcela de junho do auxílio será paga até quinta; veja calendário

1 de 1
Na divisão por regiões, a Nordeste é a que mais terá beneficiários do Auxílio Gás em junho de 2022. — Foto: Reprodução TV Grande Rio

Na divisão por regiões, a Nordeste é a que mais terá beneficiários do Auxílio Gás em junho de 2022. — Foto: Reprodução TV Grande Rio

O pagamento da parcela referente a junho do Auxílio Gás, que é feito bimestralmente, foi retomado a na última sexta-feira (17) e segue até o dia 30.

Neste ano, os pagamentos são feitos nos meses pares, junto com as parcelas do Auxílio Brasil – que se baseiam no final de número de inscrição social (NIS).

É possível consultar a situação do benefício pelo aplicativo Auxílio Brasil, aplicativo Caixa Tem e Atendimento Caixa, pelo telefone 111. Em caso de dúvidas o beneficiário pode entrar em contato com o Ministério da Cidadania pelo telefone 121.

Confira, abaixo, o calendário de pagamentos para o mês de junho, de acordo com o número final do NIS:

Auxílio Gás

NIS final Data
1 17/junho
2 20/junho
3 21/junho
4 22/junho
5 23/junho
6 24/junho
7 27/junho
8 28/junho
9 29/junho
0 30/junho

O valor pago é de R$ 53. Ele corresponde a 50% da média dos últimos seis meses do preço do botijão de 13 kg de gás liquefeito de petróleo (GLP), porém equivale a menos da metade do valor médio do botijão em 23 estados e no DF, de acordo com levantamento feito pelo g1.

Serão 5,68 milhões de famílias contempladas em junho, totalizando um repasse de R$ 301,2 milhões.

Na divisão por regiões, a Nordeste é a que mais terá beneficiários do Auxílio Gás em junho de 2022. São 2,7 milhões de famílias, a partir de um repasse de R$ 146 milhões. Na sequência aparecem as regiões Sudeste (1,8 milhão de contemplados), Norte (545 mil), Sul (356 mil) e Centro-Oeste (178 mil).

Em abril, o valor do benefício foi de R$ 51. O benefício foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro em novembro do ano passado para ajudar famílias de baixa renda a comprar o botijão de gás de 13 kg.

LEIA TAMBÉM:

Quem tem direito

  • Famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico), com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário mínimo nacional (R$ 606). Clique aqui e veja como se inscrever no CadÚnico;
  • Famílias que tenham entre seus membros residentes no mesmo domicílio quem receba o Benefício de Prestação Continuada da assistência social, o BPC, que prevê um salário mínimo mensal (R$ 1.212) à pessoa com deficiência e ao idoso com 65 anos ou mais que comprovem não possuir meios de prover a própria manutenção nem a família;
  • A lei estabelece que o auxílio será concedido “preferencialmente às famílias com mulheres vítimas de violência doméstica que estejam sob o monitoramento de medidas protetivas de urgência”.

Qual o valor?

Os beneficiários recebem, a cada dois meses, o valor correspondente a pelo menos 50% do preço médio nacional de revenda do botijão de 13 kg.

Para averiguação do valor do benefício, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) publica em seu site mensalmente, até o décimo dia útil do mês, o valor da média dos seis meses anteriores referentes ao preço nacional do botijão de 13kg de GLP.

O programa tem duração de 5 anos. Assim, como o pagamento será a cada dois meses, a previsão é de que sejam pagas 30 parcelas.

Como é feito o pagamento

O pagamento é feito dentro do mesmo cronograma do Auxílio Brasil, levando em conta o último dígito do Número de Identificação Social (NIS).

Os cartões e senhas utilizados para o saque do Auxílio Brasil podem ser utilizados para o recebimento do vale-gás.

O saque pode ser feito nas lotéricas, correspondentes Caixa Aqui e terminais de autoatendimento. O benefício pode ainda ser pago em poupança social digital do Caixa Tem.

