Programas de recompra de Movida, EzTec e BR Properties; noticiário sobre Sabesp, nova queda do minério, recomendações e mais destaques

SÃO PAULO – No radar corporativo, a EZTec informou na sexta-feira que seu conselho de administração aprovou um programa de recompra de até 5.035.897 ações. A Movida, por sua vez, aprovou programa de recompra de até 12.335.379 ações. Já a BR Properties comunicou ter encerrado seu plano de recompra de ações.

Já o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou no sábado que a Sabesp será preparada para ser privatizada nos próximos anos, e que o governo não realizará nada de forma precipitada. Ainda no radar, bancos iniciaram cobertura para CBA e Smart Fit. Confira os destaques:

A Alliar informou que acordo de acionistas agora representa 50,46% das ações da empresa, com mais acionistas aderindo ao acordo.

Vale (VALE3), siderúrgicas e minério de ferro

O contrato mais negociado do minério de ferro em Dalian, para janeiro de 2022, fechou em queda de 1,1%, a 757 iuanes/tonelada, girando em torno de uma mínima de sete meses e meio, à medida que os controles de produção de aço e as restrições causadas pela Covid-19 na China pesam sobre o entusiasmo do mercado.

Na bolsa de Cingapura, o contrato mais ativo do minério de ferro, para setembro, recuava 1,5%, a 136,60 dólares a tonelada.

“A perspectiva de menor produção dos altos-fornos no segundo semestre de 2021 frente ao primeiro agora é uma realidade, embora os embarques de minério de ferro da Austrália continuem decepcionando”, disse Atilla Widnell, diretor-gerente da Navigate Commodities, que mantém um alvo de médio prazo de US$ 140 a US$ 170 a tonelada (CFR) para entrega à China.

Já os contratos futuros do coque e do carvão metalúrgico negociados na China atingiram nesta segunda-feira seus limites diários de alta de 8% e renovaram máximas recordes, à medida que rumores de mercado sobre uma suspensão das importações de carvão da Mongólia em função da pandemia de Covid-19 alimentaram temores de uma oferta mais restrita das matérias-primas siderúrgicas.

Os contratos mais negociados do carvão coque e do coque na bolsa de commodities de Dalian, para janeiro de 2022, escalaram máximas de 2.421 iuanes (US$ 373,01) por tonelada e 3.053,50 iuanes por tonelada, respectivamente.

A EZTec informou na sexta-feira que seu conselho de administração aprovou um programa de recompra de até 5.035.897 ações.

PUBLICIDADE

O programa tem prazo de até seis meses, terminando em 23 de fevereiro de 2022. O montante referido equivale a cerca de 5% das ações da companhia em circulação no mercado.

BR Properties (BRPR3)

A BR Properties comunicou ter encerrado seu plano de recompra de ações. Ela obteve 99,95% dos ativos que havia se proposto a comprar, sendo adquiridas 10.994.600 ações por R$ 94,888 milhões, com o custo médio por ação de R$ 8,63.

Uma unidade da Minerva Foods  em Palmeira de Goiás (GO) foi alvo de busca e apreensão pela Polícia Federal (PF) dentro da Operação A Posteriori, que apura supostas irregularidades de auditores fiscais federais agropecuários no período de 2018 a 2019, informou a companhia na sexta-feira.

Segundo a empresa, o procedimento, realizado na quinta, teve cooperação dos colaboradores da Minerva e a planta mantém suas atividades regulares.  “Não existe indiciamento ou denúncia contra a companhia, contra seus administradores ou qualquer de seus empregados ou colaboradores no âmbito da operação”, disse em comunicado.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou no sábado que a Sabesp será preparada para ser privatizada nos próximos anos, e que o governo não realizará nada de forma precipitada.

Ao comentar declarações do recém-nomeado secretário de Projetos e Ações Estratégicas de São Paulo, o deputado federal Rodrigo Maia (sem partido-RJ), sobre a privatização da Sabesp, Doria ressaltou que a privatização da companhia de saneamento é um projeto de “longo prazo”, não de curto prazo.

“Nosso governo é desestatizante… A Sabesp já é de capital aberto, cotada em bolsa, com performance muito boa e bem administrada. Ao longo dos próximos anos, ela vai ser preparada evidentemente para um programa de privatização, mas não faremos isso de forma precipitada”, comentou Doria a jornalistas, no Rio de Janeiro. As declarações de Maia fizeram disparar as ações da Sabesp na sexta-feira.

A Braskem comunicou que não tem conhecimento sobre a realização de uma oferta pública de ações da companhia como uma possível estratégia de saída dos acionistas, em esclarecimento após notícia da Coluna do Broadcast.

PUBLICIDADE

A empresa diz que “não é parte de eventuais discussões de seus acionistas sobre a venda das suas participações acionárias”, segundo comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), como esclarecimento de notícia veiculada na mídia.

Recomendações 

O Morgan Stanley iniciou a cobertura para as ações da Smart Fit com recomendação overweight (exposição acima da média do mercado) e preço-alvo de R$ 32, uma alta de 15% em relação ao fechamento de sexta-feira (20).

Na última sexta, o  InfoMoney conversou com Edgard Corona, fundador e CEO do negócio, sobre o caminho até a oferta pública inicial de ações; o impacto da pandemia nos negócios; e planos após o IPO. Confira clicando no link a seguir. 

Já o Bradesco BBI iniciou cobertura para CBA (CBAV3) com recomendação outperform (desempenho acima da média do mercado) e preço-alvo de R$ 19, ou alta de 73% em relação ao fechamento de sexta.

O BBI também iniciou a cobertura para a ação do Banco Pan (BPAN4), com recomendação outperform (perspectiva de valorização acima da média do mercado) e preço-alvo de R$ 26 para 2022  para os papéis BPAN4, potencial de alta de 35% em relação ao fechamento de sexta.

Os analistas do banco destacam visão positiva por conta do ecossistema que vem sendo construído pelo Banco Pan para produtos e clientes, a existência de um mercado relevante para seus serviços no Brasil, com 138 milhões de clientes e R$ 1,2 trilhão em empréstimos para uma população ainda não plenamente servida; forte número crescimento em número de clientes, com mais de 40 mil adições diárias no segundo trimestre; expectativa de crescimento acima da média de rendimento, com expectativa de taxa anual de crescimento composto (CAGR na sigla em inglês) para o período entre 2021 e 2023 de 35%, frente a 10% em média para os bancos sob cobertura do Bradesco.

Itaúsa (ITSA4), Itaú (ITUB4) e XP

A Itaúsa, em continuidade as notícias sobre o investimento do Itaú na XP, informou que as assembleias gerais extraordinárias – com o objetivo de deliberar sobre a incorporação das companhias – ocorrerão em 1º de outubro.

Considerando a fixação da data das AGEs e o cancelamento das ações de emissão da XPart em tesouraria, a relação de troca final será de 43,3128323 ações de emissão da XPart por 1 ação classe A da XP, ou 1 BDR por 1 ação também classe A. Aprovada a incorporação, a Itaúsa passará a ser detentora de 15,07% do capital total da XP e 4,74% de seu capital votante.

IPOs

PUBLICIDADE

A empresa de cibersegurança ISH Tech, com sede em Vitória, pediu registro para uma oferta inicial de ações (IPO na sigla em inglês) em busca de recursos para financiar seu crescimento orgânico e via aquisições, além de investir em pesquisa. A empresa foi fundada em 1996 como consultoria em TI.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Curso gratuito ensina a ter consistência na bolsa para ganhar e rentabilizar capital. Participe!

Gerdau reorganizará subsidiárias no México, Nelson Tanure compra fatia na Alliar, CVC tem rating elevado e mais notícias

O noticiário corporativo tem como destaque notícias sobre Gerdau, Renner, JBS e BRF. Confira abaixo:

Segundo a coluna do Broad, a venda da fatia da Novonor (antiga Odebrecht) na Braskem, deve ser postergada. A princípio, a ideia era concretizar o negócio este ano para aproveitar a alta no ciclo da petroquímica e das commodities – uma vez que não é certeza que o patamar se mantenha por mais tempo.

Leia também: Oferta de ações da Braskem volta à mesa para saída de acionistas

Quando o plano de recuperação judicial da então Odebrecht foi desenhado, a expectativa era de que o grupo levantasse R$ 18 bilhões com sua parte, que equivale a 50,1% do capital votante e 38,3% do capital total da empresa. Graças ao ciclo positivo do setor e ao enquadramento dos problemas em suas operações em Alagoas e no México, a Braskem vale hoje mais de R$ 40 bilhões em Bolsa.

O Conselho de Administração da Gerdau aprovou a reorganização de subsidiárias no México, informou a companhia em comunicado ao mercado.

A reestruturação envolve a subsidiária Sidertúl e as suas sociedades Aceros Corsa e Gerdau Corsa – estas em parceria com o Grupo Córdova. As três companhias, todas localizadas no México, se fundirão e se tornarão uma só.

Para isso, o Grupo Córdova comprará 16,84% do capital da Sidertúl por US$ 32,5 milhões, equalizando sua participação nesta empresa com aquilo que possui nas demais. Após isso, a Gerdau aumentará de 70% para 75% sua participação na companhia resultante, que herdará o nome Gerdau Corsa.

