Gigantes do setor de saúde Dasa, Rede D’Or e Fleury anunciam aquisições – e analistas esperam por mais

SÃO PAULO – Na noite desta terça-feira (1), três gigantes do setor de saúde no país, Rede D’Or (RDOR3), Grupo Dasa (DASA3) e Fleury (FLRY3), anunciaram aquisições de ativos, em continuidade do movimento de consolidação do setor, ainda bastante pulverizado.

A Rede D’Or fechou a aquisição do Hospital Serra Mayor, localizado na capital paulista, em região de alta densidade populacional, no bairro do Capão Redondo. O valor da firma (EV) ficou em R$ 130 milhões, com projeção de lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) de R$ 17 milhões para 2022, após sinergias, implicando em um múltiplo EV/Ebitda de 7,6 vezes daqui a dois anos.

Já o Fleury anunciou a aquisição do Laboratório Pretti e do Laboratório Bioclínico, ambos no Espírito Santo (ES). Os valores justos para fins de transação são de R$ 193,1 milhões e R$ 122 milhões respectivamente, adicionando cerca de 40 unidades de atendimento em sua base total. A estimativa de Ebitda para estas aquisições não foi divulgada.

O grupo Dasa veio com a transação maior entre as três empresas, com a aquisição do Hospital da Bahia (HBA S.A.) em Salvador (BA) por R$ 850 milhões em dinheiro. A Levante Ideias de Investimentos aponta que, com a operação, a Dasa já “coloca o pé em uma praça já bastante disputada”. A estimativa é de um múltiplo EV/Ebitda em torno de 13 vezes para a aquisição, sendo um dos mais relevantes após a sua reabertura de capital.

Conforme destaca a Levante, mesmo com um setor ainda bastante pulverizado em todos os segmentos de atuação (hospitais, clínicas de tratamento, laboratórios de diagnóstico e planos de saúde), a competição começa a ficar mais acirrada nos principais centros urbanos, com maiores densidades populacionais, sendo que várias companhias de capital aberto estão começando a atuar em uma mesma região.

“Olhando individualmente cada aquisição, enxergamos um impacto positivo para as ações das três companhias, dado que todas estão muito bem capitalizadas, sobretudo a Rede D’Or com a sua recente abertura de capital e Follow-on (oferta subsequente de ações)”, avaliam. Além disso, apontam, o setor de saúde demanda cada vez mais escala, sendo um requisito mandatório para que as empresas obtenham uma boa rentabilidade.

A estratégia da Dasa, aponta a Levante, vem na vertente de agregar hospitais e centros diagnósticos dentro do mesmo guarda-chuva.

O Bradesco BBI avalia que a aquisição do HBA, marcando a entrada da Dasa em Salvador, na Bahia, que tem cerca de 1,6 milhão de beneficiários e é o sexto maior mercado do Brasil, é um movimento bastante importante para a empresa.

Os analistas também veem os múltiplos da aquisição como positivos: a Dasa pagou cerca de R $ 2,6 milhões por leito (com base nos atuais 330 leitos do HBA), ou R$ 2,1 milhões por leito, isso incluindo expansões em andamento com o plano de chegar a 405 leitos (assumindo nenhum capex adicional para completar a expansão). O valor é abaixo do preço médio histórico do setor entre R$ 3,0 milhões e R$ 5,0 milhões.

PUBLICIDADE

A expectativa é de que possam ocorrer sinergias com redução de custos médicos e de materiais, com a adoção de uma estrutura de custos centralizada (talvez com cerca de 20% e 30% de descontos nesses produtos) e alguma diluição de custos com os 75 leitos hospitalares adicionais a serem concluídos. Quanto à rede credenciada do HBA, ela já é vasta, abrangendo todas as principais grandes operadoras. Desta forma, os analistas reiteraram visão positiva sobre a Dasa, com recomendação outperform e preço-alvo de R$ 80 para 2021.

A Levante destaca que o Fleury vem tentando diversificar sua linha de atuação para além dos centros diagnósticos, incorporando clínicas de tratamentos avançados e diversos, ampliando a gama de serviços oferecidos dentro de seus ativos.

O Itaú BBA classificou a notícia sobre as aquisições da Fleury em Vitória como neutra. O banco afirma que não tem dados o suficiente para ponderar o potencial de adição de valor que o negócio pode ter, mas afirma que em termos de receita não parece muito acima do valor atual do Fleury. Apesar disso, o banco elogia o esforço do Fleury de diversificar o crescimento do faturamento bruto, e fortalecer o portfólio de serviços. O Itaú mantém recomendação market perform (perspectiva de valorização dentro da média do mercado) para o Fleury, com preço-alvo de R$ 29.

A XP, por sua vez, aponta que, embora pequena, vê a transação como positiva, pois expande o alcance nacional do Fleury por um preço razoável. Os analistas esperam que os ganhos de sinergia diluam os múltiplos implícitos, especialmente considerando o provável aumento dos serviços oferecidos no Pretti e Bioclínico.

“Finalmente, considerando o tamanho da transação e que vemos a FLRY3 sendo negociada a um preço sobre o lucro de 24,4 vezes o esperado para 2021 e de 21,4 vezes o esperado para 2022, que está em linha com sua média histórica, reiteramos nossa recomendação neutra para a empresa e nosso preço-alvo de R$ 29 por ação”, apontam.

A Rede D’Or, por sua vez, destaca a Levante, vem buscando escala de maneira mais concentrada e onde tem expertise comprovada: gestão de hospitais de alto padrão.

O Credit, por sua vez, ressalta que a área dessa última aquisição é altamente povoada, mas com baixos indicadores sócioeconômicos.

Luis Sales, analista da Guide, ainda aponta que o movimento ocorre uma semana após a rede hospitalar anunciar, através da sua afiliada Hospitais Integrados da Gávea S.A. (Clínica São Vicente), ter concluído a aquisição de 100% do Hospital Balbino, localizado no município do Rio de Janeiro.

PUBLICIDADE

A notícia foi vista como marginalmente positiva para o analista: “a Rede D’Or mostra mais um movimento de aquisição do pulverizado setor hospitalar. Esperamos uma manutenção nessa tendência em função do avanço acelerado de consolidação no setor de saúde, observado no número de negócios (o mais importante deles a fusão entre Hapvida HAPV3 e Notre Dame GNDI3 ) mas também em novas empresas do segmento captando recursos no mercado de capitais”, aponta.

Confira as recomendações para as ações das companhias, segundo compilação da Refinitiv: 

Empresa Recomendação de compra Recomendação neutra Recomendação de venda  Preço-alvo médio Potencial de valorização
Dasa 4 0 0 R$ 83,13 +45%
Fleury 3 7 1 R$ 29,86 +11%
Rede D’Or 9 0 0 R$ 82,70 +21%

“Escala e Verticalização”

Olhando para o cenário em geral para fusões e aquisições no setor, a Levante destaca que a pandemia levou muitos ativos de menor porte estarem “atrativos” para a aquisição, com os grandes players do setor se beneficiando com a oportunidade no radar.

