Ame, de B2W e Americanas, fecha compra da Parati Financeira por R$ 34,053 milhões

Shopping Cart Icon on Computer Keyboard (blackred/ Getty Images)

A Ame Digital, controlada pela Lojas Americanas (LAME4) e pela B2W (BTOW3) e que opera a carteira digital de mesmo nome, comprou a Parati Financeira por R$ 34,053 milhões. A operação está sujeita ao cumprimento de determinadas condições prévias, como a autorização pelo Banco Central.

Segundo a Ame, a Parati tem acesso direto ao Sistema de Pagamentos Brasileiro e ao Sistema de Pagamentos Instantâneos, e atua como provedora de serviços para correspondentes bancários digitais (no chamado ‘banking as a service‘) além de ‘regtech‘, empresa que usa a tecnologia para aprimorar processos regulatórios.

Segundo o comunicado, a financeira tem como parte de sua atuação a integração de fintechs ao sistema bancário. Além disso, a Parati atua por meio de distribui soluções de crédito através de parceiros, e emite Cédulas de Crédito Bancárias (CCBs) que são distribuídas através dessas parcerias.

De acordo com a Ame, a aquisição vai permitir que a carteira digital ofereça soluções “ainda mais completas” para sua base de clientes pessoas físicas, que chega a 15 milhões de pessoas, e comerciais, com 2,8 milhões de estabelecimentos conectados.

As novas soluções incluem conta digital, cartão de crédito, cartão pré-pago, empréstimos e integração ao PIX, o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central que estreou em novembro.

Quer migrar para uma das profissões mais bem remuneradas do país e ter a chance de trabalhar na rede da XP Inc.? Clique aqui e assista à série gratuita Carreira no Mercado Financeiro!

Crédito sem necessidade de garantia pode ajudar um a cada quatro brasileiros endividados

Seis em cada dez brasileiros economicamente ativos enfrentam dificuldades para pagar as contas em dia. Um levantamento realizado em junho pelo Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aponta que 67,1% da população relata problemas para honrar compromissos assumidos com cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro.

A pesquisa mostra também que o percentual e famílias com dívidas ou empréstimos em atraso chegou a 25,4% em junho, atingindo o maior nível de inadimplência desde dezembro de 2017.

A pandemia do novo coronavírus, que enfraqueceu a economia por conta da recomendação de isolamento social, e o desemprego em alta ajudam a explicar o cenário.

PUBLICIDADE

Crédito sem burocracia ajuda a atender necessidades básicas da população

Um a cada quatro brasileiros sofre para conseguir recursos para situações emergenciais, como quitar uma pequena dívida ou pagar um boleto, e até mesmo para objetivos específicos, como uma reforma ou injeção de caixa em empresas familiares, por exemplo.

A fim de atender essa parcela da população que precisa de recursos de forma ágil para se manter, algumas empresas financeiras estão simplificando a forma de conceder empréstimos.

A Ame Digital é uma delas. O app de pagamentos e cashback do grupo B2W oferece opções de empréstimos que vão até R$ 30 mil sem necessidade de garantias e até R$2 milhões com garantia.

Clique aqui para saber mais sobre o crédito sem garantia

Segundo a empresa, a intenção é que o procedimento seja feito sem a tradicional burocracia desse tipo de transação. A simulação ou solicitação pode ser feita diretamente pelo aplicativo, totalmente online.

PUBLICIDADE

Com todas as informações disponíveis na plataforma digital, o empréstimo pode ser solicitado e parcelado em até 240 vezes, com taxas a partir de 0,99% a.m. (12,55% a.a.), que variam de acordo com o perfil do requerente.

Há opções de empréstimo que disponibilizam o valor do crédito em até dois dias úteis após a aprovação, o que torna a transação fácil e rápida. Até mesmo quem não possui conta em banco pode obter crédito de até R$ 500.

Isenção de garantia ajuda a desburocratizar empréstimo

A iniciativa da Ame Digital tem o objetivo de conceder crédito para pessoas físicas que precisam superar as dificuldades impostas pelo momento atual. Por isso as taxas são de acordo com cada perfil.

Além disso, a empresa não pede justificativa de como o dinheiro será usado, o que proporciona mais flexibilidade. Tudo é feito com base no histórico financeiro do cliente.

A Ame trabalha em parceria com três parceiros financeiros: Jeitto, Rebel e BCredi. Os prazos para início do pagamento do empréstimo pessoal chegam a 45 dias.

O App da Ame Digital pode ser baixado para dispositivos com Android ou iOS, por meio de suas respectivas lojas oficiais.

Saiba mais sobre o crédito sem garantia

Importante: A publicação acima é um conteúdo patrocinado, sendo que a Infostocks Informações e Sistemas Ltda. (“InfoMoney”) não tem qualquer responsabilidade pelo conteúdo e informações disponibilizadas, não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações, não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. O autor ou empresa responsável pelo conteúdo estão indicados na própria publicação.

BRMalls e Ame se unem para apoiar varejo com antecipação de compras

Segundo a Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers), há mais de 500 centros comerciais fechados no país e 90% dos lojistas sofreram impactos. Com a queda na demanda, as lojas buscam alternativas para garantir um faturamento mínimo e não fechar as operações.

O cenário complicado traz à tona a necessidade de colaboração e união. Uma iniciativa da brMalls, empresa que atua no ramo de administração de shopping centers, e da Ame, fintech de pagamentos rápidos pelo celular, visa apoiar o varejo brasileiro.

É a iniciativa chamada Ciclo do Bem, com foco em ajudar pequenos varejistas de shoppings por meio de antecipação de compras enquanto os empreendimentos estão fechados.

PUBLICIDADE

Funciona da seguinte forma: o consumidor adquire um vale-compras de R$ 100 para ser usado na sua loja favorita escolhida pelo site https://www.ciclodobemshopping.com.br/ e ganha 20% de cashback, crédito para outras operações, ao decidir fazer o pagamento com Ame. Para isso, basta baixar o app Ame Digital e criar uma conta de acesso, com dados pessoais e bancários.

Dessa forma, o cliente ganha um dinheiro de volta para usar em outras compras e ainda pode escolher um produto da loja selecionada quando a reabertura do shopping for autorizada. Já o lojista recebe imediatamente o valor da compra antecipada e usa o montante para compor o faturamento neste momento de fechamento do comércio.

Os vale-compras estão disponíveis em 25 shoppings da rede brMalls espalhados por dez estados brasileiros (Amazonas, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo) até o dia 31 de maio. Há lojas de todos os segmentos, desde calçados, vestuário e acessórios até serviços, como lavanderia e barbearia.

A iniciativa tem a intenção de colocar o cliente como protagonista da mudança e agente de colaboração com o varejo. A ideia é que a campanha desencadeie um ciclo positivo e beneficie vários profissionais, ajudando a preservar negócios e empregos neste momento de pandemia.

Em contrapartida, o consumidor tem a oportunidade de adquirir produtos promocionais, já que há o cashback de parte do valor.

Quer saber mais? Clique aqui e conheça as lojas participantes!

Importante: A publicação acima é um conteúdo patrocinado, sendo que a Infostocks Informações e Sistemas Ltda. (“InfoMoney”) não tem qualquer responsabilidade pelo conteúdo e informações disponibilizadas, não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações, não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. O autor ou empresa responsável pelo conteúdo estão indicados na própria publicação.