PetroRio interliga campos de Polvo e Tubarão Martelo, vê corte de custos de US$ 50 milhões ao ano e reduz riscos

A petroleira PetroRio (PRIO3) informou na quarta-feira que concluiu a interligação entre os campos de Polvo e Tubarão Martelo, em movimento que cria um polo (cluster) de produção de campos maduros na Bacia de Campos e deve representar uma economia de US$ 50 milhões por ano para a empresa.

Segundo a companhia, a redução de custos operacionais corresponde ao valor de leasing da plataforma FPSO Polvo, atualmente afretada ao campo, e gastos com manutenção e diesel. O projeto, que teve duração de 11 meses e custo de 45 milhões de dólares, interliga a plataforma Polvo-A e o FPSO Bravo.

O custo total de operação do cluster, que estava em cerca de US$ 120 milhões por ano, será reduzido para aproximadamente US$ 70 milhões por ano, disse a empresa em fato relevante.

“A redução dos custos absolutos do novo cluster permitirá que mais óleo seja recuperado nos reservatórios, durante um maior período, aumentando consideravelmente o fator de recuperação dos campos”, acrescentou a Petro Rio.

A petroleira informou ainda que, a partir desta data, passará a ter direito sobre 95% do óleo do polo Polvo + Tubarão Martelo até os primeiros 30 milhões de barris de óleo produzido, e 96% após 30 milhões de barris, assim como será responsável por 100% dos custos de Opex, Capex e abandono dos campos.

O Itaú BBA avalia a notícia como positiva e aponta que, apesar da interligação já estar contemplada no modelo do banco, a conclusão do projeto reforça a capacidade de execução da PetroRio. A percepção do mercado sobre os riscos de execução de projetos futuros (como a ligação Frade-Wahoo) também deve melhorar à medida que a empresa continua a construir credibilidade.

“Acreditamos que o foco do mercado agora se voltará para a estabilização da produção do cluster Polvo e TBMT. Uma vez que o gargalo potencial tenha sido deixado para trás, esperamos que o foco retorne ao crescimento inorgânico potencial – em que a empresa entregou uma criação de valor significativa nos últimos anos – dado que os marcos para Frade-Wahoo só devem ser alcançados em 2024”, apontam os analistas.

O Bradesco BBI, por sua vez, destaca que a redução de custos para o novo cluster permitirá que mais óleo seja recuperado por períodos mais longos, aumentando o fator de recuperação nos campos.

De acordo com o relatório de certificação de reservas publicado este ano pela DeGolyer & MacNaughton, o cluster agora tem vida econômica até 2037 (considerando as reservas 1P), o que representa uma extensão de 10 anos para Polvo e 12 anos para Tubarão Martelo.

PUBLICIDADE

“Este é um marco importante de redução do risco para a PetroRio. Além da redução significativa de custos, o FPSO Bravo em operação é relativamente novo (construído em 2012), tem alta confiabilidade operacional e permitirá maior eficiência operacional no campo de Polvo”, afirmam os analistas.

(com Reuters)

Quer entender o que é o mercado financeiro e como ele funciona? Assista à série gratuita “Carreira no Mercado Financeiro” e conheça o setor da economia que paga os melhores salários de 2021.

JBS oferta US$ 1 bi em títulos, paralisação de avicultores ligados à BRF, dados de produção de PetroRio e Dommo e mais

SÃO PAULO – O noticiário corporativo tem entre os destaques a aquisição da Gol em meio aos recentes movimentos para a consolidação do setor aéreo.

Já a Vale informou que liquidará antecipadamente passivo de cerca de US$ 2,5 bilhões referente ao project finance do Corredor Logístico de Nacala (CLN), que atende a um projeto de carvão em Moçambique.

No setor de frigoríficos, a companhia de alimentos JBS anunciou na véspera que emitiu e precificou uma oferta de US$ 1 bilhão no mercado internacional em títulos ligados à sustentabilidade, que estão atrelados ao compromisso de redução de emissões de gases de efeito estufa pela empresa. Já os produtores de frango integrados à BRF localizada em Lucas do Rio Verde (MT) decidiram em assembleia paralisar os alojamentos de pintainhos para engorda e abates a partir da próxima segunda-feira, em meio a reivindicações por reajustes de preços devido ao aumento de custos, conforme associação local.

Atenção ainda para os dados de produção de petróleo da Dommo e da PetroRio.