Lojas Renner (LREN3)

No final da tarde da véspera, a varejista Lojas Renner informou que sofreu um ataque cibernético em seu ambiente de tecnologia na quinta-feira, que provocou indisponibilidade em parte de seus sistemas. Em comunicado, a companhia afirmou ter atuado para mitigar os efeitos do ataque e que a maior parte das operações já foram restabelecidas, com os principais bancos de dados preservados. Além disso, a Lojas Renner afirmou que suas lojas físicas não tiveram as atividades interrompidas.

O Itaú BBA avaliou as informações sobre os ataques à Lojas Renner como marginalmente negativos. O banco destaca que não é a primeira vez que uma empresa sob sua cobertura foi alvo de um ciberataque, e diz que as empresas que passaram pelo problema foram capazes de normalizar suas operações rapidamente, sem grandes danos operacionais. O banco diz esperar que o mesmo ocorra no caso na Renner. O Itaú mantém recomendação outperform (perspectiva de valorização acima da média do mercado) para a Lojas Renner, e preço-alvo para 2022 de R$ 51, frente à cotação de fechamento de quinta de R$ 39,45.

PUBLICIDADE

A Pilgrim’s Pride, controlada da JBS nos Estados Unidos, informou que precificou uma oferta de US$ 900 milhões em notas sênior não garantidas com vencimento em 2032. 

De acordo com comunicado da empresa, os títulos serão emitidos a 100% do valor principal agregado e terão rendimento de 3,5%. Devido à demanda significativa, o montante da emissão foi elevado de US$ 750 milhões iniciais. A venda das notas deve ser concluída em 2 de setembro.

A Embraer informou que está ampliando sua rede de suporte na região Nordeste dos Estados Unidos com a adição de novos serviços em Centros de Serviços Autorizados da Embraer (EASC). A Empresa concedeu a três centros a capacidade de aumentar as possibilidades para atender mais modelos de jatos executivos da Embraer.

Em nota, o diretor Global de MRO da Embraer Serviços & Suporte Frank Stevens destaca que com o crescimento da frota de jatos executivos da Embraer nos Estados Unidos, a empresa está reforçando a rede de serviços para melhor atender os clientes na região. “As três instalações oferecerão excelentes opções a esses clientes para manutenção programada e não programada, troca de componentes e peças e inspeções com diferentes níveis de complexidade”, afirma.

À Hawthorne Global Aviation Services, LLC, localizada no Aeroporto MacArthur de Long Island, em Nova York, foi outorgada a capacidade de adicionar a manutenção de aeronaves com inclusão dos jatos Phenom 100, Phenom 300, Legacy 450 e Legacy 500, além do Praetor 500 e o Praetor 600, ampliando assim suas atuais capacidades de manutenção para servir os jatos Legacy 600 e Legacy 650.

O Conselho de Administração da BRF, uma das maiores companhias de alimentos do Brasil, aprovou uma Política de Compra Sustentável de Grãos, conforme ata de reunião do colegiado divulgada na quinta-feira. A aprovação atende o plano Visão 2030 da BRF e o compromisso de rastreabilidade assumido pela empresa em dezembro de 2020, segundo a ata, que não trouxe mais detalhes.

Vibra Energia (BRDT3)

A BR Distribuidora  passa a se chamar Vibra Energia, mas manterá a atual identidade visual e o símbolo BR em sua rede de 8,3 mil postos de combustíveis em todo o Brasil, além de manter outras marcas de produtos e serviços, conforme comunicado enviado pela empresa ao mercado nesta quinta-feira. O movimento ocorre após a Petrobras (PETR3;PETR4) ter vendido sua fatia remanescente na maior distribuidora de combustíveis do país, no fim de junho. Veja mais clicando aqui. 

Alliar (AALR3) e Rede D’Or (RDOR3)

Na quinta-feira, o empresário Nelson Tanure afirmou que fundos com os quais tem ligações compraram cerca de 26% da empresa de diagnósticos médicos Alliar.

PUBLICIDADE

Isso complica uma proposta de compra pela rede de hospitais Rede D’Or. Tanure diz que não tem planos de mudar a gestão da Alliar.

Ainda no radar da Rede D’Or, a companhia anunciou a compra dos 20% de participação remanescentes do Hospital Aliança, localizado em Salvador (BA), por R$ 350 milhões.

Somando-se os valores, a Rede D’Or pagou R$ 1,150 bilhão pelo ativo. A aquisição foi feita pela afiliada Hospital Esperança S.A. Segundo fato relevante, a previsão de receita para o Hospital Aliança em 2022 é de R$ 700 milhões.

A CVC  teve seu rating elevado de brB para brBB pela agência de classificação de risco Standard & Poor’s.

Arco Educação (ARCE: Nasdaq) 

A Arco Educação teve prejuízo de R$ 20 milhões no segundo trimestre de 2021, ante lucro de R$ 16,3 milhões registrado no mesmo período de 2020.

No critério ajustado, o resultado trimestral foi positivo em R$ 36,4 milhões.

Já a receita da empresa cresceu 9,1%, para R$ 256 milhões.

O Credit Suisse reforçou sua visão otimista para a Arco , citando indicadores positivos para o valor do contrato anual (ACV na sigla em inglês), que dão suporte a sua visão positiva sobre a empresa. O banco diz esperar que a companhia volte a um nível de crescimento orgânico de cerca de 20%, o que representaria uma forte aceleração em relação ao dígito único observado em 2021.

PUBLICIDADE

O banco diz que a continuidade da vacinação e a volta de aulas presenciais devem dar suporte a um bom segundo semestre em termos de novas vendas. O banco diz avaliar que as ações são negociadas em um nível atrativo, de 27 vezes a relação entre preço e rendimentos (P/E em inglês) em 2021, e 20 vezes em 2022. O banco mantém avaliação outperform e preço-alvo de US$ 46, frente à cotação de US$ 26,27 dos papéis ARCE na quinta na Nasdaq.

Burger King Brasil (BKBR3)

Após a correção recente de preços do Burger King Brasil, o Itaú BBA atualizou a sua nota para a empresa de market perform (perspectiva de valorização dentro da média do mercado) para outperform (acima da média), avaliando que a valoração é atrativa. O banco diz que, com o nível atual de valoração, vê com menos ressalvas a perspectiva de diluição de curto prazo com a compra da DPB. O preço-alvo para 2022 indicado pelo Itaú é R$ 12,5, frente à cotação de quinta de R$ 8,89.

IPOs

A provedora de serviços de internet Vero pediu registro para uma oferta inicial de ações (IPO), ilustrando a movimentação de empresas do setor para buscar recursos no mercado para ganhar musculatura antes do leilão do 5G. Criada em 2019 com a união de oito empresas do interior de Minas Gerais, a empresa se expandiu para Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul e afirma ter atualmente cerca de 500 mil clientes, com 18,2 mil quilômetros de cabos de fibra óptica.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Aprender a ganhar e a rentabilizar capital. Essa é a proposta de curso gratuito que mostra o passo a passo da consistência na Bolsa. Participe!

Cielo nega discussões de controladores sobre fechamento de capital; Locaweb e JHSF recomprarão ações e mais destaques

SÃO PAULO – Com menos resultados no radar nesta quarta-feira (18), o noticiário sobre programa de recompra de ações da JHSF e da Locaweb ganham destaque. Já a Cielo negou em comunicado a informação do jornal Valor de que os controladores estariam avaliando fechar o capital da companhia.

Já a autoridade sanitária da Arábia Saudita (SFDA, na sigla em inglês) decidiu suspender a implementação da medida que determinava a redução do prazo de validade de frangos in natura congelados e seus cortes, de um ano para 3 meses, contados da data de abate, informou a companhia de alimentos BRF. Confira os destaques abaixo:

A Cielo negou em comunicado as informações da coluna Pipeline, do jornal Valor, de que o Bradesco (BBDC4) e o Banco do Brasil (BBAS3) estariam avaliando fechar o capital da companhia.

A Cielo afirma que a notícia é inverídica e que o tema veiculado na referida matéria, fechamento de capital, não foi discutido no âmbito de seu Conselho de Administração. Ademais, a companhia consultou Banco do Brasil e Bradesco acerca da notícia, recebendo as seguintes manifestações:

i) O Bradesco (Columbus Holding) afirmou que “não há tratativas em relação ao fechamento de capital da Cielo. A notícia é inverídica.”.

ii) O Banco do Brasil (BB Elo Cartões Participações) informou que “não há tratativas no âmbito de governança do Banco do Brasil (BB) acerca de alterações na estrutura societária da Cielo, e que a referida notícia veiculada nesta data é inverídica. Informamos, ainda, que o BB avalia constantemente oportunidades e alternativas que contribuam com sua estratégia corporativa, melhorem a experiência de seus clientes e agreguem valor aos seus acionistas.”.

De acordo com a Guide, a notícia negando as discussões é marginalmente negativa. “A Cielo viu a concorrência aumentar exponencialmente nos últimos anos, o que tem pressionado de maneira bastante intensa os resultados da companhia. Diversos rumores surgiram nos últimos meses com possível fechamento de capital da Cielo, mas ainda sem uma definição. Avaliamos que a companhia segue com dificuldade de recuperação na sua rentabilidade e avaliamos que o fechamento de capital de fato seria a melhor alternativa para os acionistas minoritários”, destaca.