A pulverização do setor, até então, é vista como  compreensível, dada a extensão territorial do Brasil e devido aos serviços médicos, que em grande parte até o início da pandemia demandavam quase que majoritariamente a presença física do paciente. Com o avanço rápido da telemedicina, muitas consultas básicas agora podem ser feitas de maneira remota, avaliam os analistas, possibilitando também maior ganho de escala e verticalização.

“Acreditamos que ainda há bastante espaço para expansão das grandes do setor, sem que haja uma sobreposição muito prejudicial, porém as palavras-chave do setor têm sido ‘escala e verticalização’”, avaliam.

Assim, os analistas enxergam um cenário de crescimento gradual e consistente para os líderes do setor de saúde e as fusões, aquisições e expansões de unidades. “Todas as grandes do setor seguem com endividamento baixo, múltiplos mais elevados em relação às aquisições recentes e com caixa robusto, indicando que podemos esperar um ciclo de crescimento e consolidação por mais alguns anos pelo menos”, apontam.

Em curso gratuito de Opções, professor Su Chong Wei ensina método para ter ganhos recorrentes na bolsa. Inscreva-se já.

Ações da Marfrig sobem quase 4%, B3 cai forte com recomendação rebaixada pelo JPMorgan; shoppings avançam

bolsa mercados trader operador brooker bolsa ações índices telas (Getty Images)

SÃO PAULO – A sessão desta quarta-feira (2) é de ganhos para os frigoríficos, com destaque para o Marfrig (MRFG3), que avança cerca de 4%, enquanto Minerva (BEEF3) tem ganhos de cerca de 2%. JBS (JBSS3), que sofreu no domingo um ataque cibernético que afetou as operações de suas processadoras de carne na América do Norte e na Austrália, vê as suas ações operarem próximas à estabilidade. A companhia informou que as operações serão retomadas na “grande maioria” de suas unidades na quarta-feira.

Já no radar da Marfrig, a companhia busca no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a aprovação da compra de quase um quarto das ações circulantes da BRF, segundo informações da Reuters. Na véspera, BRFS3 subiu quase 10% em meio a um block trade (leilão agendado por um grande investidor para se desfazer de uma quantidade de ações) da empresa e especulações de que a Marfrig poderia estar comprando mais ativos (veja mais clicando aqui).

Entre as altas, estão também a de ações de operadoras de shoppings, como JHSF (JHSF3), Multiplan (MULT3), brMalls (BRML3) e Iguatemi (IGTA3), com os investidores monitorando a retomada do setor em meio à reabertura do setor (veja mais clicando aqui).

Já entre as quedas, a ação da B3 (B3SA3) tem baixa de cerca de 4% após o JPMorgan reduzir a recomendação para as ações da companhia de equivalente à compra para neutra, com preço-alvo sendo reduzido de R$ 23 para R$ 21, o que ainda corresponde a um potencial de alta de 19% frente o último fechamento.

As ações de bancos também têm ganhos, com destaque para o Itaú (ITUB4), que avança cerca de 2%, no dia do Investor Day da instituição financeira. Executivos do banco afirmaram em evento da instituição que a margem financeira com clientes deve acelerar o crescimento nos próximos trimestres.

Em fala no evento, André Rodrigues, diretor responsável pela área de varejo do banco, disse que o banco trabalha para quadruplicar o acesso digital nos próximos anos, afirmando que a “ambição fará com que 50% das receitas da instituição financeira venham do digital nos próximos anos”.

Os copresidentes do conselho de administração do Itaú Unibanco, Roberto Setubal e Pedro Moreira Salles, afirmaram nesta quarta-feira que o banco precisa melhorar seus serviços para competir com fintechs e reter clientes. Em comentário contundente sobre a competição em evento online para discutir estratégia, Setubal disse que a rede de agências do Itaú deixou de ser uma vantagem competitiva para o banco, pois as fintechs conquistam clientes por meio dos canais digitais.

Confira os destaques:

Vale (VALE3), minério e aço

Os preços de matérias-primas do setor siderúrgico, incluindo minério de ferro, avançaram na China nesta quarta-feira, acompanhando uma tendência de alta no mercado spot. Os futuros mais negociados do minério de ferro na bolsa de commodities de Dalian DCIOcv1, para entrega em setembro, encerraram com alta de 2,8%, a 1.169 iuanes (US$ 182,95) por tonelada. Eles chegaram a saltar até 4,8% na sessão, para 1.192 iuanes por tonelada.

PUBLICIDADE

Os preços spot do minério de ferro com teor de 62% para entrega na China subiram US$ 6 na terça-feira, fechando a US$ 206,50 por tonelada, segundo a consultoria SteelHome.

“No curto prazo, o mercado ainda está operando com expectativas de alívio nos cortes de produção de produtos siderúrgicos”, escreveram analistas da Huatai Futures em nota.

Notícias na mídia nesta semana disseram que autoridades no pólo siderúrgico chinês de Tangshan têm discutido reduzir restrições à produção de algumas usinas. Os preços do aço na bolsa de futuros de Xangai também subiram, com o contrato para outubro registrando alta de 0,5%, a 5.002 iuanes por tonelada.

A Petrobras anunciou que a sua subsidiária integral Petrobras Global Finance B.V. – PGF pretende oferecer uma nova série de títulos no mercado internacional em uma nova emissão, sujeita às condições de mercado. Os títulos terão vencimento em 10 de junho de 2051 e serão emitidos com garantia total e incondicional da Petrobras.

A Petrobras também anuncia o início de uma oferta de recompra pela PGF. A oferta de recompra é para a totalidade dos títulos globais em circulação descritos na tabela abaixo, estando limitada ao montante total dispendido de US$ 2,5 bilhões.

Os valores a serem pagos aos investidores que entregarem seus títulos em cada uma das séries consideradas serão relacionados aos preços equivalentes à taxa de retorno ao investidor (yield) definida com base na taxa do tesouro norte-americano às 11h da cidade de Nova York em 8 de junho de 2021.

BB Seguridade (BBSE3)

A BB Seguridade afirmou nesta terça-feira que não recebeu comunicação formal sobre nomeação de um novo presidente-executivo por parte seu controlador. O comunicado do grupo, braço de seguros e previdência do Banco do Brasil BBAS3.SA, veio após a versão online do jornal O Estado de S.Paulo ter publicado na véspera que o executivo Amauri Aguiar de Vasconcelos deve ser o novo presidente da BB Seguridade.

Stone 

A empresa brasileira de meios de pagamentos StoneCo, cujas ações são negociadas na Nasdaq, informou na véspera que teve lucro líquido de R$ 158,3 milhões no primeiro trimestre, o que representa um aumento de 15,5% em relação à mesma etapa do ano passado. A empresa informou também que teve adição líquida de 138 mil clientes únicos de janeiro a março e que espera ter de 1,4 milhão a 1,5 milhão de clientes ativos em pagamentos neste ano e que seu lucro e receita acelerem significativamente ante 2020.