Destaque para a CSN: a companhia confirmou nesta quarta que existem tratativas a respeito de eventual aquisição da Elizabeth Cimento, pertencente ao fundo Farallon, mas ponderou que até o momento, não há documento vinculante acerca de tal aquisição. De acordo com reportagem do Valor Econômico nesta quarta-feira, o valor do negócio pode variar de US$ 200 milhões a US$ 250 milhões. A cimenteira tem fábrica no Estado da Paraíba.

Confira os destaques:

Em meio às notícias da Azul (AZUL4) em busca de comprar as operações da Latam Brasil, a Gol Linhas Aéreas  anunciou na noite de terça a aquisição da MAP Transportes Aéreos, aérea doméstica com rotas regionais e do Aeroporto de Congonhas em São Paulo, por R$ 28 milhões em dinheiro e ações.

Segundo a empresa aérea, o pagamento será composto por 100.000 ações GOLL4 a R$ 28/ação e R$ 25 milhões em dinheiro a serem pagos em 24 parcelas mensais, após cumpridas todas as condições precedentes.

O Bradesco BBI ressalta que, com a aquisição, a Gol fortalece sua posição no mercado de aviação regional.  A Gol espera três benefícios principais com a operação: 1) expansão de sua malha aérea, 2) substituição dos sete ATRs por B737-700s e aumento da capacidade nas rotas regionais e 3) ganho de escala no aeroporto de Congonhas.

PUBLICIDADE

“A notícia é positiva para a Gol, pois a empresa também está ajudando a consolidar o mercado brasileiro de aviação civil e, consequentemente, melhorando a rentabilidade”, apontam Victor Mizusaki e Pedro Fontana, analistas do BBI. De acordo com as estimativas dos analistas, o preço de aquisição, de R$ 128 milhões do valor de mercado mais dívidas (EV) terá um impacto menor de 0,6% na dívida líquida da Gol, que fechou o primeiro trimestre a R$ 17,9 bilhões, que é ajustada pelo desembolso de caixa de R$ 744 milhões para concluir a deslistagem da Smiles e entrada de caixa de R$ 512 milhões referente ao aumento de capital.

Já o Credit Suisse destaca que a Gol acrescentou em seu anúncio que considera a aquisição do MAP o único movimento racional de fusão e aquisição a ser feito neste ponto no segmento de aviação civil brasileira, e agora terá como foco o crescimento orgânico. O Credit possui recomendação neutra para as ações GOLL4, com preço-alvo de R$ 19, o que representa um valor 30% menor do que o fechamento de terça-feira, de R$ 27,20. Já o BBI, também com recomendação neutra, tem preço-alvo de R$ 24 por ativo, ou 11,75% menor frente o fechamento da véspera.

Ainda no radar do setor, o Bradesco BBI classificou como negativa para as aéreas brasileiras a notícia de que o governo dos Estados Unidos flexibilizou as recomendações de viagens para turistas de 61 países, mas não para o Brasil, que permanece sob os níveis mais restritivos. O banco diz que as restrições devem continuar a atrasar a recuperação do mercado internacional.

A Vale informou que liquidará antecipadamente passivo de cerca de US$ 2,5 bilhões referente ao project finance do Corredor Logístico de Nacala (CLN), que atende a um projeto de carvão em Moçambique.

Com a liquidação, prevista para 22 de junho, a companhia disse que terá cumprido todas as condicionantes para a conclusão da compra da participação da Mitsui 8031.T na mina de carvão de Moatize e no CLN. O pagamento era necessário uma vez que as condições do project finance não permitiam que a Mitsui vendesse sua participação, segundo explicou a assessoria de imprensa.

A Vale havia publicado em janeiro a assinatura de acordo com a Mitsui para a compra dos ativos, quando também informou sua intenção de desinvestir do negócio no futuro.

“Com a simplificação da governança e da gestão dos ativos, a Vale dá continuidade ao processo de desinvestimento responsável da sua participação no negócio de carvão, pautado na preservação da continuidade operacional da mina de Moatize e do CLN”, afirmou a Vale no comunicado desta terça-feira.

A XP reiterou perspectiva positiva para a Vale, uma vez que o acordo representa mais um passo para o desinvestimento responsável da Vale no negócio de carvão, com a simplificação da governança e gestão dos ativos. “Temos a recomendação de Compra para Vale com preço-alvo de R$ 122 por ação”, apontam os analistas.