Na terça, o procurador-geral de Justiça de Minas Gerais, Jarbas Soares Júnior afirmou que uma revisão dos valores de reparação a serem pagos pela Samarco e suas sócias pelo rompimento de barragem em Mariana (MG), que deixou 19 mortos e poluiu o rio Doce até o litoral, poderá ocorrer apenas em fevereiro de 2022, depois que as ações reparatórias previstas forem completamente revisadas. A Samarco é uma joint venture entre a Vale e a BHP Billiton.

O valor de referência para as renegociações é o que consta em ação movida anteriormente pelo Ministério Público de R$ 155 bilhões, reiterou a autoridade, ao participar de uma coletiva de imprensa transmitida pela internet sobre as negociações com as mineradoras.

Locaweb (LWSA3

PUBLICIDADE

A Locaweb comunicou ao mercado ter aprovado o programa de recompra de ações, que terá o objetivo de adquirir até 3 milhões de ações.

Segundo a companhia, as ações adquiridas serão mantidas em tesouraria e alienadas posteriormente para cumprimento de obrigações de remuneração do plano de outorga de ações, aprovado em 30 de abril.

O montante a ser utilizado no programa de recompra inclui as reservas de lucro e de capital disponíveis e o resultado do exercício social em andamento.

O Conselho de Administração da JHSF aprovou o cancelamento do saldo das ações mantidas em tesouraria e um novo programa de recompra de ações de sua própria emissão. Foi cancelado o montante total de 2,800 milhões de ações ordinárias de emissão da Companhia, sem redução do valor do capital Social.

Em função do cancelamento, o capital social da companhia passa a ser dividido em 686,224 milhões de ações ordinárias.

O novo programa de recompra de ações de emissão da própria Companhia tem limite de 28 milhões de ações, que representam aproximadamente 9,15% do total de ações da companhia em circulação no mercado, com vigência até 17 de fevereiro de 2023.

A autoridade sanitária da Arábia Saudita (SFDA, na sigla em inglês) decidiu suspender a implementação da medida que determinava a redução do prazo de validade de frangos in natura congelados e seus cortes, de um ano para 3 meses, contados da data de abate, informou a companhia de alimentos BRF.

Segundo comunicado divulgado nesta terça-feira, os sauditas também optaram por retirar notificação sobre o tema junto à Organização Mundial do Comércio (OMC).

PUBLICIDADE

Quando a medida foi anunciada, em meados de maio, a BRF chegou a afirmar que a nova regra poderia afetar as vendas da empresa.

Maior processadora de frango do Brasil, a companhia produz a proteína no mercado saudita por meio de parcerias com empresas locais e também exporta produtos brasileiros para o país árabe.

Alliar (AALR3) e Rede D’Or (RDOR3)

A Alliar informou que, na véspera, a Rede D’Or realizou operações de compra no mercado de 1.106.500 ações ordinárias (ONs) da companhia, com um volume total de R$ 12.631.327,00 (ou cerca de R$ 12,63 milhões).

A Alliar já havia comunicado na terça-feira que a Rede D’Or comprou no dia anterior 2.538.600 ações ordinárias (ONs) da empresa, no total de R$ 28,566 milhões, segundo notificação enviada pela rede de hospitais. A Rede D’Or anunciou na segunda que seu conselho de administração aprovou uma oferta pública de aquisição (OPA) para adquirir ações da Alliar por até R$ 1,36 bilhão.

Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3)

De acordo com informações do jornal Valor Econômico, a fusão entre as locadoras de veículos Localiza e Unidas tem grandes chances de ser rejeitada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A tendência recente era pela aprovação (considerando o mercado com baixa barreira de entradas). No entanto, o Cade estaria vendo maiores riscos à competitividade do setor após analisar mais a fundo acordos de exclusividade com empresas do setor (como por exemplo o da Unidas com a Enterprise).

De acordo com análise da XP, a notícia é negativa para Localiza e Unidas por sugerir menor chance de aprovação da proposta de fusão.

Porém, os analistas lembram que essa não é a primeira vez que é noticiado na mídia sugestões de não-aprovação da proposta. Eles ressaltam que, desde o início do processo, diversas notícias seguiram tom negativo quanto à aprovação.

PUBLICIDADE

Além disso, apontam que, atualmente, não veem as ações precificando os benefícios da materialização da fusão. Veja mais clicando aqui. 

BR Distribuidora (BRDT3)

A BR Distribuidora informou a venda da totalidade de sua participação acionária na empresa Brasil Carbonos para a Unimetal Indústria, Comércio e Empreendimentos, então sócia da BR na companhia, a qual passa a deter a integralidade da participação acionária na Empresa.

O valor total da venda da participação da BR, já considerando o caixa da empresa, foi de cerca de R$ 18,88 milhões a ser executado em 30 (trinta) parcelas iguais, mensais e consecutivas, corrigidas pelo CDI + 2% ao ano. Além disso, a BR e o Grupo Unimetal terão como resolvidas suas relações envolvendo a empresa.

A Brasil Carbonos é uma Sociedade de Propósito Específico com 51% de participação do Grupo Unimetal e 49% de participação da BR, especializada em processos industriais que agregam valor ao Coque Verde de Petróleo.

VTEX (NYSE: VTEX)

O Itaú BBA avaliou os resultados divulgados pela VTEX como levemente positivos, e em linha com sua expectativa. O banco ressaltou a expansão da margem bruta nas assinaturas, e forte alta de valor geral de mercadoria (GMV na sigla em inglês), de US$ 2,4 bilhões, alta de 25% na comparação anual.

Além disso, a diretriz (guidance em inglês) preliminar indica alta ainda saudável de crescimento apesar, visando receitas de entre US$ 31 milhões e US$ 31,5 milhões no terceiro trimestre, e de entre US$ 124 milhões e US$ 126 milhões em 2021, entre 2% e 3% acima das projeções do Itaú. O banco mantém recomendação outperform (perspectiva de valorização acima da média do mercado) e preço-alvo para 2022 em US$ 35,6, potencial de alta de 40% frente o fechamento de terça-feira na Bolsa de Nova York.

Caixa Seguridade (CXSE3) e BB Seguridade (BBSE3)

O Itaú BBA afirmou que os resultados da Caixa Seguridade e de BB Seguridade foram duramente afetados no segundo trimestre, quando o Brasil atingiu o pico de mortes por Covid. Por conta disso, o banco reduziu suas estimativas para ambas as empresas. A Caixa Seguridade é seu nome preferido do setor de seguros ao fim de 2022, com novo preço-alvo de R$ 18, frente à cotação de R$ 9,69 de terça.

O Bradesco BBI comentou a notícia de que a PagSeguro comprou a plataforma Conci, que oferece serviços como auditoria fiscal e reconciliação com bancos, com mais de 6.000 clientes e um valor total de pagamentos (TPV em inglês) de R$ 3 bilhões. O banco diz que vê o movimento como positivo.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Quer atingir de uma vez por todas a consistência na Bolsa? Assista de graça ao workshop “Os 4 Segredos do Trader Faixa Preta” com Ariane Campolim.

Resultados de Cemig, Mosaico, Yduqs, Gafisa e de outras empresas; Camil faz aquisição no mercado de massas e mais notícias

SÃO PAULO – A temporada de resultados chega na reta final com a divulgação de resultados, com destaque para o IRB (IRBR3), Yduqs (YDUQ3), Cemig (CMIG4), Cruzeiro do Sul (CSED3), Focus Energia (POWE3), Boa Vista (BOAS3), Gafisa (GFSA3), Mosaico (MOSI3), entre outras companhias.

Ainda em destaque, a Camil (CAML3) anunciou na segunda-feira que assinou contrato para aquisição da companhia de massas Santa Amália, por R$ 260 milhões marcando sua entrada no segmento.

Já a Petrobras (PETR3;PETR4) está trabalhando com a companhia japonesa de engenharia Modec para evitar atrasos na implantação da quinta plataforma de produção do campo de Búzios, disse na segunda Marcio Kahn, que é o gerente executivo do ativo na Petrobras. Confira os destaques:

IRB Brasil (IRBR3)

O IRB Brasil RE  registrou prejuízo líquido de R$ 206,9 milhões no segundo trimestre de 2021, o que indica perdas 68,5% menores em relação ao mesmo período de 2020, quando reportou prejuízo de R$ 656,7 milhões. No primeiro trimestre de 2021, o ressegurador teve lucro de R$ 35,1 milhões.

Nos primeiros seis meses de 2021, o prejuízo líquido totalizou R$ 156,1 milhões, ante perdas de R$ 621,7 milhões no ano anterior, ou uma queda nas perdas de 74,9%.

Apesar da baixa, os analistas do Credit Suisse veem os resultados do IRB como neutros a ligeiramente positivos para as ações, com melhorias nos índices de retrocessão e de perda em relação ao segundo trimestre. Eles avaliam que os resultados negativos foram parcialmente precificados pelo mercado em vista de um prejuízo líquido reportado de R $ 49 milhões em abril, divulgado anteriormente na base de dados da Susep.

Os prêmios continuam a ser impactados pela estratégia de “re-underwriting”  [de limpeza do balanço] da empresa, enquanto os índices de perdas viram um resultado positivo por conta disso.

Os resultados foram novamente ajudados por um impacto positivo no valor de R $ 27,1 milhões de créditos tributários relacionados a Imposto de PIS / Cofins no 2T21 e resultado financeiro.

Apesar dos números, o Credit reiterou a recomendação underperform (perspectiva de desempenho inferior), uma vez que avaliam que as ações continuam a ser negociadas com um valuation injustificado.

