CVM questiona declaração de CEO da Vale sobre potencial IPO de metais básicos

(Shutterstock)

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pediu explicações à Vale sobre declarações do presidente da mineradora, Eduardo Bartolomeo, em teleconferência com analistas na última terça-feira, 27. O executivo afirmou que a companhia voltou a analisar a separação de sua operação de metais básicos e mencionou uma possível oferta pública inicial de ações (IPO). A autarquia questionou por que a informação não foi alvo de fato relevante.

O executivo destacou que não há uma decisão tomada a respeito e que para um eventual spin off (cisão) é preciso trabalhar o que chamou de “fundações do negócio”, o que implica reposição de capacidades em unidades como Salobo e na mina de Voiseys Bay. “É importantíssimo inclusive se (a Vale) for fazer um IPO”, disse.

A menção ao IPO foi destacada pela CVM no pedido de esclarecimentos enviado à companhia. A superintendência de relações com empresas apura o caso de forma preliminar em um processo administrativo. Não há nenhuma acusação ou processo sancionador contra a companhia ou seus executivos até aqui.

Leia mais:
Vale tem lucro líquido de US$ 5,5 bilhões no primeiro trimestre de 2021, alta de 2.220%

A Vale respondeu ao ofício do órgão regulador por meio de comunicado ao mercado, como solicitado, às 22h13 da noite de quarta-feira, 28. A empresa afirma que já tornou públicas suas estratégias e metas para o negócio de metais básicos em comunicado ao mercado do Vale Day, em dezembro, e no seu Formulário de Referência, onde faz projeções para os negócios de níquel e cobre.

“Como ressaltado em algumas oportunidades do discurso pelo próprio Sr. Eduardo Bartolomeo, apesar de a Companhia sempre analisar as diferentes estratégias e opções disponíveis no mercado, não há, no atual momento, nenhuma deliberação, decisão ou informação sobre o tema que, nos termos da Instrução CVM nº 358/02, ensejasse a divulgação de Fato Relevante”, diz o documento assinado pelo diretor executivo de Finanças e Relações com Investidores, Luciano Siani.

A CVM destaca que a Instrução CVM 358 prevê que cumpre ao diretor de RI divulgar e comunicar à CVM e, se for o caso, à bolsa de valores e à entidade do mercado de balcão organizado em que os valores mobiliários de emissão da companhia sejam admitidos à negociação, qualquer ato ou fato relevante ocorrido ou relacionado aos seus negócios, bem como zelar por sua ampla e imediata disseminação, simultaneamente em todos os mercados em que seus papéis sejam negociados.

Quer gerar uma renda extra na Bolsa? Curso gratuito do InfoMoney ensina a fazer o seu primeiro trade na prática, em menos de uma semana. Inscreva-se aqui.

Vale comunica reeleição de CEO e diretores para novos mandatos; mineradora convoca assembleia para formação de Conselho

A mineradora Vale (VALE3) informou que o conselho de administração da companhia aprovou a reeleição do diretor-presidente Eduardo Bartolomeo e dos demais membros da diretoria-executiva, que terão mandatos de três anos.

Em paralelo, a empresa informou que seu diretor jurídico, Alexandre D´Ambrosio, passará à posição de diretor executivo jurídico, enquanto a diretora de pessoas Marina Barrenne Quental também passará a ser diretora executiva. A Vale ainda elegeu Maria Luiza de Oliveira Pinto e Paiva como diretora executiva de sustentabilidade.

A Vale disse que o mandato da diretoria executiva foi alterado para três anos após mudanças estatutárias aprovadas em assembleia em 12 de março, “visando conferir maior estabilidade à administração”, segundo comunicado na manhã desta terça-feira.

A mineradora também convocou uma assembleia-geral ordinária e extraordinária de acionistas para 30 de abril que irá deliberar sobre a formação do conselho de administração da companhia e outros assuntos.

Deverão ser aprovados na assembleia tanto os conselheiros quanto aqueles que assumirão o papel de presidente e vice-presidente do colegiado.

A Vale informou em 10 de março uma lista de indicados para o conselho para o mandato de 2021 a 2023.

Os indicados como membros independentes são: Clinton James Dines, Elaine Dorward-King, José Luciano Duarte Penido, Maria Fernanda dos Santos Teixeira, Murilo César Lemos dos Santos Passos, Manuel Lino Silva de Sousa Oliveira (Ollie Oliveira), Roger Allan Downey e Sandra Maria Guerra de Azevedo. (Full Story)

Como membros não independentes, os candidatos são Eduardo de Oliveira Rodrigues Filho, Fernando Jorge Buso Gomes, José Mauricio Pereira Coelho e Ken Yasuhara.

Mas a Vale divulgou na noite de segunda-feira que um grupo de acionistas que inclui a Geração Futuro e outros resolveu indicar outros candidatos à eleição do conselho.

PUBLICIDADE

Eles apresentaram os nomes do atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco– que está de saída do cargo e é ex-executivo da Vale– além de Marcelo Gasparino, Mauro Gentile Cunha e Rachel de Oliveira Maia.

A Vale disse que seu conselho de administração analisou documentos sobre os indicados e concluiu “que não há qualquer informação que os descaracterize como conselheiros independentes”, segundo comunicado em separado.

(com Reuters)

Você ganhou um curso de ações 100% online e ao vivo. Durante 4 aulas, André Moraes explica como faria para lucrar na Bolsa de começasse hoje. Clique aqui para assistir!