PUBLICIDADE

Ainda no radar da Vale, os futuros do minério de ferro avançaram nesta quarta-feira, com o contrato de referência na bolsa chinesa de Dalian chegando a subir 5,4% após três dias de baixa, à medida que preocupações com a oferta impulsionaram as cotações do material usado na fabricação do aço. O contrato mais negociado do minério de ferro na bolsa de commodities de Dalian DCIOcv1, para entrega em setembro, encerrou o pregão diurno com alta de 4%, a 1.175 iuanes (US$ 183,78) por tonelada, após chegar a saltar mais cedo para 1.191,50 iuanes.

O contrato para julho na bolsa de Cingapura SZZFN1 subia mais de 2%, para cerca de US$ 205 por tonelada. O minério de ferro fechou com ganhos mesmo após nova promessa do órgão de planejamento da China de ampliar o monitoramento dos preços das commodities e a fiscalização do mercado.

As preocupações com a oferta de minério de ferro na China também impulsionaram os preços spot, com o minério teor de 62% avançando para US$ 209 por tonelada na terça-feira, maior nível desde 19 de maio, segundo dados da consultoria SteelHome.

A companhia de alimentos JBS anunciou na véspera que emitiu e precificou uma oferta de US$ 1 bilhão no mercado internacional em títulos ligados à sustentabilidade, que estão atrelados ao compromisso de redução de emissões de gases de efeito estufa pela empresa.

Segundo comunicado ao mercado, as chamadas “Sustainability-Linked Unsecured Senior Notes” foram emitidas pelo valor de face de US$ 98,913, com yield de 3,75% ao ano, cupom de 3,625% ao ano e vencimento em 2032. A emissão foi realizada no mesmo dia em que a agência Fitch Ratings elevou a classificação de risco da companhia brasileira de carnes para grau de investimento.

Os produtores de frango integrados à BRF localizada em Lucas do Rio Verde (MT) decidiram em assembleia paralisar os alojamentos de pintainhos para engorda e abates a partir da próxima segunda-feira, em meio a reivindicações por reajustes de preços devido ao aumento de custos, conforme associação local.

Com aumento nas despesas operacionais das granjas, como combustíveis e energia elétrica, os integrados solicitam elevação de 10% a 12% no preço pago pelo animal.

A CSN confirmou nesta quarta-feira que existem tratativas a respeito de eventual aquisição da Elizabeth Cimento, pertencente ao fundo Farallon, mas ponderou que até o momento, não há documento vinculante acerca de tal aquisição.

PUBLICIDADE

Mais cedo, o jornal Valor Econômico tinha informado que  o empresário Benjamin Steinbruch, principal acionista e presidente da Companhia Siderúrgica Nacional estaria em negociações avançadas para compra da Elizabeth Cimento, que tem fábrica no Estado da Paraíba. A cimenteira pertence ao fundo Farallon, que recebeu o ativo como pagamento de dívidas da família Crispin, dona da Cerâmica Elizabeth.

O valor do negócio pode variar de US$ 200 milhões a US$ 250 milhões – pelo tamanho da unidade fabril, qualidade do ativo, mercado na região Nordeste e grau de concorrência, de acordo com fontes ouvidas pelo jornal. Uma fábrica nova, de 1 milhão de toneladas de capacidade, custa pelo menos US$ 230 milhões.

BTG Pactual (BPAC11)

O BTG Pactual fixou o preço de sua oferta primária de units a R$ 122,01 cada na terça-feira, levantando R$ 2,98 bilhões, de acordo com fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Foi o segundo follow-on do banco neste ano e o BTG planeja usar os recursos para impulsionar o crescimento do banco de varejo. O preço representa um desconto de 1,2% em relação à cotação de fechamento da véspera.

BTG Pactual, Bradesco BBI, Itaú BBA, Santander Brasil e UBS BB coordenaram a oferta com esforços restritos, que compreendeu a distribuição de 24,402 milhões de units, incluindo lote adicional.

PetroRio (PRIO3)

A produção de barris de petróleo da PetroRio teve queda de 4,88% em maio frente abril, totalizando produziu 30.013 barris no mês passado. A companhia destacou que “a produção do Campo de Frade no mês de maio foi impactada por uma parada programa da para manutenção no FPSO Frade, finalizada em 7 de maio”.

Dommo Energia (DMMO3)

A Dommo Energia informou que a sua produção de petróleo do Campo de Tubarão Martelo (TBMT) subiu 3,43% em maio na comparação com abril, totalizando 44.201 barris.

“Conforme informado pelo operador do TBMT, desde fevereiro, a produção está sendo impactada pela parada na produção do poço TBMT-8H, por falha da bomba centrífuga submersa (BCS), que estava em operação desde o início da produção do Campo, causando redução da produção em cerca de 1,4 kbbld. A sonda Kingmaker foi mobilizada para a realização de workover na bomba, com conclusão prevista para meados de junho”, apontou.