PUBLICIDADE

A elétrica estatal mineira Cemig  informou lucro líquido de R$ 1,94 bilhão no segundo trimestre de 2021, alta de 80% em relação a igual período do ano anterior.

A variação positiva é devida, basicamente, ao reconhecimento dos ganhos com a repactuação do risco hidrológico, à alienação de ativos mantidos para venda (Light) e ao aumento da margem bruta no primeiro semestre de 2021, informa a empresa.

O Ebitda consolidado apresentou um aumento de 38,8% no segundo trimestre em comparação ao mesmo período de 2020, já o Ebitda ajustado teve elevação de 39,2%. A margem do Ebitda ajustado passou de 17,2% para 18% na comparação anual.

A receita líquida alcançou R$ 7,354 bilhões no período, 33,7% maior que o visto no mesmo intervalo de 2020. A Cemig encerrou junho com R$ 6,99 bilhões disponível em caixa. Ao final do trimestre, a dívida líquida da Cemig era de R$ 6,32 bilhões, queda de 31,4% na comparação anual.

A XP destaca que o lucro líquido atingiu impressionantes R$ 1,942 bilhão, bem acima da estimativa da casa de R$ 276,9 milhões e do consenso da Bloomberg de R$ 685,0 milhões. O resultado foi impulsionado por R$ 909,6 milhões de ganhos não recorrentes com prorrogações de outorgas (lei 14.052 / 2020) e R$ 618,7 milhões. com variação cambial.

“Temos uma avaliação neutra dos resultados da Cemig no trimestre, que vieram acima das nossas projeções de Ebitda ajustado, mas abaixo do consenso de mercado. Mantemos nossa recomendação neutra para as ações, com preço-alvo de R$ 12 por ação”, apontam.

A Yduqs informou lucro líquido de R$ 116,5 milhões para o trimestre de abril a junho. Analistas ouvidos pela Refinitiv esperavam resultado positivo de R$ 145,5 milhões.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) foi três vezes maior do que o mesmo período de 2020, a R$ 349 milhões entre abril e junho deste ano.

PUBLICIDADE

Já a receita líquida no período teve alta de 17%, para R$ 1,161 bilhão, enquanto os custos de serviços prestados avançaram cerca de 13%. As despesas comerciais caíram 22,3%, em meio a uma redução de 30,5% em gastos com provisões para inadimplência. As despesas gerais e administrativas recuaram 7,6%.

Na avaliação do Credit Suisse, a Yduqs reportou notável crescimento no ensino à distancia (30% na base anual ex-aquisições) e importância consolidada do Premium e EAD nos resultados (sendo já 66% do Ebitda).

“Os resultados foram melhores do que as expectativas do nosso time em muitos aspectos, entregando um Ebitda de R$ 349 milhões (margem de 30%) e um lucro líquido de R$ 116 milhões (margem de 10%)”, apontam os analistas do banco, que apontam que a performance ainda foi afetada pela queda da receita liquida on campus – OC  (queda de 15% ao ano ex-aquisições), dado o intake baixo que a indústria vem sofrendo desde o inicio da crise da Covid.

Neste contexto, os analistas destacaram que reconhecem a disciplina da empresa, que continua a navegar na crise da Covid com lucratividade relativamente boa e pouca alavancagem. O crescimento e a lucratividade simultâneos no EAD refletem a eficácia comercial e a escalabilidade do conteúdo, avaliam.

Por outro lado, os analistas seguem cautelosos quanto ao intake no ensino presencial, tanto no segundo semestre deste ano quanto em 2022. Mesmo assim, a empresa se redesenhou para uma nova realidade, reforçando a tese (case de fluxo de caixa, ainda que crescendo modestamente). Dados os custos fixos no presencial, o retorno de alunos pode ajudar nas margens daqui para frente, avaliam. O Credit tem recomendação outperform para os ativos, com preço-alvo de R$ 38.

Já a XP aponta que o resultado veio estritamente em linha com as estimativas da casa, o que significa que seu guidance para o primeiro semestre foi atingido. A receita líquida ficou apenas 0,5% acima das estimativas da XP, enquanto o Ebitda ajustado ficou 0,4% acima do esperado pela XP.

Vale destacar que os cursos presenciais tradicionais representam atualmente 51% da receita ante 74% no segundo trimestre de 2019 e os analistas esperam que a participação de outros cursos (premium e online) continue crescendo, uma vez que 450 novas vagas de medicina devem ser aprovadas no segundo semestre e que 79% dos polos de ensino à distância da Yduqs ainda estão em maturação, com mais de 55% ainda no primeiro ano de operação.

“Portanto, acreditamos que os fundamentos de longo prazo para a empresa (crescimento da base de alunos – principalmente online – e melhoria de margem – maior participação de cursos online e premium) permanecem intactos, apesar das perspectivas desafiadoras para 2021”, avalia a XP, que reitera recomendação de compra e preço-alvo de R$ 50,70 por ação.

PUBLICIDADE

Já o BBI destaca que a receita líquida continuou a se expandir no segmento de ensino à distância, de crescimento ainda rápido, que teve forte captação de 125 mil alunos no trimestre, enquanto o segmento premium continuou a mostrar sua resiliência. Em termos de sua margem Ebitda ajustada, Yduqs permaneceu estável em relação ao ano anterior, com altos números contínuos de provisionamento de inadimplência.

“Em suma, mantemos nossa recomendação outperform, com preço-alvo de R$ 45 para a empresa, pois somos construtivos quanto às suas perspectivas de crescimento nos segmentos de ensino à distância e premium”, avaliam.

Jalles Machado (JALL3)

A Jalles Machado teve lucro líquido de R$ 115,7 milhões no primeiro trimestre da temporada 2021/22, revertendo prejuízo de R$ 16,9 milhões obtido no mesmo período da safra anterior.

A receita líquida teve alta 86,8%, para R$ 378,5 milhões, com a aceleração das vendas de etanol. Com os preços elevados do biocombustível, a Jalles antecipou vendas que costumavam ser feitas apenas na entressafra.

A XP ressalta que, enquanto a pior seca em 90 anos afetou a maior parte das lavouras do Centro-Sul do Brasil (seguida também por uma forte geada) e impulsionou o preço das commodities agrícolas, a Jalles aproveitou preços mais altos para o açúcar (alta de 25,5%) e também para o etanol (alta de 90,8%) sem perda de produtividade devido à localização de suas plantas industriais.

“Continuamos otimistas com a Jalles e reiteramos nossa recomendação de compra com preço-alvo de R$ 14/ação. Além disso, JALL3 é atualmente nossa principal escolha para o setor de açúcar e etanol”, avaliam.

Cruzeiro do Sul (CSED3)

A Cruzeiro do Sul Educacional teve lucro líquido de R$ 28 milhões no segundo trimestre deste ano, ante prejuízo de R$ 48,8 milhões apurados em igual intervalo de 2020.

A receita líquida caiu 0,8% na base anual, a R$ 478,2 milhões entre abril e junho, com o impacto negativo da liminar de desconto na Unipê, de R$ 9 milhões. A receita bruta teve alta de 25,4%, para 1,19 bilhão, em meio ao aumento de alunos nos cursos de ensino à distância (EAD).

O Ebitda totalizou R$ 125,3 milhões no trimestre, mais do que o dobro em relação ao mesmo período do ano passado. A margem Ebitda (Ebitda sobre receita líquida) avançou 15,7 pontos percentuais, a 26,2%.

Focus Energia (POWE3)

A Focus Energia registrou lucro de R$ 17,7 milhões no segundo trimestre deste ano, 103,5% acima dos R$ 8,7 milhões registrados no mesmo período de 2020.

A receita líquida teve alta 17,7% no comparativo anual, para R$ 312,6 milhões.

O Ebitda foi de R$ 26,7 milhões, crescimentos de 79,4% e 26,7%, em comparação com o segundo trimestre de 2020 e
o primeiro trimestre de 2021, respectivamente.

Boa Vista (BOAS3)

A Boa Vista Serviços registrou lucro líquido de R$ 22,193 milhões no segundo trimestre, alta de 416,6% na comparação anual.

A receita teve alta anual de 31,1%, a R$ 181,649 milhões.

O Morgan Stanley avalia o mercado se mostrará satisfeito com os resultados e mantém recomendação overweight (perspectiva de valorização acima da média do mercado), e preço-alvo de R$ 16.

Agrogalaxy (AGXY3)

A Agrogalaxy teve prejuízo líquido no segundo trimestre deste ano foi de R$ 51,4 milhões, alta de 140% ante perda líquida de R$ 21,4 milhões entre abril e junho de 2020.

A receita líquida foi de R$ 1,01 bilhão, 25,3% maior que o do mesmo período de 2020.

O Ebitda ajustado foi de R$ 2,5 milhões no segundo trimestre de 2021, com margem positiva de 0,2%. Em 2020, o resultado havia ficado em R$ 18,7 milhões negativos, com margem negativa de 2,3%.

A Gafisa registrou lucro líquido ajustado de R$ 26,404 milhões no segundo trimestre deste ano, ante prejuízo de igual período do ano passado. Sem ajuste, o lucro totalizou R$ 13,108 milhões, ante perda de R$ 23,545 milhões na mesma base de comparação.

O Ebitda ajustado teve alta de quase 10 vezes, indo de R$ 7,7 milhões para R$ 73,36 milhões.