PUBLICIDADE

O Morgan Stanley destaca que o TPV (volume total de pagamentos) da Stone cresceu 122% em abril na comparação anual, e 111% em maio, na mesma comparação. O indicador de desempenho foi beneficiado pelo patamar baixo de comparação, já que os dados do ano passado foram impactados pela pandemia.

O banco ressalta que em 28 de maio a Stone terminou o processo pelo qual levantou R$ 400 milhões por meio de um FIDC (fundo de investimento em direitos creditórios). Desse valor, R$ 340 milhões, ou 85% do total, são financiados por terceiros, e R$ 60 milhões, por capital próprio. Assim, a Stone tem R$ 833 milhões em capital de terceiros para financiar operações de crédito.

Na avaliação do Bradesco BBI, o primeiro trimestre da Stone foi fraco, impactado por provisões maiores, que reduziram as receitas. O banco ressaltou que a empresa reiterou seu guidance para o final de 2021, que implica em recuperação material nos próximos trimestres. Na avaliação do banco, o mercado deve manter o enfoque sobre sinergias potenciais da fusão com a Linx.

O Itaú BBA retomou a cobertura da Locaweb, com recomendação outperform e preço-alvo em 2021 em R$ 33,1. Assim, o banco posiciona a Locaweb entre suas top picks na cobertura de tecnologia.

O Fleury anunciou a compra dos laboratórios Pretti e Bioclínico por um total de R$ 315 milhões, marcando a entrada da rede de medicina diagnóstica no estado do Espírito Santo.

Foram pagos R$ 193,1 milhões pelo laboratório Pretti e R$ 122 milhões pelo Bioclínico. Segundo a companhia, esses movimentos reforçam a estratégia de expandir os serviços e a presença do Grupo Fleury na cadeia de saúde.

“Com estas duas aquisições, a Companhia superou o patamar de R$ 1 bilhão investidos em aquisições nos últimos 5 anos – em que adquiriu 12 empresas que, juntas, somam mais de 125 unidades de atendimento e mais de R$ 500 milhões em receitas anuais, além de realizar os investimentos na Prontmed, Bem.Care, e Sweetch”, destacou a empresa.

O laboratório Pretti tem 25 unidades de atendimento na grande Vitória e teve uma receita acumulada de R$ 53,6 milhões em 2020, ao passo que o Bioclínico tem 15 unidades de atendimento e faturou R$ 42 milhões no mesmo período.

PUBLICIDADE

O Credit Suisse afirmou que a aquisição de dois laboratórios sinaliza que o negócio central continua no foco da empresa, e ressaltou que a receita das duas empresas equivale a 3,5% da receita do Fleury.

O Itaú BBA classificou a notícia sobre as aquisições da Fleury em Vitória como neutra. O banco afirma que não tem dados o suficiente para ponderar o potencial de adição de valor que o negócio pode ser, mas afirma que em termos de receita não parece muito acima do valor atual do Fleury. Apesar disso, o banco elogia o esforço do Fleury de diversificar o crescimento do faturamento bruto, e fortalecer o portfólio de serviços. O Itaú mantém avaliação market perform (perspectiva de valorização dentro da média do mercado) para o Fleury, com preço-alvo de R$ 29.

Rede D’Or (RDOR3)

A Rede D’Or informou que sua afiliada Hospitais Integrados da Gávea S.A. – São Vicente celebrou contrato de compra e venda de ações e concluiu a aquisição de participação representativa de 100% do capital social do Serra Mayor Serviços Médicos S.A., incluindo seus imóveis (Hospital Serra Mayor). O valor de firma (firm value) do Hospital Serra Mayor é R$ 130 milhões. Deste valor será deduzido o endividamento líquido.

“O Hospital Serra Mayor é um hospital geral localizado em região de elevada densidade populacional na zona sudoeste da cidade de São Paulo, e possuirá capacidade de 102 leitos após conclusão da expansão já em andamento, com capacidade para expansão adicional de até 80 leitos”, destacou a Rede D’Or. A previsão de lucro antes juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) para o Hospital é de R$ 17 milhões no ano de 2022, com parte das sinergias incorporadas.

A Diagnósticos da América, por sua vez, anunciou que a sua subsidiária Ímpar Serviços Hospitalares celebrou um contrato de compra e venda para adquirir indiretamente ações representativas de 100% do capital social da sociedade HBA, que detém e explora os negócios de atendimento médico hospitalar, ambulatorial, serviços clínicos e diagnósticos por imagem do complexo hospitalar do “Hospital da Bahia”, localizado em Salvador – BA.

No âmbito da Operação, a Ímpar, assumiu a obrigação de pagar em dinheiro o valor de R$ 850 milhões, incluindo a
parcela atribuída a determinados imóveis onde é conduzido o negócio e que serão oportunamente transferidos para a HBA, sendo certo que o preço está sujeito a ajuste com base na variação de dívida líquida e capital de giro consolidados das sociedades, a ser verificado na data de fechamento.

A Ambipar, por sua vez, anunciou a compra de 70% de participação na Centro Oeste Resíduos; o valor da operação não foi revelado.

A JBS, maior processadora de carnes do mundo, disse que recebeu informações da JBS USA e de sua controlada Pilgrim´s de que “as companhias tiveram avanços significativos na soluções do ataque cibernético que impactou as operações da empresa na América do Norte e na Austrália”.

O grupo afirmou ainda que os sistemas estão voltando a funcionar e que “não está poupando recursos” para conter a ameaça e voltar a operar. O ataque fez com que operações da JBS nos EUA e Austrália fossem paralisadas na segunda-feira, e ainda afetava fábricas na terça-feira.

“Dado o progresso que profissionais de TI e equipes de fábrica fizeram nas últimas 24 horas, a grande maioria de nossas unidades de carne bovina, suína, de aves e alimentos preparados estará operacional amanhã”, disse a JBS em comunicado na noite de terça-feira.

A empresa acrescentou que a JBS USA “tem recebido forte apoio dos governos dos EUA, Austrália e Canadá, realizando conferências diárias com autoridades num esforço para garantir o fornecimento de alimentos”. Na véspera, a Casa Branca disse ter recebido informações da JBS de que o ataque cibernético provavelmente teve origem na Rússia e que estava em contato com o país sobre o assunto.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, formalizou a escolha de Marcos Rogério como relator da MP da capitalização da Eletrobras. O senador é vice-líder do governo e era a escolha preferida pelo Planalto.

O governo pretende aprovar o texto no Senado na semana que vem para que haja tempo suficiente para nova votação da Câmara até o dia 22, quando se encerra o prazo de vigência da medida provisória.