A Petrobras informou que uma oferta lançada por sua subsidiária Petrobras Global Finance para recompra de títulos emitidos no mercado internacional atraiu investidores com volume de principal superior a US$ 2 bilhões.

A companhia havia se disposto a adquirir títulos até um montante total de US$ 2,5 bilhões e a demanda superou esse limite, o que fez com que o volume ofertado para alguns títulos não fosse aceito, disse a estatal em comunicado na noite de terça-feira.

“O volume de principal validamente entregue pelos investidores, excluindo juros capitalizados e não pagos, foi de 2,115 bilhões de dólares. Adicionalmente, há um montante equivalente a 21,365 milhões ainda sujeito à validação de acordo com os termos da operação”, afirmou.

O pagamento aos investidores que tiveram títulos entregues e aceitos para recompra ocorrerá em 11 de junho.

A Petrobras realizou no início deste mês a emissão de uma nova série de títulos no mercado internacional, com vencimento em 2051 e volume total de US$ 1,5 bilhão, sendo que parte dos recursos serão utilizados para bancar a oferta de recompra.

O relator da medida provisória de privatização da Eletrobras no Senado, Marcos Rogério (DEM-RO), afirmou em entrevista coletiva na terça após reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, que se comprometeu com o governo federal a apresentar seu parecer ainda nesta semana, acrescentando que espera votá-lo no máximo até o início da próxima.

O cronograma mencionado pelo senador acompanha as expectativas do governo, que deseja ver a operação de capitalização da elétrica estatal aprovada antes do vencimento da MP, em 22 de junho. Marcos Rogério disse ainda que está ouvindo sugestões, mas que a ideia é trabalhar com o texto aprovado pela Câmara dos Deputados sem grandes alterações.
Em evento transmitido on-line pelo Bradesco BBI, o secretário de Desestatização do Ministério da Economia, Diogo Mac Cord, disse que governo está alinhado à proposta de privatização. “Uma primeira versão do substituto (à MP) tinha problemas graves. Todos eles, sem exceção, foram superados”, afirmou.

Mas petroleiras com atuação no Brasil acreditam que a contratação compulsória de térmicas pelo governo, nas regras do atual texto MP, ameaça a ampliação e o estímulo ao uso do gás nacional e pode gerar perdas ao país de R$ 600 milhões por ano em royalties.

“Se o ponto for estimular o consumo de gás nacional, essas térmicas não vão fazer isso”, disse à agência internacional de notícias Reuters a nova diretora de gás natural do IBP (Instituto Brasileiro do Petróleo), que representa as petroleiras no país, Sylvie D’Apote.

Banco do Brasil (BBAS3)

A Fitch reafirmou na terça-feira o rating BB- da Caixa Econômica Federal, com perspectiva negativa. Em comunicado, a agência de classificação de risco afirmou que a nota de crédito da instituição financeira é apoiada pelo rating soberano do Brasil.

“Na opinião da Fitch, há uma alta propensão do governo em fornecer suporte em caso de necessidade, dada a propriedade do governo federal do banco, seu papel fundamental na implementação das políticas econômicas do governo e a importância sistêmica do banco”, ressaltou a agência.

Segundo a Fitch, a perspectiva negativa reflete a posição financeira potencialmente “mais fraca” do Brasil, o que poderia prejudicar a capacidade do governo federal de fornecer apoio à Caixa. No dia 27 de maio, a Fitch também reafirmou o rating soberano BB- do Brasil, com perspectiva negativa.

Iochpe Maxion (MYPK3) e Tupy (TUPY3)

O Bradesco BBI comentou os dados sobre produção de veículos da Anfavea (Associação Brasileira de Fabricantes de Carros), que informou a produção de 192,8 mil unidades em maio de 2021, frente a 43 mil no mesmo período de 2020. Na comparação mensal, a produção de caminhões ficou estável, enquanto que a de veículos leves caiu 4% e a de ônibus caiu 16%.

A Anfavea afirma esperar que a escassez de semicondutores seja normalizada no início de 2022. Na avaliação do banco, a escassez, combinada a paradas na produção de GM, Nissan e Volkswagen, deve reduzir em um corte de 7% na produção de veículos leves, para 2,1 milhão de carros em 2021, frente à previsão de 2,3 milhões.