A receita líquida foi de R$ 259,2 milhões no segundo trimestre, três vezes acima dos R$ 83,8 milhões registrados entre abril e junho de 2020.

Segundo o BBI, os resultados do trimestre foram ligeiramente negativos, com o resultado final impactado por fatores exógenos às operações deste ciclo.

“A Gafisa é uma história de turnaround (virada operacional) em evolução e a administração tem muito a mostrar a seu respeito. Mas o aumento das vendas da Gafisa é sobrecarregado por seu legado e a deixa diante de um segundo semestre
desafiador”, avaliam os analistas.

O BBI tem uma visão estrutural que privilegia nomes mais consolidados e encontra melhores propostas de risco-retorno em outros nomes, incluindo a Direcional no segmento de baixa renda e a Trisul no segmento de média / alta renda. “Mantemos uma recomendação Neutra e preço-alvo de R$ 5,50 para GFSA3”, apontam.

Hidrovias do Brasil (HBSA3)

A Hidrovias do Brasil teve lucro líquido de R$ 97,8 milhões no segundo trimestre, ante prejuízo de R$ 7,4 milhões em igual período de 2020. A receita líquida subiu  9,5% na base anual, para R$ 466,9 milhões.

A receita líquida operacional no corredor Sul totalizou R$ 227,2 milhões, crescimento de 141,4% na comparação anual, enquanto a receita no corredor Norte foi de R$ 176,4 milhões, 36% abaixo do apurado em igual trimestre do ano passado. Já a navegação costeira (cabotagem) somou R$ 58,1 milhões em receita líquida, alta de 18,3%.

O Ebitda ajustado foi de R$ 215 milhões, alta de 21% na base anual e ficou 9% acima das estimativas da XP, que apontou que a empresa apresentou bons números no trimestre, ao mesmo tempo em que abordou as preocupações do mercado em relação a uma perspectiva de calado abaixo da média em suas operações no sul (Corredor Sul).

“Com transparência detalhada, a administração da Hidrovias revisou para baixo suas projeções financeiras para 2021, dada (i) a baixa visibilidade dos volumes transportados para o segundo semestre devido às fracas perspectivas da safra de milho (evento limitado à safra deste ano, em nossa visão, não impactando nossas expectativas positivas de demanda no longo prazo), e (ii) cenário de estiagem anormalmente baixo no Corredor Sul”, ressaltam os analistas.

Dado o perfil não-estrutural da revisão de guidance para 2021 (guidance 2025 reiterado pela administração da empresa), os analistas veem como fundamentalmente excessiva a queda de 35% nas ações nos últimos 30 dias. Eles reiteram a recomendação de compra e visão positiva de longo prazo da Hidrovias do Brasil.

A Mosaico, dona de sites como Buscapé e Zoom, teve lucro de R$ 3,7 milhões no segundo trimestre, 73,5% abaixo na comparação anual. A receita teve queda 19,9%, a R$ 47,2 milhões, na comparação anual.

As vendas brutas de mercadoria (GMV, na sigla em inglês) originadas nas plataformas da empresa foram de R$ 902,7 milhões, queda de 17,2%.

A XP apontou que, como esperado, a companhia enfrentou dinâmicas desafiadoras no trimestre em meio a uma forte base de comparação, maior custo de aquisição de clientes devido à competição por tráfego com empresas de e-commerce e fintechs e um ambiente com maiores atividades promocionais através de cashback e cupons.

Como resultado, a receita líquida caiu 20% na base anual, enquanto o Ebitda ajustado veio em R$ 2,6 milhões versus R$ 22,7 milhões no segundo trimestre de 2020.

“Apesar dos fracos resultados, eles já eram esperados. Além disso, a companhia detalhou iniciativas interessantes que já estão implementadas e que devem contribuir para a melhora de resultados à frente. Além do resultado, a Mosaico também anunciou que vai substituir o atual CEO, Thiago Flores, por Mauricio Cascão, um executivo com vasta experiência no segmento de tecnologia, tendo ocupado cargos de liderança em companhias como a AT&T, HP Labs e Mandic Cloud Solutions”, destaca a XP.

O Itaú BBA aponta que a plataforma de comércio eletrônico reportou resultados mais fracos no segundo trimestre – porém, em linha com o esperado. O valor de vendas foi 17% menor em relação ao mesmo período do ano passado, reflexo da substancial queda de 50% nos acessos na comparação anual.

“Vale ponderar que a empresa passa por um momento de expansão acelerada e criação de novos produtos, o que elevou as despesas com pessoal a pressionar a rentabilidade”, avaliam.

Os analistas observam ainda uma pressão adicional em rentabilidade devido aos investimentos da companhia em
seu quadro de funcionários. Para dar um contexto, a Mosaico vem contratando para fazer frente a sua expansão acelerada a à criação de novos produtos. Como consequência, a elevada despesa com pessoal levou a uma contração de margem Ebitda maior do que o estimado pela casa.

“Reconhecemos que os resultados de Mosaico no primeiro semestre colocam pressão nas nossas projeções para o consolidado de 2021 e para o ano que vem. Por ora, mantemos nossa recomendação de outperform (desempenho acima da média do mercado) para as ações da companhia”, aponta o BBA, com preço-alvo de R$ 39.

A Bemobi teve lucro líquido de R$ 18 milhões no segundo trimestre deste ano, alta de 251% na base anual.

A receita líquida teve alta de 8% na base anual, para R$ 62 milhões.

Segundo a XP, a Bemobi divulgou resultados sólidos, embora em linha, no segundo trimestre, com a receita líquida e o Ebitda ajustado crescendo 7,6% e 17,7% na base anual, respectivamente.

Apesar de um trimestre desafiador devido à Covid-19 e seu impacto no segmento pré-pago, a Bemobi registrou um crescimento de receita de 7,6% na base anual.

Além disso, a Bemobi está executando bem sua estratégia de diversificação de serviços e as receitas provenientes de Microfinanças e Comunicação cresceram 37% na base anual e já representam 30,3% da receita total da empresa (29,3% no segundo trimestre de 2020).

“Apesar do resultado sólido do trimestre, acreditamos que todas as atenções serão voltadas agora para entender mais sobre as empresas adquiridas e suas sinergias. Em suma, mantemos nossa recomendação de compra e um preço-alvo de R$ 30 por ação para o final de 2021”, avaliam os analistas.

GetNinjas NINJ3)

A GetNinjas teve prejuízo de R$ 17,8 milhões no segundo trimestre, ante lucro de R$ 282 mil registrado em igual período do ano passado. A receita da companhia teve alta de  55,3%, para R$ 15,5 milhões, com o aumento de 40% no número de clientes utilizando a plataforma.

O Ebitda ficou em R$ 19 milhões negativos, ante dado positivo de R$ 569 mil no segundo trimestre de 2020, face à forte aceleração dos custos, especialmente relacionados com marketing e vendas, de forma a continuar a aumentar o envolvimento com clientes e profissionais da plataforma.

“Com apenas um leve crescimento sequencial nas receitas, o mercado pode ver esses resultados como negativos, já que a aceleração do ecossistema pode demorar mais do que o esperado. Mantemos, no entanto, nossa visão positiva de longo prazo sobre a Getninjas, embora reconheçamos os desafios de curto / médio prazo, pois a empresa continua gerando o efeito de rede necessário para que sua plataforma continue ganhando força”, aponta o BBI.

O lucro líquido da Panvel foi recorde e atingiu R$ 24,2 milhões, aumento de 242,1% em comparação a igual período de 2020.

“A estratégia de expansão de serviços e de novas lojas adotada pela Panvel Farmácias, aliada à retomada do fluxo de clientes nas unidades físicas e ao desempenho crescente das vendas digitais, levaram a empresa a obter resultado recorde no 2º trimestre de 2021”, destaca a empresa.

A receita da Panvel aumentou, no período, 28,9% em relação a 2020, totalizando R$ 766,8 milhões.

O Ebitda ajustado totalizou R$ 39,9 milhões, equivalente a 4,8% da receita bruta e 107,1% acima do 2º trimestre de 2020.

A Panvel inaugurou, no período, 20 lojas, totalizando 494 filiais na Região Sul e em São Paulo e mantém o objetivo de abrir 65 novas unidades em 2021.

“Após um primeiro trimestre de resultado significativo, mas marcado por novas restrições causadas pela pandemia do Covid 19, o segundo trimestre de 2021 deixou clara a capacidade da Panvel de acelerar o seu crescimento, ancorada principalmente em equipes motivadas e em uma operação robusta e preparada para atender nossos clientes com qualidade e agilidade em suas demandas de saúde e bem-estar, seja nas lojas físicas ou por meio dos canais digitais”, afirma o presidente do Grupo Dimed, Julio Mottin Neto, no release de resultados.

HBR Realty (HBRE3)

O Bradesco BBI aponta que os resultados da HBR Realty foram mistos, com Comvem gradualmente aumentando. Já descontos e despesas gerais e administrativas afetam as margens.

A HBR reportou seus resultados mostrando uma boa evolução no plano de negócios da Comvem, apontam os analistas. A taxa de ocupação aumentou 3,4 pontos percentuais no trimestre, encerrando o trimestre em 83,6% mesmo com a entrega de 3.190 m² do empreendimento Comvem Bosque Maia, enquanto a empresa firmou parcerias com a Cury e a Espaçolaser, que contribuirão para alavancar a aceleração das vendas da unidade de negócios.