O megainvestidor na Bolsa Luiz Barsi Filho comunicou à Eternit que alienou parte de suas ações de emissão da empresa,
reduzindo a sua participação no capital social para 4,79%. O acionista declarou, também, que a referida redução de participação não visa modificar a composição do controle acionário ou a mudança da estrutura administrativa da companhia, declarou a empresa em comunicado ao mercado na noite de terça-feira.

Pão de Açúcar (PCAR3)

O Pão de Açúcar informou ter recebido do Grupo Casino cópia do comunicado divulgado pela Cnova N.V., na qual o GPA detém 34,17% do capital social, sobre potencial projeto para realizar, até o final do ano e sujeito a condições de mercado, oferta primária de ações emitidas pela Cnova N.V. no valor de, aproximadamente, 300 milhões de euros, com o objetivo de acelerar seu crescimento, e incluindo, potencialmente, uma oferta secundária por alguns de seus acionistas.

“O GPA informará aos seus acionistas e ao mercado em geral sobre quaisquer informações adicionais sobre esse projeto”, destacou. Saiba mais clicando aqui.

Equatorial (EQTL3)

O Credit classificou como neutra e em linha com as expectativas a notícia de que a Aneel abriu uma audiência pública sobre a revisão tarifária da Cemar, com uma Parcela B de R$ 1,6 bilhão. O banco ressalta que nas minutas de voto de R$ 4,288 bilhões em base de ativos regulatórios, frente a R$ 4,143 bilhões previstos pelo Credit.

Em curso gratuito de Opções, professor Su Chong Wei ensina método para ter ganhos recorrentes na bolsa. Inscreva-se já.

Fleury, Dasa, Rede D’Or e Ambipar anunciam aquisições; Stone lucra R$ 158 mi no 1º tri e mais notícias

SÃO PAULO – As aquisições movimentam o noticiário corporativo desta quarta: o Fleury anunciou nesta terça-feira a compra de 100% do Laboratório Pretti e do Laboratório Bioclínico, marcando a entrada da companhia especializada em diagnósticos médicos no Estado do Espírito Santo. O Fleury pagou R$ 193,1 milhões pelo Laboratório Pretti, enquanto desembolsou outros R$ 122 milhões para assumir o Laboratório Bioclínico.

Já a Rede D’Or São Luiz concluiu a compra do Hospital Serra Mayor, de São Paulo, por R$ 130 milhões. A Dasa  celebrou contrato para a compra de 100% da HBA – Assistência Médica e Hospitalar por R$ 850 milhões. A Ambipar, por sua vez, anunciou a compra de 70% de participação na Centro Oeste Resíduos; o valor da operação não foi revelado.

A JBS, por sua vez, disse que recebeu informações da JBS USA e de sua controlada Pilgrim´s de que “as companhias tiveram avanços significativos na soluções do ataque cibernético que impactou as operações da empresa na América do Norte e na Austrália”.

A empresa brasileira de meios de pagamentos StoneCo, cujas ações são negociadas na Nasdaq, informou na véspera que teve lucro líquido de R$ 158,3 milhões no primeiro trimestre

Confira os destaques:

Vale (VALE3), minério e aço

Os preços de matérias-primas do setor siderúrgico, incluindo minério de ferro, avançaram na China nesta quarta-feira, acompanhando uma tendência de alta no mercado spot. Os futuros mais negociados do minério de ferro na bolsa de commodities de Dalian DCIOcv1, para entrega em setembro, encerraram com alta de 2,8%, a 1.169 iuanes (US$ 182,95) por tonelada. Eles chegaram a saltar até 4,8% na sessão, para 1.192 iuanes por tonelada.

Os preços spot do minério de ferro com teor de 62% para entrega na China subiram US$ 6 na terça-feira, fechando a US$ 206,50 por tonelada, segundo a consultoria SteelHome.

“No curto prazo, o mercado ainda está operando com expectativas de alívio nos cortes de produção de produtos siderúrgicos”, escreveram analistas da Huatai Futures em nota.

Notícias na mídia nesta semana disseram que autoridades no pólo siderúrgico chinês de Tangshan têm discutido reduzir restrições à produção de algumas usinas. Os preços do aço na bolsa de futuros de Xangai também subiram, com o contrato para outubro registrando alta de 0,5%, a 5.002 iuanes por tonelada.

PUBLICIDADE

A Petrobras anunciou que a sua subsidiária integral Petrobras Global Finance B.V. – PGF pretende oferecer uma nova série de títulos no mercado internacional em uma nova emissão, sujeita às condições de mercado. Os títulos terão vencimento em 10 de junho de 2051 e serão emitidos com garantia total e incondicional da Petrobras.

A Petrobras também anuncia o início de uma oferta de recompra pela PGF. A oferta de recompra é para a totalidade dos títulos globais em circulação descritos na tabela abaixo, estando limitada ao montante total dispendido de US$ 2,5 bilhões.

Os valores a serem pagos aos investidores que entregarem seus títulos em cada uma das séries consideradas serão relacionados aos preços equivalentes à taxa de retorno ao investidor (yield) definida com base na taxa do tesouro norte-americano às 11h da cidade de Nova York em 8 de junho de 2021.

BB Seguridade (BBSE3)

A BB Seguridade afirmou nesta terça-feira que não recebeu comunicação formal sobre nomeação de um novo presidente-executivo por parte seu controlador. O comunicado do grupo, braço de seguros e previdência do Banco do Brasil BBAS3.SA, veio após a versão online do jornal O Estado de S.Paulo ter publicado na véspera que o executivo Amauri Aguiar de Vasconcelos deve ser o novo presidente da BB Seguridade.

Stone 

A empresa brasileira de meios de pagamentos StoneCo, cujas ações são negociadas na Nasdaq, informou na véspera que teve lucro líquido de R$ 158,3 milhões no primeiro trimestre, o que representa um aumento de 15,5% em relação à mesma etapa do ano passado. A empresa informou também que teve adição líquida de 138 mil clientes únicos de janeiro a março e que espera ter de 1,4 milhão a 1,5 milhão de clientes ativos em pagamentos neste ano e que seu lucro e receita acelerem significativamente ante 2020.

O Morgan Stanley destaca que o TPV (volume total de pagamentos) da Stone cresceu 122% em abril na comparação anual, e 111% em maio, na mesma comparação. O indicador de desempenho foi beneficiado pelo patamar baixo de comparação, já que os dados do ano passado foram impactados pela pandemia.

O banco ressalta que em 28 de maio a Stone terminou o processo pelo qual levantou R$ 400 milhões por meio de um FIDC (fundo de investimento em direitos creditórios). Desse valor, R$ 340 milhões, ou 85% do total, são financiados por terceiros, e R$ 60 milhões, por capital próprio. Assim, a Stone tem R$ 833 milhões em capital de terceiros para financiar operações de crédito.

Na avaliação do Bradesco BBI, o primeiro trimestre da Stone foi fraco, impactado por provisões maiores, que reduziram as receitas. O banco ressaltou que a empresa reiterou seu guidance para o final de 2021, que implica em recuperação material nos próximos trimestres. Na avaliação do banco, o mercado deve manter o enfoque sobre sinergias potenciais da fusão com a Linx.