O Bradesco BBI mantém recomendação outperform (expectativa de valorização acima da média do mercado) e preferência no setor latinoamericano de bens de capital para Iochpe, com preço-alvo de R$ 21; e para a Tupy, com preço-alvo de R$ 34.

O Itaú BBA iniciou a cobertura da Modalmais, com avaliação outperform e preço-alvo para 2021 de R$ 27 para os papéis MODL11, ante o fechamento na terça por R$ 17,35, ou alta de 55,62%.

O banco afirma que a Modalmais é uma plataforma de investimentos lucrativa, com 1,3 milhão de clientes, com crescido rápido, exposta à tendência de aprofundamento do mercado financeiro brasileiro.

O banco afirma que os brasileiros têm investido cada vez mais, e que a Modalmais construiu um ecossistema sofisticado para monetizar essa tendência, com uma margem líquida de 19% no primeiro trimestre de 2021.

Cosan (CSAN3), BR Distribuidora (BRDT3) e Ultrapar (UGPA3)

O Bradesco BBI comentou os volumes de combustíveis medidos para a semana encerrada em 6 de junho, com alta de 10% na comparação anual, e de 1,4% na comparação semanal, apesar do feriado. A Raízen, joint venture entre Cosan e Shell, continua a ter desempenho superior ao da concorrência, com alta de 18% nos volumes na comparação anual, para a semana encerrada em 6 de junho. Os volumes da BR Distribuidora subiram 8%, e os da Ipiranga, empresa da Ultrapar, 6%, na mesma comparação. Os de postos sem marcas subiram 11%.

Em média, os preços da gasolina caíram R$ 0,01 por litro em relação à semana anterior, encerrada em 30 de maio. O prêmio frente ao ajuste das refinarias caiu de R$ 0,015 por litro em 30 de maio para R$ 0,14 por litro.

BKBR (BKBR3), Arcos Dourados (NYSE: ARCO), Alsea (BMV: ALSEA)

O Morgan Stanley afirma que o mês de maio teve principalmente tendências positivas para o setor de restaurantes da América Latina, com os níveis de mobilidade próximos àqueles em que as empresas recuperadas se aproximam de níveis pré-Covid. O México está à frente nesse processo de recuperação, com resultados positivos em refeições casuais.

A mobilidade no Brasil esteve 23% menor em maio, frente à queda de 32% em abril e de 45% em março. O nível é similar àquele de outubro de 2020, quando a venda das empresas recuperadas se aproximou dos níveis anteriores à pandemia, impulsionados por drive-thrus e entregas. O banco diz esperar que o avanço da vacinação e a queda do uso de leitos de UTI continuem a impulsionar a mobilidade no país, mas diz não descartar uma nova onda de Covid.

O banco diz esperar que a Arcos Dourados, dona do McDonald’s no Brasil, e a BKBR, dona do Burger King no Brasil, comecem a apresentar resultados significativamente melhores, em especial no caso da Arco, que é menos exposta a shoppings, com mais pontos de entrega. BKBR e Alsea são as top picks do Morgan Stanley para o setor na América Latina.

Carrefour Brasil (CRFB3)

O Carrefour Brasil comunicou nesta quarta-feira que está avançando nas tratativas com autoridades e associações civis para a celebração de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) envolvendo R$ 120 milhões relacionado à morte de um cliente negro em uma loja da rede no Rio Grande do Sul, no ano passado.

João Alberto Silveira Freitas foi espancado até a morte em novembro por seguranças que atuavam em uma loja Carrefour localizada no bairro de Passo D’Areia, em Porto Alegre. De acordo com o varejista, os recursos, que serão desembolsados ao longo dos próximos anos, já estão majoritariamente provisionados pela companhia.

A XP iniciou cobertura para a Arezzo com recomendação de compra e preço-alvo de R$ 110,0 por ação para o fim de 2021.

“Nós temos uma visão construtiva uma vez que (i) ela é uma empresa de alta qualidade com perspectivas sólidas de crescimento orgânico além de contar com diversas opcionalidades de crescimento (com a entrada em infantil, chinelos e vestuário feminino); (ii) ela está bem posicionada para se beneficiar da retomada/recuperação econômica dado que acreditamos que a categoria de calçados foi duramente despriorizada em 2020, principalmente no que diz respeito a sapatos sociais/casuais (foco da Arezzo); e (iii) o papel está negociando 25,2 vezes a relação preço sobre lucro (P/L) esperada para 2022, o que é um desconto de 20% versus a média de 3 anos e um desconto e 8% aos pares”, avaliam.