Do lado negativo, a margem Ebitda ajustada teve um impacto significativo de -22,7 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior, impactado por descontos de aluguel em HBR Malls e Comvem, e também devido a um reforço estrutural em G&A (despesas gerais e administrativas), preparando a empresa para acelerar o crescimento (com diluição esperada ao longo do tempo).

Nas demais unidades de negócios, o BBI aponta que os principais destaques positivos foram relacionados à ainda sólida 3A (unidade de negócios corporativos), 100% ocupada e repassando integralmente o índice de inflação IGP-M nos contratos, enquanto a unidade de negócios Opportunities avançou bem, também impulsionado pela inflação do IGP-M. Os analistas mantiveram recomendação de compra.

A Petrobras está trabalhando com a companhia japonesa de engenharia Modec para evitar atrasos na implantação da quinta plataforma de produção do campo de Búzios, disse na segunda Marcio Kahn, que é o gerente executivo do ativo na Petrobras.

A estatal brasileira propôs nove plataformas para Búzios, seu projeto de águas profundas com ritmo mais acelerado de crescimento, no plano de negócios 2021-2025.

PetroRecôncavo (RECV3)

A PetroRecôncavo fechou o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 94,5 milhões, ante prejuízo de R$ 15,1 milhões registrado em igual período de 2020. A receita líquida totalizou R$ 249 milhões, alta de 34% na comparação anual.

O Ebitda foi de  R$ 131,4 milhões no segundo trimestre, alta de 10,4% frente aos R$ 118,9 milhões de igual período de 2020.

O Morgan Stanley comentou os resultados, cujas margens ficaram abaixo da expectativa. O banco diz que enxerga alta de atividade nos próximos trimestres, que contribui para justificar sua nota overweight (perspectiva de valorização acima da média do mercado). O banco diz que o Ebitda ficou abaixo de sua estimativa por conta de receita maior na área Potiguar e contratos menores de serviço e fluxo de receita das operações do Remanso.

O banco mantém avaliação overweight por avaliar que a empresa tem qualidade e seus papéis e perspectiva de valorização com fusões e aquisições. O banco mantém preço-alvo de R$ 25,50.

Já o BBA apontou que a companhia reportou resultados em linha com o esperado no segundo trimestre.

“Aproveitamos para reforçar nossa recomendação de compra para RECV3, ação que estreou na Bolsa em maio deste ano. Nossa tese de investimento é baseada no potencial aumento da produção, nas novas oportunidades que estão sendo criadas por meio de incentivos regulatórios, e na perspectiva de crescimento da empresa via aquisições, na esteira do programa de desinvestimentos da Petrobras”, avaliam os analistas da casa.

A Camil anunciou na segunda-feira que assinou contrato para aquisição da companhia de massas Santa Amália, por R$ 260 milhões marcando sua entrada no segmento.

A comercializadora de energia Comerc pediu na segunda-feira o registro para uma oferta pública inicial de ações, em busca de recursos para financiar seus projetos de expansão.

BRF (BRFS3) e AES Brasil (AESB3)

A BRF comunicou ter firmado acordo de investimento para a constituição de uma joint venture com uma subsidiária da AES Brasil Energia para construção de um parque para auto geração de energia eólica no Complexo Eólico Cajuína, Rio Grande do Norte, com capacidade instalada de 160MWm, gerando 80MWm a serem comercializados com a Companhia por meio de contrato de compra e venda de energia de 15 anos.

Segundo a BRF, o projeto está em consonância com a Visão 2030, com a Política de Sustentabilidade da Companhia e com compromisso de se tornar Net Zero em emissões de gases de efeito estufa (GEE) até 2040, tanto em suas operações como em sua cadeia produtiva. Com essa parceria, a Companhia atenderá cerca de um terço de suas necessidades energéticas no Brasil, e evolui com sua meta de chegar a 2030 com mais de 50% da matriz energética proveniente de fontes renováveis e limpas, além de mitigar riscos de escassez de abastecimento e operar com custos mais competitivos.

O investimento estimado do projeto é de aproximadamente R$ 5,2 milhões/MW instalado, sendo que a BRF investirá diretamente o valor aproximado de R$ 80 milhões, a ser desembolsado durante o desenvolvimento do Projeto. O início das operações do parque está previsto para 2024.

O fechamento desta parceria está sujeito à aprovação das autoridades competentes e à verificação de outras condições usuais em operações dessa natureza.

“A companhia continuará a prospectar oportunidades para investir em fontes alternativas de autoprodução de energia limpa, em conexão com suas metas de longo prazo em sustentabilidade”, aponta a BRF.

Usiminas (USIM5)

O Credit Suisse realizou uma reunião com o CFO da Usiminas, Alberto Ono, e com sua equipe de relações com investidores. O banco diz que foi discutida a perspectiva atual para o setor, e temas centrais da estratégia da Usiminas. O banco afirma que a empresa diz que as condições de demanda no terceiro trimestre parecem ser tão fortes quanto aquelas do trimestre anterior. A empresa diz esperar que as remessas de aço se mantenham em níveis similares. No quarto trimestre, a sazonalidade mais fraca deve se apresentar neste ano, mas sob um ambiente internacional favorável.

De acordo com o banco, a Usiminas afirmou que, em junho, os preços estiveram 4,4% mais fortes do que a média do segundo trimestre, e que ela poderia implementar reajustes adicionais com clientes industriais. Além disso, a Usiminas disse acreditar que volumes mais altos de importação são excepcionais, e que o patamar deve se estabilizar nos próximos trimestres.

O banco mantém recomendação outperform, e diz que a empresa é um forte veículo para se beneficiar do minério de ferro mais caro e dos fortes preços do aço. O banco também acredita que chapas de aço devem ter desempenho superior àquele de aços longos, o que deve beneficiar a Usiminas. O banco prevê que a Usiminas seja negociada por 3,1 vezes a relação entre preço da empresa (EV na sigla em inglês) e lucro Ebitda em 2022, abaixo da média de entre 6 e 6,5 vezes, com Ebitda de R$ 6,7 bilhões e forte geração de caixa, de 21% em 2022.

O banco mantém recomendação outperform (perspectiva de valorização acima da média do mercado) e preço-alvo de R$ 28,50.

Siderúrgicas

O BBI destaca que novo rumor sobre impostos prejudica as exportações de aço da China. Rumores recentes do mercado de que a China vai impor novos impostos sobre as exportações de aço a partir deste mês reduziram ainda mais a atividade de exportação de aço da China, de acordo com a MySteel.

Caixa Seguridade (CXSE3) e BB Seguridade (BBSE3)

O Itaú BBA  afirma que o número alto de reivindicações de seguros no trimestre relativas à pandemia no Brasil pesou sobre as expectativas para a margem em 2021. Assim, o banco está atualizando suas estimativas para as empresas de seguros sob sua cobertura: Caixa Seguridade, com recomendação outperform, e iniciando a cobertura da BB Seguridade, com avaliação market perform. O novo preço-alvo para 2022 para a Caixa é de R$ 18 e para o BB Seguridade, é de R$ 23.

O desempenho mensal de planos de pensão indica uma aceleração da Caixa Seguridade no segundo semestre, na avaliação do banco.

O banco diz que dá preferência à Caixa Seguridade sobre a BB Seguridade por conta da perspectiva de crescimento.

BR Properties (BRPR3), Syn (CCPR3) e São Carlos Empreendimentos (SCAR3)

O Bradesco BBI retomou a cobertura do segmento de escritórios, com visão especialmente favorável à BR Properties, com recomendação outperform e preço-alvo de R$ 12,50, em detrimento à Syn, antiga CCP, com recomendação neutra (perspectiva de valorização dentro da média) e preço-alvo de R$ 12,60 e à São Carlos Empreendimentos e Participações, com avaliação neutra e preço-alvo de R$ 47.

O banco diz que o setor é negociado com um desconto médio de 40% sobre o valor líquido do ativo (NAV na sigla em inglês). O banco diz que a BR Properties é, no entanto, uma exceção positiva, por conta da estratégia de venda ativa de ativos.

Ainda no radar da companhia, a BR Properties informou por meio de documento enviado ao mercado, que fechou contrato com o Fundo de Investimento Imobiliário VBI Logístico, administrado pelo BTG Pactual Serviços Financeiros, para a venda de uma parte de um galpão logístico em desenvolvimento, por R$ 123,2 milhões, com previsão de término da construção para o segundo trimestre de 2022.

De acordo com a Guide, a notícia é positiva. A BR Properties segue reformulando seu portfólio através da venda de ativos não estratégicos para a companhia. Em todo caso, ainda vemos uma pressão forte no setor imobiliário a curto prazo, com pressão dos juros futuros e ainda os efeitos negativos da pandemia nos setores de shoppings e lajes corporativas.

Alliar (AALR3) e Rede D’Or (RDOR3)

Segundo o Valor, o Pátria e os médicos acionistas que, juntos detém o controle da rede de medicina diagnóstica Alliar, não devem vender seus papéis pelo valor estipulado em R$ 11,50 na oferta pública de aquisição (OPA) proposta pela Rede D’Or, de acordo com fonte ouvida pelo jornal. O fundo possui 20% do capital social atualmente.