PUBLICIDADE

O Itaú BBA retomou a cobertura da Locaweb, com recomendação outperform e preço-alvo em 2021 em R$ 33,1. Assim, o banco posiciona a Locaweb entre suas top picks na cobertura de tecnologia.

O Fleury anunciou a compra dos laboratórios Pretti e Bioclínico por um total de R$ 315 milhões, marcando a entrada da rede de medicina diagnóstica no estado do Espírito Santo.

Foram pagos R$ 193,1 milhões pelo laboratório Pretti e R$ 122 milhões pelo Bioclínico. Segundo a companhia, esses movimentos reforçam a estratégia de expandir os serviços e a presença do Grupo Fleury na cadeia de saúde.

“Com estas duas aquisições, a Companhia superou o patamar de R$ 1 bilhão investidos em aquisições nos últimos 5 anos – em que adquiriu 12 empresas que, juntas, somam mais de 125 unidades de atendimento e mais de R$ 500 milhões em receitas anuais, além de realizar os investimentos na Prontmed, Bem.Care, e Sweetch”, destacou a empresa.

O laboratório Pretti tem 25 unidades de atendimento na grande Vitória e teve uma receita acumulada de R$ 53,6 milhões em 2020, ao passo que o Bioclínico tem 15 unidades de atendimento e faturou R$ 42 milhões no mesmo período.

O Credit Suisse afirmou que a aquisição de dois laboratórios sinaliza que o negócio central continua no foco da empresa, e ressaltou que a receita das duas empresas equivale a 3,5% da receita do Fleury.

O Itaú BBA classificou a notícia sobre as aquisições da Fleury em Vitória como neutra. O banco afirma que não tem dados o suficiente para ponderar o potencial de adição de valor que o negócio pode ser, mas afirma que em termos de receita não parece muito acima do valor atual do Fleury. Apesar disso, o banco elogia o esforço do Fleury de diversificar o crescimento do faturamento bruto, e fortalecer o portfólio de serviços. O Itaú mantém avaliação market perform (perspectiva de valorização dentro da média do mercado) para o Fleury, com preço-alvo de R$ 29.

Rede D’Or (RDOR3)

A Rede D’Or informou que sua afiliada Hospitais Integrados da Gávea S.A. – São Vicente celebrou contrato de compra e venda de ações e concluiu a aquisição de participação representativa de 100% do capital social do Serra Mayor Serviços Médicos S.A., incluindo seus imóveis (Hospital Serra Mayor). O valor de firma (firm value) do Hospital Serra Mayor é R$ 130 milhões. Deste valor será deduzido o endividamento líquido.

PUBLICIDADE

“O Hospital Serra Mayor é um hospital geral localizado em região de elevada densidade populacional na zona sudoeste da cidade de São Paulo, e possuirá capacidade de 102 leitos após conclusão da expansão já em andamento, com capacidade para expansão adicional de até 80 leitos”, destacou a Rede D’Or. A previsão de lucro antes juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) para o Hospital é de R$ 17 milhões no ano de 2022, com parte das sinergias incorporadas.

A Diagnósticos da América, por sua vez, anunciou que a sua subsidiária Ímpar Serviços Hospitalares celebrou um contrato de compra e venda para adquirir indiretamente ações representativas de 100% do capital social da sociedade HBA, que detém e explora os negócios de atendimento médico hospitalar, ambulatorial, serviços clínicos e diagnósticos por imagem do complexo hospitalar do “Hospital da Bahia”, localizado em Salvador – BA.

No âmbito da Operação, a Ímpar, assumiu a obrigação de pagar em dinheiro o valor de R$ 850 milhões, incluindo a
parcela atribuída a determinados imóveis onde é conduzido o negócio e que serão oportunamente transferidos para a HBA, sendo certo que o preço está sujeito a ajuste com base na variação de dívida líquida e capital de giro consolidados das sociedades, a ser verificado na data de fechamento.

A Ambipar, por sua vez, anunciou a compra de 70% de participação na Centro Oeste Resíduos; o valor da operação não foi revelado.

A JBS, maior processadora de carnes do mundo, disse que recebeu informações da JBS USA e de sua controlada Pilgrim´s de que “as companhias tiveram avanços significativos na soluções do ataque cibernético que impactou as operações da empresa na América do Norte e na Austrália”.

O grupo afirmou ainda que os sistemas estão voltando a funcionar e que “não está poupando recursos” para conter a ameaça e voltar a operar. O ataque fez com que operações da JBS nos EUA e Austrália fossem paralisadas na segunda-feira, e ainda afetava fábricas na terça-feira.

“Dado o progresso que profissionais de TI e equipes de fábrica fizeram nas últimas 24 horas, a grande maioria de nossas unidades de carne bovina, suína, de aves e alimentos preparados estará operacional amanhã”, disse a JBS em comunicado na noite de terça-feira.

A empresa acrescentou que a JBS USA “tem recebido forte apoio dos governos dos EUA, Austrália e Canadá, realizando conferências diárias com autoridades num esforço para garantir o fornecimento de alimentos”. Na véspera, a Casa Branca disse ter recebido informações da JBS de que o ataque cibernético provavelmente teve origem na Rússia e que estava em contato com o país sobre o assunto.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, formalizou a escolha de Marcos Rogério como relator da MP da capitalização da Eletrobras. O senador é vice-líder do governo e era a escolha preferida pelo Planalto.

O governo pretende aprovar o texto no Senado na semana que vem para que haja tempo suficiente para nova votação da Câmara até o dia 22, quando se encerra o prazo de vigência da medida provisória.

O megainvestidor na Bolsa Luiz Barsi Filho comunicou à Eternit que alienou parte de suas ações de emissão da empresa,
reduzindo a sua participação no capital social para 4,79%. O acionista declarou, também, que a referida redução de participação não visa modificar a composição do controle acionário ou a mudança da estrutura administrativa da companhia, declarou a empresa em comunicado ao mercado na noite de terça-feira.

Pão de Açúcar (PCAR3)

O Pão de Açúcar informou ter recebido do Grupo Casino cópia do comunicado divulgado pela Cnova N.V., na qual o GPA detém 34,17% do capital social, sobre potencial projeto para realizar, até o final do ano e sujeito a condições de mercado, oferta primária de ações emitidas pela Cnova N.V. no valor de, aproximadamente, 300 milhões de euros, com o objetivo de acelerar seu crescimento, e incluindo, potencialmente, uma oferta secundária por alguns de seus acionistas.

“O GPA informará aos seus acionistas e ao mercado em geral sobre quaisquer informações adicionais sobre esse projeto”, destacou. Saiba mais clicando aqui.