IPOs no radar

A rede de clínicas de tratamento contra o câncer Oncoclínicas pediu na terça registro para realizar oferta inicial de ações, em busca de recursos para financiar planos de expansão. Criada em 2010 em Belo Horizonte (MG), a companhia se apresenta como a maior rede privada da América Latina de tratamento no setor em receita, tendo 69 unidades, incluindo clínicas e laboratórios localizadas em 20 cidades no Brasil.

A provedora de soluções antifraude digital Clear Sale pediu na véspera registro para realizar um oferta inicial de ações, em busca de recursos para financiar crescimento orgânico e via aquisições. Criada em 2001 e com 2.500 funcionários, a Clear Sale tem operação maior na autenticação de pagamentos de compras online feitas com cartão de crédito e na autenticação de identidade online. No prospecto preliminar da operação, a Clear Sale diz que no fim de março tinha mais de 4.800 clientes ativos em mais de 160 países, a partir de unidades de Brasil, México e Estados Unidos.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

M. Dias Branco lucra 89% menos no 1º tri; CSN vende 56 mi ações da Usiminas, produções de PetroRio e Dommo e mais notícias

SÃO PAULO – O noticiário corporativo é movimentado desta segunda-feira (10). Em destaque, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) informou na sexta-feira que vendeu 56 milhões de ações preferenciais da Usiminas, reduzindo sua fatia para 10,07% desta classe de papéis.

Destaque ainda para a repercussão do balanço da M. Dias Branco, líder nos mercados de biscoitos e massas do Brasil, que registrou lucro líquido de R$ 15 milhões no primeiro trimestre de 2021, forte queda de 89% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a chegada da pandemia da Covid-19 gerou uma corrida por produtos no varejo.

Ainda na temporada de balanços,  Direcional, Log-In, Lojas Marisa, Mitre Realty, Intelbras, Aura Minerals, Blau Farmacêutica, Itaúsa e Petz divulgam resultados após o fechamento do mercado.

Na semana, o principal resultado divulgado será da Petrobras, mas também estão previstos relatórios trimestrais de grandes empresas, como Telefônica Brasil, Suzano, JBS, Natura e Magazine Luiza. Confira no que ficar de olho:

M.Dias Branco (MDIA3)

A M. Dias Branco, líder nos mercados de biscoitos e massas do Brasil, registrou lucro líquido de R$ 15 milhões no primeiro trimestre de 2021, forte queda de 89% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a chegada da pandemia da Covid-19 gerou uma corrida por produtos no varejo.

Neste ano, o aumento de custos relacionado à valorização do dólar ante o real e aos preços de alguns de seus principais insumos, como o trigo, pressionou as margens da empresa.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) recuou 79,3% no período, para R$ 47,4 milhões. A receita líquida baixou 8,9% no ano a ano, para R$ 1,49 bilhão.

Somente o câmbio gerou um efeito negativo de mais de R$ 100 milhões sobre o resultado operacional do trimestre.

Do ponto de vista das despesas, dados do balanço financeiro da M. Dias mostram que o preço médio de aquisição de trigo para formação de estoques subiu 21,4% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período de 2020, e encerrou março no pico de US$ 241 por tonelada.

PUBLICIDADE

O diretor financeiro ressaltou que a empresa tem adotado uma política de hedge para limitar o efeito da variação cambial, mas como a estratégia começou em julho do ano passado não foi possível fixar a cotação do dólar abaixo de R$ 5.

O volume total de vendas registrou baixa de 25,2% no ano a ano, para 356,4 mil toneladas, puxada tanto pelo segmento de massas (-31,7%) quanto de biscoitos (-29,7%).

O Bradesco BBI afirmou que os resultados da M Dias Branco ficaram significativamente abaixo da expectativa do mercado. Mas diz avaliar que o consenso do mercado para 2022 parece excessivamente pessimista. Assim, manteve avaliação outperform (perspectiva de valorização acima da média do mercado), e preço-alvo de R$ 34, alta de 31% frente aos R$ 26 de fechamento na sexta.

CSN (CSNA3) e Usiminas (USIM5

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) informou nesta sexta-feira que vendeu 56 milhões de ações preferenciais da Usiminas, reduzindo sua fatia para 10,07% desta classe de papéis.

Leia mais: CSN começa a se desfazer de suas ações da Usiminas

“A companhia avaliará alternativas estratégicas para a destinação dos recursos financeiros provenientes dessa venda”, disse a CSN por meio de fato relevante. Segundo cálculos da Reuters, a operação movimentou cerca de R$ 1,3 bilhão, de acordo com cálculos da Reuters com base no preço de fechamento do papel na B3, de R$ 23,14 cada.