A validade da parcela do benefício do Programa Auxílio Gás é de 120 dias, contados da data em que for disponibilizado o benefício na opção de pagamento.

Valor do saque extraordinário do FGTS não foi liberado? Veja o que fazer

1 de 1
A retirada dos valores será possível até o dia 15 de dezembro. — Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A retirada dos valores será possível até o dia 15 de dezembro. — Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

No último dia 15 de junho, a Caixa Econômica Federal liberou o saque extraordinário do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) no valor de até R$ 1.000 para o último lote de trabalhadores – os nascidos em dezembro. Quem nasceu entre janeiro e novembro teve os recursos liberados em datas anteriores.

A retirada dos valores será possível até o dia 15 de dezembro.

Todos os trabalhadores que possuem conta do FGTS com saldo disponível têm direito ao saque. O crédito é realizado de forma automática na conta do Caixa Tem, em nome do trabalhador.

Nos casos em que os valores não tiverem caído automaticamente na conta do trabalhador, é necessário pedir a liberação dos recursos.

De acordo com a Caixa Econômica Federal, o bloqueio dos recursos pode ocorrer devido a alguns fatores. Entre os principais motivos para bloqueio estão:

  • garantia de operações de crédito de antecipação do Saque Aniversário;
  • determinação judicial;
  • pedido de devolução de valor recolhido pelo empregador;
  • e dados inconsistentes.

A Caixa destaca, no entanto, que o saque não será disponibilizado se os valores estiverem bloqueados na conta do fundo de garantia.

LEIA MAIS:

Ao todo, 42 milhões de trabalhadores estão aptos ao saque extraordinário do FGTS, totalizando R$ 30 bilhões. O saldo disponível pode ser consultado por todos os trabalhadores.

Na consulta pelo site do FGTS, é possível saber:

  • se o trabalhador tem direito ao Saque Extraordinário do FGTS;
  • consultar a data de crédito na Conta Poupança Social Digital.

Já pelo aplicativo FGTS e nas agências da Caixa, é possível:

  • consultar o valor a ser creditado;
  • consultar a data de crédito na Conta Poupança Social Digital;
  • informar que não quer receber o crédito do valor;
  • solicitar o retorno do valor creditado para a conta FGTS;
  • alteração cadastral para criação de Conta Poupança Social Digital.
Saiba como serão feitos os saques de FGTS liberados pelo governo

Saiba como serão feitos os saques de FGTS liberados pelo governo

Qualquer pessoa que tiver conta vinculada do FGTS, ativa ou inativa, pode sacar. Leia mais aqui

Se o titular possuir mais de uma conta do FGTS, o saque é feito na seguinte ordem: primeiro, as contas relativas a contratos de trabalho extintos, com início pela conta que tiver o menor saldo; em seguida, as demais contas vinculadas, com início pela conta que tiver o menor saldo.

Não estarão disponíveis para saque os valores que estiverem bloqueados na conta do FGTS, como garantia de operações de crédito de antecipação do saque-aniversário, por exemplo.

A princípio, não seria preciso solicitar a liberação das verbas, pois o dinheiro seria disponibilizado automaticamente na conta do trabalhador no Caixa Tem. Leia mais aqui

Se o beneficiário não tiver uma conta no Caixa Tem, a Caixa Econômica Federal abriria uma conta em nome do trabalhador automaticamente.

No entanto, em caso de dados incompletos que não permitam a abertura da conta digital, o trabalhador tem que pedir a liberação dos recursos.

Todo o processo para pedir o saque será informatizado. O trabalhador não precisará ir à agência da Caixa, bastando entrar no aplicativo FGTS, disponível para smartphones e tablets, e inserindo os dados pedidos.

O aplicativo pode ser baixado pelo celular:

Após o crédito dos valores na conta poupança social digital, já será possível pagar boletos e contas ou utilizar o cartão de débito virtual e QR code para fazer compras em supermercados, padarias, farmácias e outros estabelecimentos, por meio do aplicativo.