Equatorial (EQTL3)

O Credit classificou como neutra e em linha com as expectativas a notícia de que a Aneel abriu uma audiência pública sobre a revisão tarifária da Cemar, com uma Parcela B de R$ 1,6 bilhão. O banco ressalta que nas minutas de voto de R$ 4,288 bilhões em base de ativos regulatórios, frente a R$ 4,143 bilhões previstos pelo Credit.

Em curso gratuito de Opções, professor Su Chong Wei ensina método para ter ganhos recorrentes na bolsa. Inscreva-se já.

Ação da Embraer salta 8,8% com possível negociação com indiana; Magalu dispara 8% seguindo techs dos EUA e Usiminas sobe 3,7%

SÃO PAULO – As ações das companhias do setor de varejo com exposição ao e-commerce registraram fortes ganhos na tarde desta quinta-feira (8), com destaque para Magazine Luiza (MGLU3, R$ 21,85, +8,28%), com alta de mais de 8%, Via Varejo, com valorização (VVAR3, R$ 12,92, + 4,96%) de cerca de 5%, e B2W (BTOW3, R$ 63,24, +3,22%) com ganhos de cerca de 3%. Fora do índice, Méliuz (CASH3, R$ 32,49, +8,12%) avançou mais de 8%, enquanto Enjoei (ENJU3, R$ 12,86, +2,06%) se afastou das máximas do dia, mas fechou em alta de cerca de 2%.

O movimento ocorreu com as ações da B3 seguindo Wall Street, com um rali liderado pelo setor de tecnologia, enquanto os rendimentos dos Treasuries davam sequência à retração dos últimos dias, conforme participantes do mercado digeriam a promessa do Federal Reserve de manter sua política monetária estimulativa.

“O impulso para as ações continuará em grande parte devido ao estímulo que foi trazido à economia e aos efeitos multiplicadores que continuarão a manter a economia em movimento”, disse à Reuters Bernard Baumohl, diretor-gerente e economista-chefe global do Economic Outlook Group, em Princeton. “Os retornos do mercado de ações serão melhores do que os da renda fixa.”

Vale ressaltar que, nos últimos meses, os juros dos títulos americanos registraram alta, que poderiam fazer com que investidores migrassem do mercado de ações para o de títulos do Tesouro, considerados um investimento seguro por ser garantido pelo governo, que tem poder de criar impostos para cobrir gastos, se necessário.  Além disso, a alta dos juros tendem a afetar especificamente o setor de tecnologia, que possuem fluxos de caixa mais longos e são mais impactadas pelo aumento nas taxas de juros de longo prazo, para ações de empresas em setores mais tradicionais, que são mais expostas ao ciclo econômico e, portanto, ganham mais com o reaquecimento da economia.

Os ativos da Embraer (EMBR3, R$ 16,08, +8,80%) dispararam, liderando os ganhos do Ibovespa. O portal MoneyControl, da Índia, informou na véspera que a indiana Trujet estaria em negociações com a Embraer e a Airbus para a expansão da frota de 7 aviões para 100 nos próximos três anos. A expectativa mais otimista sobre o avanço da vacinação no mundo, que pode levar a uma retomada das operações das aéreas, também é um fator positivo para as ações EMBR3.

A visão que segue positiva para o segmento de commodities e os dados mostraram redução de estoques na China também guiaram mais uma sessão positiva para as ações de siderúrgicas, com destaque para Usiminas (USIM5, R$ 18,57, +3,74%) e CSN (CSNA3, R$ 41,10, +3,03%), com ganhos de mais de 3%. Ainda no radar, de acordo com distribuidores da Usiminas, a companhia realizará ajustes para a bobina laminada a quente em cerca de 10%, sendo o terceiro aumento do ano, a partir do dia 12 de abril.

A Cielo (CIEL3, R$ 3,83, +3,79%) também avançou, quase 4%. A companhia anunciou parceria com o Google para digitalização de pequenas e médias empresas no Brasil. A iniciativa, aponta a empresa, pode impactar mais de 600 mil negócios, que terão acesso para criar perfil digital, abrir loja virtual e criar campanhas de publicidade online. O acordo ilustra o crescente esforço da Cielo para avançar no mercado de lojistas de menor porte, como parte da meta do presidente-executivo, Paulo Caffarelli, de fazer com que pequenos negócios, que hoje representam 40% do faturamento da empresa, tenham participação equivalente à dos grandes clientes até dezembro.

Entre as empresas de petróleo da B3, a PetroRio (PRIO3, R$ 94,75, +0,16%), após abrir em alta, oscilou entre perdas e ganhos e fechou quase estável. A PetroRio produziu uma média de 33,7 mil barris de óleo equivalente por dia (boe/d) em março, alta de 12,7% ante fevereiro.

PUBLICIDADE

Enquanto isso, a Petrobras (PETR3, R$ 23,40, -1,68%;PETR4, R$ 23,70, -1,25%) teve perdas de mais de 1%. A sessão foi de quase estabilidade para o petróleo, após iniciar o dia com perdas repercutindo os estoques acima do esperado de gasolina nos Estados Unidos. O contrato futuro do petróleo Brent com vencimento para junho fechou com leve alta de 0,06%, a US$ 63,20 o barril, enquanto o WTI para maio caiu 0,28%, a US$ 59,60 o barril.

Ainda no radar da estatal, ontem, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que é inadmissível a Petrobras reajustar o preço do gás com alta de 39%, como anunciou que faria nesta semana. Adicionalmente, o presidente da República cobrou uma maior previsibilidade de reajustes de preços durante uma solenidade da qual também participava o General Joaquim de Silva e Luna, indicado para uma posição do Conselho de Administração e para a Presidência da Petrobras.

Conforme destaca a XP, a notícia vai na linha da visão de que as ações da Petrobras deverão sofrer pressões negativas enquanto houver incertezas a respeito da autonomia de gestão da companhia e da viabilidade de uma política de preços de combustíveis alinhada a referências internacionais de preços de petróleo e câmbio. A recomendação da XP segue de venda para os ativos.

As ações da Dasa (DASA3, R$ 60,00, -16,66%), por sua vez, caíram mais de 15%. Na terça-feira, a empresa de diagnósticos levantou R$ 3,3 bilhões em oferta de ações subsequente precificada a R$ 58 por papel, com um forte desconto em relação ao valor dos papéis negociados até então. Na última quarta-feira, os papéis já haviam despencado 50,01%.

Confira os destaques:

Braskem (BRKM5, R$ 44,00, -1,50%)

A Odebrecht (atualmente Novonor) iniciou novas conversas com possíveis compradores da sua fatia na Braskem, segundo informações do Valor Econômico. A estimativa é que até o fim de 2021 a companhia esteja próxima de assinar um acordo formal de venda do controle da petroquímica, o que fez suas ações subirem forte na véspera, levando a um movimento de correção nesta quinta.

A Petrobras também possui participação relevante na companhia e pode exercer também seu direito de venda (tag along) da sua participação. A antiga gestão da Petrobras já afirmou reiteradas vezes que pretende se desfazer do ativo.