O Cade já havia determinado que a CSN deveria se desfazer das suas ações de Usiminas, contudo, com a grande desvalorização da companhia nos últimos anos, a CSN conseguiu postergar o prazo. As ações da Usiminas subiram 147% desde 2020 (alta de 407% nos últimos 12 meses) impulsionadas pela forte demanda por aço e minério de ferro. Os analistas da XP possuem recomendação de compra para CSN, com preço-alvo de R$ 55 por ação.

Qualicorp (QUAL3)

A Qualicorp comunicou nesta segunda-feira que concluiu a operação com a Muito Mais Saúde Administradora de Benefícios (MMS) e a Soma Corretora para aquisição de contratos de planos privados de assistência à saúde e odontológica coletivos celebrados entre a MMS e as operadoras de planos de saúde Grupo Notre Dame Intermédica, Assim Saúde e Amil.

PUBLICIDADE

“Com o fechamento da transação, a carteira adquirida adicionou ao portfólio da Companhia cerca de 52 mil novas vidas, no segmento coletivo por adesão, localizadas nos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo e atendidas pelas operadoras”, afirmou a Qualicorp em fato relevante à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Vale (VALE3) e siderúrgicas

Os futuros do aço e do minério de ferro de referência na China tocaram máximas históricas nesta segunda-feira, em meio a uma demanda robusta e preocupações com a oferta, além de expectativas de alta na inflação que também ajudaram a alimentar compras especulativas.

Os índices de utilização da capacidade dos altos-fornos em 247 siderúrgicas pela China saltaram para 90,59% na semana passada, maior nível desde o início de março, mostraram dados da consultoria Mysteel.

Os futuros mais ativos do minério de ferro na bolsa de commodities de DalianDCIOcv1, para entrega em setembro, saltaram 10%, para máxima recorde de 1.326 iuanes (US$ 206,30) por tonelada.

Na bolsa de Cingapura, o contrato junho do minério de ferro SZZFM1 subiu 9,5%, para 224,65 dólares por tonelada.

“Atualmente, participantes do mercado estão negociando derivativos de minério de ferro como criptomoedas… não com base nos fundamentos, só pela força do momento”, disse Atilla Widnell, da Navigate Commodities.

Os preços do aço na bolsa de futuros de Xangai e os mercados spot também foram apoiados pelo aumento nos custos das matérias-primas. (confira o impacto da alta do minério no resultado das empresas e o cenário para ela clicando aqui e aqui).

A Gol informou que a demanda por seus voos em abril foi 36% menor do que em março, para 739 mil assentos, com os setor aéreo sendo afetado por uma segunda onda de infecções pela Covid-19 no Brasil.

PUBLICIDADE

No comparativo anual, porém, a demanda foi 289% superior, já que abril do ano passado marcou um dos piores momentos da pandemia, com as aviação comercial quase toda paralisada diante do início da disseminação do coronavírus pelo país. No mês passado, a Gol manteve suspensos todos os seus voos internacionais.

A oferta de assentos pela companhia em abril, de 893 mil, foi 273,5% maior ano a ano, mais caiu 44,5% em relação a março. Com isso, a taxa de ocupação das aeronaves no mês passado foi de 82,8%, aumento de 3,3 pontos em um ano e de 4 pontos na base sequencial.

PetroRio (PRIO3)

A petroleira brasileira PetroRio produziu em abril 31,55 mil barris de óleo equivalente por dia (boe/d), queda de 6,4% ante março, com impacto de paradas para manutenção, informou a companhia em comunicado ao mercado.

A produção do campo de Frade, na Bacia de Campos, em abril, foi afetada por uma parada programada para manutenção no FPSO Frade, que teve início no dia 28 daquele mês e terá duração de oito dias, disse a PetroRio.

A empresa pontuou ainda que a produção de março e abril, no campo de Tubarão Martelo, na Bacia de Campos, foi impactada por uma parada na produção do poço TBMT-8H, devido a uma falha da bomba centrífuga submersa, causando redução da produção em cerca de 1,4 mil barris por dia.

“A bomba, que estava em operação desde o início da produção do campo, aguarda mobilização da sonda Atlantic Zephyr (agora chamada Kingmaker) para realização de um workover, previsto para ser concluído em maio/junho”, disse a empresa.

No primeiro trimestre, a produção média da PetroRio havia sido de 31,32 mil boe/d no primeiro trimestre do ano.