O valor também pode ser transferido para outras contas bancárias da Caixa ou de outro banco. É possível ainda realizar transações por meio do Pix, além de efetuar saque nos terminais de autoatendimento da Caixa e nas casas lotéricas.

Sou obrigado a sacar?

Não. O saque é facultativo ao trabalhador. Se ele não tiver interesse, pode indicar que não deseja receber o saque extraordinário do FGTS, para que sua conta do FGTS não seja debitada. Nesse caso, ele deverá acessar o aplicativo FGTS ou se dirigir a uma das agências do banco para informar que não quer receber o crédito.

Após a realização do crédito na Conta Poupança Social Digital, o trabalhador pode, ainda assim, optar por desfazer o crédito automático, por meio dos mesmos canais, até o dia 10 de novembro.

Caso o crédito dos valores tenha sido feito na Poupança Social Digital do trabalhador e essa conta não seja movimentada até 15 de dezembro, os recursos serão retornados à conta do FGTS, devidamente corrigidos.

Comitê de Elegibilidade abre caminho para Caio Paes de Andrade assumir a Petrobras

1 de 1
Edifício-sede da Petrobras, no centro do RJ — Foto: Marcos Serra Lima/g1

Edifício-sede da Petrobras, no centro do RJ — Foto: Marcos Serra Lima/g1

O Comitê de Elegibilidade da Petrobras abriu caminho nesta sexta-feira (24) para que Caio Paes de Andrade assuma o comando da estatal. Agora, a indicação do executivo será “deliberada pelo Conselho de Administração”, informou a estatal em comunicado.

Andrade foi indicado ao cargo pelo governo Jair Bolsonaro há um mês, mas a troca esbarrou nos trâmites legais definidos para a substituição.

Cabe ao Comitê de Elegibilidade analisar a indicação de Andrade com base nas regras de governança da companhia e na legislação aplicável. Nesta sexta, os integrantes do comitê chegaram a conclusão de que não existem vedações para que Andrade assuma o comando da estatal.

Atual secretário de desburocratização do governo federal, Andrade vai substituir José Mauro Ferreira Coelho no comando da companhia se seu nome for aprovado pelo Conselho de Administração. Andrade será o quarto presidente da Petrobras indicado pelo governo Bolsonaro.

De olho na reeleição, Bolsonaro elevou o tom das críticas contra a administração da Petrobras e chegou a chamar de “estupro” o lucro da estatal.

Confira o perfil de Caio Mário Paes de Andrade, indicado para ser o novo presidente da Petrobras

Confira o perfil de Caio Mário Paes de Andrade, indicado para ser o novo presidente da Petrobras

Até a conclusão do processo de indicação de Paes de Andrade, a Petrobras será presidida interinamente pelo atual diretor de Exploração e Produção da companhia, Fernando Borges.

Conta de luz continua sem cobrança extra em julho, decide Aneel

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu nesta sexta-feira (24) que a bandeira verde continuará em vigor em julho. Com isso, a conta de luz segue sem cobrança adicional por mais um mês.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado pela Aneel para sinalizar o custo da geração de energia. No final de todo mês, a agência decide a cor da bandeira para o mês seguinte.

Quando o custo da produção de energia aumenta, por exemplo, por conta do acionamento de usinas térmicas (mais poluentes e mais caras), a Aneel pode acionar as bandeiras amarela, vermelha patamar 1 ou 2 — que representam custo extra ao consumidor.

1 de 1
Novos valores das bandeiras tarifárias, em vigor entre 1º de julho e meados de 2023 — Foto: Editoria de Arte / g1

Novos valores das bandeiras tarifárias, em vigor entre 1º de julho e meados de 2023 — Foto: Editoria de Arte / g1

A expectativa da Aneel é que a bandeira verde continue vigente ao longo deste ano, dada à recuperação dos reservatórios das hidrelétricas (veja mais abaixo).