PUBLICIDADE

Segundo a Guide, a notícia é positiva. A recuperação do setor petroquímico, aliado a resolução dos problemas em Alagoas e no México permitem a Odebrecht voltar a buscar um comprador após o fracasso da venda para a LyondellBasel em 2019.

“Esperamos que com o cenário mais aquecido para o setor a companhia possa encontrar mais interessados em assumir o controle da Braskem. Para os acionistas da petroquímica, vemos com bons olhos, visto que nem Petrobras nem Odebrecht possuem interesse em manter investimento no ativo, proporcionando a entrada para um novo controlador, mais alinhado com o interesse dos minoritários. Seguimos com recomendação de compra em Braskem, apesar da forte alta recente”, afirmam os analistas.

Vale  (VALE3, R$ 104,50, -0,06%) , CSN (CSNA3, R$ 41,10, +3,03%) e CSN Mineração (CMIN3, R$ 9,30, -0,85%)

O Credit Suisse comentou o setor de metais e mineração e seu desempenho em 2020. O banco diz que o ano fechou em um tom “muito forte”, com muitas empresas do setor entregando bons resultados no quarto trimestre, e diz que os resultados de 2021 têm sido fortes. O Credit diz esperar que esse ritmo se mantenha em 2021, com alta dos preços do aço. Apesar de altas dos custos, os bons preços devem compensar, levando a aumento das margens. O banco diz que a demanda por minério de ferro da China deve sustentar os preços até 2022, por isso prevê que os preços se mantenham acima de US$ 100 por tonelada entre 2021 e 2022.

O banco aponta que suas ações favoritas no setor são Vale, CSN e CSN Mineração, todas com avaliação em outperform. Para a Vale, reduziu o preço-alvo do ADR de US$ 26 para US$ 25, frente os US$ 18,63 negociados na terça para os papéis VALE na Bolsa de Nova York. Para a CSN, manteve preço-alvo em R$ 58,5, frente a R$ 39,89. E para a CSN Mineração, em R$ 11,5, frente a R$ 9,38.

Por outro lado, no mercado de commodities nesta sessão, os futuros do aço na China tiveram leve baixa, recuando após máximas recorde tocadas na sessão anterior, conforme participantes do mercado davam um passo atrás para avaliar se a forte demanda vista nos últimos dias se sustentará.

Analistas, no entanto, disseram que movimentos para conter a produção siderúrgicas na China– maior produtora e exportadora global de aço– devem limitar qualquer recuo nos preços. O vergalhão de aço para construção na bolsa de futuros de Xangai SRBcv1 encerrou o pregão diurno com queda de 0,2%, a 5.115 iuanes (US$ 781,39) por tonelada.

A robusta demanda doméstica na China alimentou um rali nos preços do aço recentemente, junto com preocupações sobre restrições à produção na China devido a políticas ambientais mais apertadas que limitam a capacidade produtiva de siderúrgicas.

O Bradesco BBI também destaca que os estoques de aço nos mercados chineses continuam caindo em um ritmo acelerado. Os estoques dos cinco principais produtos siderúrgicos diminuíram no período de 1 a 8 de abril, de acordo com a MySteel. “O forte ritmo de desestocagem pode ser atribuído à melhora da demanda doméstica de uso final, bem como à redução da produção de aço. O ritmo de redução de estoque durante as próximas semanas deve continuar a ser um termômetro importante para determinar a força da demanda de aço chinesa”, avaliam os analistas do BBI.

JBS (JBSS3, R$ 31,63, +1,44%)

PUBLICIDADE

A agência de classificação de risco de crédito Moody’s elevou nesta quarta-feira o rating da JBS de Ba2 para Ba1, com perspectiva estável.

Segundo a Moody’s, a decisão reflete o forte desempenho operacional contínuo da companhia, o que levou a uma melhoria na liquidez e menor risco de refinanciamento.

“A JBS implementou uma série de iniciativas para estender os vencimentos da dívida, amortizar dívidas e reduzir os custos de financiamento, apoiada por políticas financeiras claras para exigência de caixa mínimo e alavancagem”, afirmou a agência.

“O ambiente positivo para a indústria de proteínas permitirá que a JBS fortaleça ainda mais seu perfil de negócios, métricas de crédito e liquidez”, acrescentou a Moody’s.

Energisa (ENGI11, R$ 43,47, -0,25%)

A elétrica Energisa informou que obteve aprovação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e lançará uma oferta pública de aquisição de ações (OPA) de emissão da Rede Energia Participações.

A oferta terá preço de R$ 8,42 por ação, observados mecanismos de ajuste que constarão do edital da operação, disse a companhia em comunicado nesta quinta-feira. O edital deverá ser publicado até 19 de abril, segundo a empresa.

Dasa (DASA3, R$ 60,00, -16,66%)

A sessão, que marca a estreia das novas ações da Dasa, é de queda forte mais uma vez para os ativos da companhia. A empresa de diagnósticos levantou R$ 3,3 bilhões em oferta de ações subsequente precificada a R$ 58 por papel.

O preço ficou abaixo da faixa indicativa estimada para o follow on entre R$ 64,90 e R$ 84,50 por ação (valor entre 10% e 36% acima do que foi estabelecido). Também representa um forte desconto, de 59,73%, em relação à cotação de fechamento do papel na terça-feira (6), de R$ 144,01.

Com isso, a sessão de quarta-feira (7) já tinha sido de forte queda para os ativos DASA3, com baixa de 50,01%, a R$ 71,99.

Veja mais clicando aqui. 

Petrobras (PETR3, R$ 23,40, -1,68%;PETR4, R$ 23,70, -1,25%)

A Petrobras informou que assinou acordo judicial com a Eletrobras e a Amazonas Energia para a recuperação de um crédito no valor aproximado de R$ 436 milhões, e disse ainda que o acerto terá impacto positivo de R$ 328 milhões em seu balanço do segundo trimestre. Segundo comunicado da Petrobras, o acordo envolve o recebimento de valores litigados pelas controladas indiretas da petroleira (Breitener Tambaqui e Breitener Jaraqui) em face da Amazonas Energia S/A (devedora) e da Eletrobras (responsável solidária).

Ainda no radar da estatal, Bolsonaro voltou a fazer na quarta críticas a preços praticados pela Petrobras. A empresa teve forte perda de valor em fevereiro, após Bolsonaro demitir o então presidente da empresa, Roberto Castello Branco, e substituí-lo pelo general da reserva Joaquim Silva e Luna. Bolsonaro vinha sendo pressionado por caminhoneiros quanto ao preço do diesel, e havia se mostrado insatisfeito com a alta.

Na quarta, o presidente afirmou que o aumento do preço do gás anunciado pela Petrobras nesta semana, de 39%, é “inadmissível”. Apesar de dizer que não irá interferir na estatal, afirmou que a política de preços da empresa pode mudar.

