Governo elabora junto com a USP uma nova tabela para o frete rodoviário, diz ministro


Tarcísio Freitas (Infraestrutura) participou de entrevista coletiva sobre o plano para escoamento da safra. Ele disse que nova tabela vai eliminar distorções e será ‘aceita por todos’. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, afirmou nesta quarta-feira (30) que o governo está elaborando junto com a Universidade de São Paulo (USP) uma nova tabela de referência para o frete rodoviário. Segundo o ministro, o objetivo é eliminar distorções e montar uma tabela de frete mínimo que “seja aceita por todos”.
De acordo com ele, o novo modelo vai considerar novas variáveis para definição dos valores, como ano de fabricação do caminhão, condição e tipo de pavimento, além do tipo de produto transportado.
Freitas afirmou que, dependendo do caso, pode haver tanto redução quanto aumento no valor de referência para o frete.
Ele disse que o novo modelo deve ficar pronto em abril e que será discutido com “todos os setores.” O ministro falou sobre o assunto durante coletiva para apresentar o plano do governo para o escoamento da safra 2018/2019.
O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes
Evaristo Sá/AFP
A tabela de fretes foi instituída por uma medida provisória editada pelo ex-presidente Michel Temer numa tentativa de por fim à greve dos caminhoneiros, em maio do ano passado. Pelo texto da MP, cabe à Agência Nacional de Transportes Terrestres definir os preços.
Em 30 de maio, a agência publicou a primeira tabela, que gerou críticas. Com a polêmica, a ANTT editou uma nova tabela, mas os preços foram criticados pelos caminhoneiros, o que fez a agência voltar a praticar os valores da primeira tabela. O setor produtivo alega que a adoção de uma tabela aumento do custo de transporte. A questão foi levada para o Supremo Tribunal Federal (STF). O plenário ainda vai decidir se a multa para quem não cumprir a tabela é constitucional.