Segundo a Guide, a notícia é potencialmente negativa. “Caso a recusa por parte dos acionistas da Alliar seja de fato confirmada em função do baixo valor ofertado, pode levar a Rede D’Or a realizar uma segunda proposta, com prêmio consideravelmente maior ou então desistir da aquisição, fazendo com que o maior grupo hospitalar do país volte a analisar oportunidades a preços mais atrativos”, aponta a casa de análise.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Quer atingir de uma vez por todas a consistência na Bolsa? Assista de graça ao workshop “Os 4 Segredos do Trader Faixa Preta” com Ariane Campolim.

Repercussões de resultados de Enjoei, Vivara, Boa Safra, Cosan, Méliuz, CVC e outros balanços; Ultrapar vende Oxiteno e mais

Cosan (Foto: Paulo Fridman/Corbis via Getty Images)

A temporada de resultados chega na sua reta final nesta semana.  Na noite de sexta-feira, foram divulgados os dados da CVC, Cosan, Enjoei, Vivara, entre outras companhias, enquanto Ambipar, Ânima  e Méliuz também divulgaram seus números nesta segunda-feira antes da abertura da Bolsa.

Após o fechamento, IRB (IRBR3), Cemig (CMIG4), entre outras companhias, divulgarão seus resultados. Ainda em destaque, a Ultrapar anunciou a venda da Oxiteno para Indorama Ventures por US$ 1,3 bilhão. Já o grupo de hospitais Rede D’Or informou que o seu conselho de administração aprovou a realização de uma oferta pública de aquisição (OPA) das ações do Centro de Imagem Diagnósticos Alliar.  Confira mais destaques:

A operadora de viagens CVC reportou prejuízo líquido de R$ 175,570 milhões no segundo trimestre deste ano, perda 30,4% menor que a registrada um ano antes, de R$ 252,129 milhões (veja mais clicando aqui).

Em comentários da administração que acompanham o informe de resultados, a empresa atribui o desempenho do período aos efeitos produzidos pela pandemia da covid-19 em suas operações, especialmente no Brasil. “Permanecemos otimistas com os prognósticos para o segundo semestre e início de 2022 e atentos aos eventuais desdobramentos da pandemia”, acrescenta a CVC. No acumulado do semestre, o prejuízo diminuiu de R$ 1,403 bilhão para R$ 257 milhões.

Na mesma base de comparação, a empresa obteve lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado negativo de R$ 130,834 milhões, contra Ebitda também negativo de R$ 164,366 milhões no mesmo período de 2020. No semestre, o Ebitda ajustado ficou negativo em R$ 194,279 milhões, ante R$ 189,769 milhões de um ano antes.

Já a receita líquida ficou em R$ 115,6 milhões no segundo trimestre, ante R$ 3 milhões informado um ano antes. O avanço se deve à retomada das atividades, afirma a companhia, mesmo com a segunda onda de covid tendo impactado o trimestre.

A CVC ainda nomeou Marcelo Kopel, ex-Itaú Unibanco, como novo diretor de finanças e relações com investidores. A companhia ainda elevou a participação na VHC Hospitality, de 69% para 100%.

Na avaliação do Bradesco BBI, os resultados foram mistos com uma tendência mais forte do que o esperado nas reservas, mas por outro lado com uma taxa de aquisição fraca.

Para os analistas, o problema da take rate (percentual da receita liquida sobre as reservas) parece temporário, visto que um dos motivadores foi o embarque de reservas anteriores à Covid que haviam sido adiadas, embora possa haver algum empecilho adicional durante o próximo trimestre.

PUBLICIDADE

“Há um impulso positivo por trás das reservas, com crescimento sequencial de 25% (embora de uma base relativamente baixa no primeiro trimestre de 2021) e a CVC observa que as reservas de junho (queda de 50% versus 2019) foram melhores do que o trimestre como um todo (queda de 61%)”, apontam.

Essa queda em relação a 2019 está amplamente em linha com o número de passageiros e a capacidade disponível de
assentos informados pela companhia aérea Gol no segundo trimestre de 2021.

O progresso do plano de vacinação deve ajudar esse impulso positivo a continuar no segundo semestre, embora os riscos claramente ainda permaneçam com o potencial de impactos negativos da nova variante delta.

“Portanto, embora o ímpeto esteja melhorando, a visibilidade permanece limitada e as ações são negociadas a um forte P/L [preço sobre o lucro] de 38 vezes estimado para 2023”, avalia. O BBI mantém a recomendação neutra, com um novo preço-alvo de R$ 25 (estimado para 2022) contra nosso antigo preço-alvo de R$ 24.

A Cosan teve lucro líquido ajustado de R$ 750 milhões entre abril e junho, forte alta de 3.105% frente o ganho de R$ 23,4 milhões registrado em igual período de 2020.

A receita líquida totalizou R$ 25,267 bilhões no segundo trimestre de 2021, ante R$ 13,583 bilhões no mesmo intervalo do ano anterior, aumento de 85,9%.

Boa Safra (SOJA3)

A Boa Safra Sementes teve lucro líquido de R$ 8,862 milhões no segundo trimestre de 2021, alta de 314,6% na base anual.

O Ebitda foi de R$ 17,966 milhões, alta de 103% na comparação anual.

PUBLICIDADE

A receita líquida teve queda de 17,6% entre abril e junho, a R$ 41 milhões.

“Todos os contratos de vendas ainda não faturados, principal KPI do que está por vir, atingiram a soma de R$ 546 milhões, um aumento de 188% em relação ao ano anterior. Continuamos otimistas com a Boa Safra e reiteramos nossa recomendação de compra com preço-alvo de R$ 18 por ação até 2021”, aponta a XP.

No segundo trimestre, a Vivara  viu seu lucro líquido atingir R$ 81,7 milhões, mais do que dobrando em relação ao mesmo período de 2019, ainda antes da pandemia. Na comparação com 2020, a companhia conseguiu reverter um prejuízo.

Saiba mais: Com lucro em alta, Vivara diz estar pronta para ir às compras

Segundo o Itaú BBA, a Vivara apresentou ótimos números referentes ao segundo trimestre. As receitas da companhia cresceram 19,3% na comparação com o segundo trimestre de 2019 (cenário pré-pandêmico), com avanço das vendas no conceito mesmas lojas (SSS) de 13,8%.

Em termos operacionais, o destaque do segundo trimestre foi o desempenho do e-commerce: a companhia tem sido capaz de dar escala às operações digitais e diversificar suas vendas desse canal. Historicamente, os produtos mais vendidos no on-line sempre foram relógios e acessórios, que possuem preço inferior às joias. No entanto, no segundo trimestre, cerca de metade das vendas do e-commerce foram joias, uma boa indicação para a rentabilidade no longo-prazo, avaliam os analistas.

Além disso, a Vivara sinalizou que o forte crescimento de vendas visto no segundo trimestre já está sendo verificado também no início deste terceiro trimestre. Ou seja, o bom desempenho operacional da companhia deve ter continuidade.

Do ponto de vista financeiro, a Vivara foi capaz de entregar uma margem bruta de 68% e uma margem Ebitda de 24,5%, refletindo uma maior diversificação de receitas da companhia e a otimização de despesas. O Ebitda da companhia, de R$ 89 milhões, foi 29% superior ao esperado, enquanto lucro líquido, de R$ 82 milhões, veio 64% acima da projeção dos analistas.

PUBLICIDADE

O Enjoei teve alta do prejuízo em 10,9 vezes no segundo trimestre, para R$ 30,040 milhões.

A receita líquida do Enjoei  teve alta de 100%, a R$ 26,4 milhões no segundo trimestre. O volume bruto de mercadoria (GMV) teve alta de 82% na mesma base de comparação, a R$ 205 milhões.

A XP aponta que a Enjoei reportou resultados mistos, referentes ao segundo trimestre de 2021, com a receita líquida 8% acima das estimativas devido a uma taxa de comissão (take-rate) melhor do que esperado.

Em termos de rentabilidade, a companhia registrou queda expressiva na margem bruta (-20,5p.p na base anual), devido a maiores custos com frete e logística, e também com queda de Ebitda ajustado (em R$ 19 milhões negativos), frente a maiores despesas de vendas. Com isso, o prejuízo líquido (excluindo-se o efeito do plano de remuneração em ações) totalizou R$ 18 milhões, versus a estimativa da XP de R$ 15 milhões.

Já o BBI revisou as estimativas, com GMV subindo 1-5% (estimado no período 2021-23), mas as vendas líquidas caindo 12-24% devido à menor taxa de compra.

“Isso posterga o ano em que a Enjoei atinge o ponto de equilíbrio na linha Ebitda em um ano, de 2023 anteriormente a 2024 em nosso modelo mais recente”, apontam os analistas.

Apesar das “dores de crescimento” que os analistas do BBI viram nos últimos trimestres – ou seja, a necessidade de ajustar a estratégia da Enjoei para garantir o crescimento futuro – os analistas mantiveram recomendação de compra à medida que continuam a ver a empresa como a melhor colocada no crescente mercado de revenda. Já o preço-alvo caiu de R$ 23 (para o final de 2021) para R$ 17 (no final de 2022).

O Méliuz teve prejuízo líquido da Méliuz atribuído a controladores de R$ 6,692 milhões no segundo trimestre de 2021. O valor, 2,95% acima frente o segundo trimestre de 2020, quando o prejuízo foi de R$ 6,5 milhões.

A companhia reportou o crescimento de 120% na receita líquida, em comparação ao segundo trimestre de 2020. Além disso, abriu, em média, 39 mil novas contas por dia útil no segundo trimestre de 2021 e apresentou um aumento de 265% no número de usuários ativos, também em relação ao 2T20.