Bolsonaro disse ainda, em discurso em Foz do Iguaçu, que precisou retirar do Congresso o projeto de lei que alterava a forma de cobrança do ICMS sobre os combustíveis pelos estados, mas que reenviará novamente a proposta em 15 dias.
Segundo o presidente, é preciso previsibilidade para a política de preços da Petrobras e a população não pode viver com a “sanha arrecadatória” do governo federal e dos governos estaduais.

Sobre as declarações de Bolsonaro envolvendo o reajuste de gás e sobre possíveis mudanças na política de preço da Petrobras, a estatal informou que “indagou o seu acionista controlador, por meio do Ministério de Minas e Energia (MME), sobre a existência de informações relevantes que deveriam ser divulgadas ao mercado, e até o momento, não recebeu resposta”.

PetroRio (PRIO3, R$ 94,75, +0,16%)

A PetroRio, por sua vez, produziu uma média de 33,7 mil barris de óleo equivalente por dia (boe/d) em março, alta de 12,7% ante fevereiro.

Em contrapartida, a empresa explicou que a produção do campo de Tubarão Martelo, na Bacia de Campos, foi impactada pela parada de um poço de produção, por falha da bomba centrífuga submersa, causando redução da produção em cerca de 1,4 mil barris/dia.

“A bomba, que estava em operação desde o início da produção do campo, aguarda mobilização da sonda Atlantic Zephyr agora chamada Kingmaker para realização de um workover, previsto para ser concluído em maio/junho”, disse a empresa.

A produção ficou 7% abaixo do esperado pelo Bradesco BBI devido à produção abaixo do esperado nos campos de Tubarão Martelo e Polvo. “Esperamos que a produção do segundo trimestre atinja cerca de 34 mil barris por dia, após a incorporação de uma participação de 100% na Frade ao longo do trimestre e a mitigação parcial do impacto da falha da bomba na produção de TBMT”, afirmam os analistas.

Fleury (FLRY3, R$ 26,75, -0,96%)

A Fleury informou  que seu conselho de administração elegeu Jeane Tsutsui como a nova diretora presidente da companhia. Tsutsui, que há nove anos exercia a posição de diretora, vai substituir Carlos Marinelli, que deixa o cargo após sete anos, afirmou a companhia, adicionando que a transição se dará até o final de abril.

“Com este movimento, iniciamos um novo ciclo de aceleração do crescimento, transformação digital/tecnológica da empresa, com ambição de construir um ecossistema sustentável de saúde, em linha com as melhores práticas ESG”, afirmou o Fleury.

Eletrobras (ELET3, R$ 35,99, +0,87%; ELET6, R$ 36,18, +0,58%)

Em evento online fechado do Bradesco BBI, o relator da medida provisória (MP) de privatização da Eletrobras na Câmara, deputado Elmar Nascimento (DEM-BA), disse a investidores que há “pressão” de parlamentares por mudanças no texto que permitam direcionar mais recursos gerados pela operação para aliviar tarifas de energia. A fala sobre possíveis alterações na MP, enviada pelo presidente Bolsonaro ao Congresso em fevereiro, vem em momento em que há projeções de forte alta das contas de luz em 2021.

O Itaú BBA ajustou suas estimativas para a Eletrobras em 2021, reduzindo o preço-alvo de ELET3 de R$ 56 para R$ 53, frente aos R$ 35,68 negociados na véspera, e manteve a avaliação em outperform. O banco diz que vê um bom cenário de valorização, com fortes ganhos caso a empresa seja privatizada, e pouca perspectiva de desvalorização, caso a privatização não ocorra. O cenário de maior valorização do banco é de preço das ações em R$ 64; e o pior cenário, de R$ 29.

Cielo (CIEL3, R$ 3,83, +3,79%)

A Cielo  anunciou parceria com o Google para digitalização de pequenas e médias empresas no Brasil. A iniciativa, aponta a empresa, pode impactar mais de 600 mil negócios, que terão acesso para criar perfil digital, abrir loja virtual e criar campanhas de publicidade online.

A parceria integra a ferramenta Google Meu Negócio, plataforma gratuita criada pela gigante de internet para empreendedores e que permitirá a gestão do perfil da empresa na busca e no Google Maps. Ao se credenciar à Cielo, a empresa pode autorizar a credenciadora de cartões usar o cadastro para criar o perfil.

O acordo ilustra o crescente esforço da Cielo para avançar no mercado de lojistas de menor porte, como parte da meta do presidente-executivo, Paulo Caffarelli, de fazer com que pequenos negócios, que hoje representam 40% do faturamento da empresa, tenham participação equivalente à dos grandes clientes até dezembro.

Eletromidia (ELMD3, R$ 16,98, -0,70%)

O Itaú BBA iniciou a cobertura da Eletromidia, com recomendação outperform (perspectiva de valorização acima da média do mercado) e preço-alvo de R$ 24,50, frente aos R$ 17,10 de fechamento na terça. O banco posiciona a empresa entre suas top picks (opções favoritas) no setor de tecnologia, mídia e telecomunicações da América Latina.

O banco diz que a Eletromidia é um negócio de alto crescimento, com margens saudáveis e forte geração de caixa do setor de publicidade. O Itaú diz que a crise da Covid afetou a empresa, com a mobilidade abaixo do nível pré-pandemia. Mas diz esperar uma forte recuperação em 2022, com alguns segmentos melhorando. Concessões públicas e fusões e aquisições podem ampliar as previsões sobre a empresa.

Entenda o método para realizar análises e não se perder em momentos turbulentos. A série gratuita One Good Trader, com Gilberto Coelho, te ensina como – inscreva-se!

Dasa levanta R$ 3,3 bilhões em oferta de ações, a R$ 58 por ativo; papéis caem mais de 40%

A Diagnósticos da América (DASA3) levantou R$ 3,3 bilhões em oferta de ações subsequente precificada a R$ 58 por papel na véspera, de acordo com fato relevante do grupo de medicina diagnóstica nesta quarta-feira à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O preço ficou abaixo da faixa indicativa estimada para o follow on entre R$ 64,90 e R$ 84,50 por ação (valor entre 10% e 36%). Também representa um forte desconto, de 59,73%, em relação à cotação de fechamento do papel na véspera, de R$ 144,01.

No início da sessão desta quarta-feira, os papéis DASA3 caíam mais de 40% em meio ao forte desconto. Às 10h25 (horário de Brasília), a baixa era de 47,23%, a R$ 76.

A operação era considerada um re-IPO dada a baixa liquidez das ações.

A oferta consistiu na distribuição primária de 57.010.786 ações. Não foram exercidos o lote adicional de ações, de 20%, tampoucou a distribuição secundária de 2.081.636 papéis.

Bradesco BBI, BTG Pactual, Bank of America, Credit Suisse, Morgan Stanley, Safra, Santander Brasil e Itaú BBA foram os coordenadores.

(com Reuters)

Entenda o método para realizar análises e não se perder em momentos turbulentos. A série gratuita One Good Trader, com Gilberto Coelho, te ensina como – inscreva-se!