Nesta semana, a agência aprovou alta de até 64% no valor das bandeiras. Os novos valores entram em vigor em 1º de julho e serão válidos até meados de 2023.

De acordo com a agência, esse reajuste não terá “impacto imediato” para o consumidor porque a bandeira verde está acionada desde 16 de abril — quando deixou de valer a bandeira de escassez hídrica, a mais cara do sistema, que adiciona R$ 14,20 à conta de luz por 100 quilowatt-hora (KWh) consumidos no mês.

A bandeira de escassez hídrica foi criada em setembro do ano passado para compensar os custos adicionais da produção de energia durante a crise hídrica.

Situação dos reservatórios

Segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o nível dos reservatórios do Sudeste e do Centro-Oeste, responsáveis por 70% da capacidade de produção de energia no país, estava em 65,96% esta quinta-feira (23).

No mês em que a bandeira de escassez hídrica entrou em vigor, em setembro de 2021, o armazenamento chegou a alcançar 16,75%, menor nível desde novembro de 2014.

Desde março deste ano, o nível está estável, na casa dos 60%.

Nível dos reservatórios do subsistema Sudeste/Centro-Oeste
Linha indica início de recuperação dos níveis após crise hídrica
Fonte: ONS

VÍDEOS: notícias sobre economia

200 vídeos

Preços da gasolina e do diesel sobem e batem recorde nos postos

1 de 1
Litro da gasolina chega a R$ 8,39 em postos de Goiânia, em Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Litro da gasolina chega a R$ 8,39 em postos de Goiânia, em Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

O preço da gasolina e de diesel subiram nos postos nesta semana e bateram recorde, de acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgados nesta sexta-feira (24).

De acordo com o levantamento da ANP, o valor médio do litro do diesel passou de R$ 6,906 para R$ 7,568, uma alta de 9,6%.

Já o preço médio do litro da gasolina avançou de R$ 7,232 para R$ 7,39, uma alta de 2,2%.

Trata-se do maior valor nominal pago pelos consumidores para a gasolina e o diesel desde que a ANP passou a fazer levantamento semanal de preços, em 2004.

Já o valor médio do etanol caiu de 4,91 para R$ 4,873, uma queda de 0,8%.

A ANP coletou preços em mais de 5 mil postos de combustíveis no Brasil.

A pesquisa da ANP já contempla o último aumento anunciado pela Petrobras nas suas refinarias. Em 17 de junho, a estatal anunciou uma alta de 5,18% na gasolina e de 14,26% no diesel.

Vale lembrar que o valor final dos preços dos combustíveis nas bombas depende não só dos valores cobrados nas refinarias, mas também de impostos e das margens de lucro de distribuidores e revendedores.

Petrobras sob pressão

Preocupado com a alta dos combustíveis em ano eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro tem pressionado a Petrobras a não repassar a alta internacional dos preços do petróleo para as bombas. Nesta semana, José Mauro Coelho pediu demissão da presidência da estatal em meio a crescentes pressões do governo.

O substituto de Mauro Coelho deve ser Caio Paes de Andrade.

Desde 2016, a estatal passou a adotar para suas refinarias uma política de preços que se orienta pelas flutuações do preço do barril de petróleo no mercado internacional e pelo câmbio. Neste ano, porém, a Petrobras passou a represar os reajustes, evitando repassar automaticamente as variações do mercado internacional e do câmbio.

O diesel não era reajustado nas refinarias da Petrobras desde 10 de maio – há 39 dias. Já a última alta no preço da gasolina havia sido em 11 de março – há 99 dias. Foi o maior intervalo sem reajustes na gasolina em ao menos mais de 2 anos e meio.

Preço do diesel quase dobra em Ribeirão Preto, SP

Preço do diesel quase dobra em Ribeirão Preto, SP