Dommo Energia (DMMO3)

A Dommo Energia informou, conforme dados do operador, que a produção de óleo do Campo de Tubarão Martelo atribuída à companhia foi de 42.734 barris em abril de 2021, queda de 4% ante os 44.548 barris registrados em março.

“Conforme informado pelo operador do TBMT, a produção nos meses de março e abril foi impactada pela parada na produção do poço TBMT-8H por falha da bomba centrífuga submersa (BCS), causando redução da produção em cerca de 1,4 kbbl por dia. A bomba, que estava em operação desde o início da produção do Campo, aguarda mobilização da sonda Atlantic Zephyr (agora chamada Kingmaker) para realização de um workover, previsto para ser concluído em maio/junho. O preço de referência mais recente fixado pela ANP para TBMT é US$ 57,76 por barril”, destacou a companhia.

Banco do Brasil (BBAS3)

O BB aprovou a distribuição de R$ 212,1 milhões em dividendos e R$ 970,47 milhões em JCP complementar, com pagamento em 28 de maio.

Rede D’Or (RDOR3)

O grupo hospitalar Rede D’Or anunciou na sexta que fechou acordo por meio do qual terá 20 de seus hospitais e um centro oncológico para atender clientes de plano de saúde da Amil. Segundo fato relevante, as unidades da Rede D’Or passarão a atender cerca de 1,3 milhão de beneficiários da Amil do Distrito Federal e dos Estados de Rio de Janeiro e São Paulo a partir de 10 de maio.

“Consideramos o acordo positivo, pois deve sustentar um dos pilares da nossa tese de investimento para a empresa – o crescimento da taxa de ocupação de leitos”, destaca a XP, que reitera a recomendação de compra para RDOR3 com preço-alvo de R$ 85 por ação.

A Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais) informou que pagará juros sobre o capital próprio referentes ao primeiro trimestre de 2021 no valor bruto de R$ 64,843 milhões, o equivalente a R$ 0,1710101176 por ação.

Confira a agenda corporativa prevista para a semana:

  • 10/maio: Alupar, Direcional, Itaúsa, Linx, Lojas Marisa, Mitre, Mobly divulgam balanço 1T21
  • 11/maio: Banco Inter, BR Distribuidora, BTG Pactual, Carrefour Brasil, Espaçolaser, Klabin, LPS, Marfrig, Notre Dame Intermédica, Raia Drogasil, Santos Brasil, Sul América, Telefônica, Vulcabrás, Wilson Sons divulgam resultados trimestrais
  • 11/maio: Definição do preço por ação em IPOs da Athena Saúde e da Dotz
  • 12/maio: Aeris, Aliansce Sonae, Ambipar, Banrisul, BRF, EDP Energias do Brasil, Eletrobras, Enauta, Eneva, Equatorial, Fras-Le, Guararapes, Hapvida, Helbor, Hering, JBS, Locaweb, Moura Dubeux, MRV, Natura, Oi, SLC Agrícola, Suzano, Via Varejo, Yduqs divulgam balanço trimestral
  • 12/maio: Definição do preço por ação em IPO da GetNinjas
  • 13/maio: Alliar, Anima, Arezzo, Bradespar, BR Malls, CCR, C&A, CPFL Energia, Cury, Cyrela, EcoRodovias, Energisa, Even, EZ Tec, Grupo Mateus, Grupo SBF, Grupo Soma, Hidrovias do Brasil, IMC, IRB Brasil, Lavvi, Light, Magazine Luiza, Mahle, Melnick, Petrobras, Plano & Plano, Qualicorp, Randon, Rumo, Sabesp, Sanepar, Tecnisa, Track & Field e Wiz informam resultados
  • 13/maio: Leilão de privatização da Celg-GT, empresa de energia do estado de Goiás, na B3
  • 13/maio: Estreia prevista das ações da Athena Saúde e da Dotz no Novo Mercado da B3
  • 14/maio: Energisa faz OPA por ações em circulação da Rede Energia por meio de leilão na B3
  • 14/maio: Estreia prevista das ações da GetNinjas no Novo Mercado da B3
  • 14/maio: Banco ABC Brasil, Cemig, Cogna, Cosan, CVC, Enjoei, Restoque, Ser Educacional, Vivara informam resultados trimestrais

(com Reuters, Bloomberg e Estadão Conteúdo)

Em 2021 você pode fazer da Bolsa a sua nova fonte de renda. Inscreva-se e participe gratuitamente da Maratona Full Trader, o maior evento de Trade do Brasil.