A companhia finalizou o trimestre com um total de 18,8 milhões de contas cadastradas, um crescimento de mais de 2,3 milhões de usuários ou 14,6% em relação ao primeiro trimestre e quase dobrou a base de usuários, em comparação com os últimos 12 meses, findo em 30 de junho de 2020, quando possuía 10 milhões de contas cadastradas.

A Tecnisa teve prejuízo líquido de R$ 54 milhões no segundo trimestre de 2021, um aumento de 33% em relação ao prejuízo de R$ 40 milhões no mesmo período de 2020.

O balanço foi afetado por uma perda de R$ 42 milhões proveniente de um acordo anunciado em maio com a Companhia de Participações e Empreendimentos (CPE) para extinção de um processo que discutia um contrato de compra de terreno.

A Tecnisa ajuizou ação para anular o contrato após o terreno acabar sendo desapropriado pela Prefeitura de São Paulo.

A previsão original era que a Tecnisa pagaria pelo terreno à CPE com as vendas de unidades do futuro empreendimento, que acabou inviabilizado. As partes então optaram por um acordo. Além disso, a Tecnisa espera indenização pela desapropriação.

O Ebitda ajustado ficou negativo em R$ 42,3 milhões, piora de 60% no resultado. A receita líquida totalizou R$ 65 milhões, crescimento de 94%, devido à expansão de lançamentos e vendas nos últimos meses, além da venda de três terrenos considerados não estratégicos por R$ 19 milhões.

O Itaú BBA avalia os dados resultados pela Tecnisa como fracos e dentro do esperado. O banco ressalta que a empresa lançou um projeto no segundo semestre, com valor potencial de venda (PSV em inglês) de R$ 165 milhões, do qual 23% já foi vendido, e anunciou em julho a abertura de estandes de vendas de dois outros projetos com PSV de R$ 290 milhões.

O Itaú também ressalta forte queima de caixa, de R$ 156 milhões, afetados negativamente pelo acordo com a CPE, de R$ 102 milhões, e desembolso para compra de terrenos, de R$ 30 milhões. O banco mantém avaliação underperform (perspectiva de valorização abaixo da média do mercado), e preço-alvo para 2021 de R$ 9,4, frente à cotação de sexta de R$ 6,34.

A Ânima Educação registrou lucro líquido ajustado de R$ 18,7 milhões no segundo trimestre de 2021, alta de 42,3% ante o mesmo período do ano passado. No acumulado do ano, o indicador teve avanço de 31,7%, para R$ 75,1 milhões. No critério sem ajustes, o lucro foi de R$ 4,9 milhões no trimestre, ante R$ 9,5 milhões em 2020.

O Ebitda foi de R$ 150,1 milhões no trimestre e R$ 287,8 milhões no semestre, alta de 74,7% e 107,7% em relação ao mesmo intervalo de 2020. O Ebitda ajustado foi de R$ 169,2 milhões entre abril e junho e R$ 315,6 milhões, crescimento anual de 84,4% e 50,3%.

A margem Ebitda do segundo trimestre avançou 1,5 ponto porcentual, para 25,6%, enquanto a semestral teve crescimento de 8,8 p.p, para 28,7%.

A empresa atingiu aumento de 64,5% na receita líquida do trimestre, para R$ 586 milhões, e de 44,2% no primeiro semestre, totalizando R$ 1,001 bilhão. A companhia tem ainda contas a receber líquido de R$ 669,6 milhões, R$ 340,9 a mais que na comparação anual por conta das aquisições e dos efeitos de renegociações com estudantes.

A Ambipar registrou um lucro líquido de R$ 41,3 milhões no segundo trimestre de 2021, um crescimento de 241,3% versus igual período de 2020 e 28,0% comparado ao primeiro trimestre de 2021. A margem líquida atingiu 11,9%.

No trimestre, a receita líquida registrou R$165,9 milhões, um aumento de 119,1% na base anual e de 40,5% comparado ao primeiro trimestre de 2021.

Esse crescimento é oriundo principalmente do aumento no número de contratos de gestão total de resíduos com foco na valorização (17 no segundo trimestre de 2020, 66 no primeiro trimestre de 2021 e 69 no segundo trimestre de 2021). O aumento de 44 contratos (no primeiro trimestre) é resultado da incorporação da AFC, empresa adquirida em janeiro de 21, a Metal Ar adicionou 6 novos contratos e adição de 3 novos contratos da Environment, afirmou a companhia.

OceanPact (OPCT3)

A OceanPact teve lucro líquido de R$ 18,5 milhões no segundo trimestre de 2021, ante prejuízo de R$ 20,1 milhões do primeiro trimestre do ano, com melhora do resultado operacional e pelo efeito positivo não caixa de variação cambial sobre a dívida em dólar junto ao BNDES.

A receita líquida foi a R$ 197,1 milhões.

Segundo o BBA, a prestadora de serviços em ambiente marinhoapresentou resultados fracos referentes ao
segundo trimestre, porém, em linha com o esperado. O Ebitda foi de R$ 35 milhões no período.

A empresa também divulgou projeções (ou guidance) do EBITDA para 2021 e 2022. As estimativas da companhia são de R$ 160 – R$ 180 milhões para este ano, 42% abaixo da expectativa do banco; e de R$ 320 -R$ 380 milhões para o ano que vem, 30% inferior aos números dos analistas.

“As novas projeções divulgadas pela Oceanpact estão abaixo dos números discutidos durante o processo de abertura de capital, mas acreditamos que os dados piores já estejam incorporados no atual preço da ação, dado que OPCT3 caiu 65% desde o IPO da companhia, em fevereiro deste ano”, apontou.

Hermes Pardini (PARD3)

O lucro líquido da Hermes Pardini atingiu R$ 70,8 milhões no segundo trimestre de 2021, um novo recorde para a companhia, apresentando aumento de 906,8% quando comparado com o segundo trimestre de 2020, informou a companhia. A margem líquida foi de 13,6% no 2T21, aumento de 1.087 bps . A  alíquota efetiva de IR/CSLL foi de
31,4% no trimestre, sendo de 39,6% no mesmo período do ano passado.

A Priner reverteu parcialmente o prejuízo de R$ 16,7 milhões no segundo trimestre de 2020 e teve lucro de R$ 6,2 milhões no segundo trimestre de 2021.

A receita líquida avançou 131,4% entre abril e junho, para R$ 111,5 milhões.

De acordo com a XP, a Priner divulgou um forte segundo trimestre, marcado pelo robusto crescimento de receitas, em linha com a prévia operacional divulgada pela companhia em julho.

Além do aumento das vendas, destaque para o incremento substancial de margem bruta no período, impulsionado por uma combinação de menores custos relacionados à Covid-19 e melhoria de performance em todos os serviços oferecidos, principalmente naqueles de maior valor agregado (pintura, isolamento térmico e inspeções).

A Priner também entregou um Ebitda e um Lucro Líquido bem acima de nossas expectativas e indicou que o bom momento operacional deve continuar, ao celebrar um volume de novos contratos de R$ 219,9 milhões no trimestre. “Com isso, reiteramos nossa recomendação de compra em PRNR3, com preço-alvo de R$13,40 por ação”, destacam os analistas.

De acordo com a XP, a G2D reportou resultado em linha com o esperado e sem grandes surpresas no segundo trimestre de 2021, uma vez que os principais eventos já haviam sido comunicados.

O Valor Líquido dos Ativos (NAV) atingiu R$ 640 milhões no trimestre, considerando os eventos subsequentes ao trimestre, um Valor Presente Líquido de R$ 1,062 bilhão.

Os principais eventos do período foram: i) Reavaliação da Blu; ii) Reavaliação do Mercado Bitcoin; iii) Reavaliação da NotCo; iv) Venda de participação na Coinbase; v) Investimento na Seed Health e na Freddie’s Flowers.

Com isso, a XP revisou o preço-alvo para R$ 11 por ação (versus R$ 9 por ação anteriormente), pois acreditam que a empresa deva negociar com 0% de deságio em relação ao Valor Presente Líquido.

Ultrapar (UGPA3)

A Ultrapar fechou acordo para vender 100% de sua empresa de químicos especiais Oxiteno para o grupo tailandês de produtos químicos Indorama Ventures por US$ 1,3 bilhão, informaram as companhias nesta segunda-feira.

Rede D’Or (RDOR3) e Alliar (AALR3)

O grupo de hospitais Rede D’Or informou que o seu conselho de administração aprovou a realização de uma oferta pública de aquisição (OPA) das ações do Centro de Imagem Diagnósticos Alliar.

Segundo fato relevante, o objetivo da OPA é adquirir a totalidade das 118.292.816 ações ordinárias da Alliar, a um preço equivalente a R$ 11,50 por papel – o que avaliaria o negócio em R$ 1,35 bilhão.

Para a XP, esta transação como um movimento muito interessante para a Rede D’Or, pois amplia seu portfólio de serviços oferecidos com uma sobreposição de operações entre as empresas em 7 Estados dos 12 Estados que a Rede D’Or opera atualmente. Além disso, aumentar sua exposição a diagnósticos ajuda a Rede D’Or a criar um ecossistema de saúde mais forte.

A oferta pública ainda está sujeita à aprovação da CVM. Em seguida, será publicado o edital da OPA estabelecendo os prazos da oferta. Após a publicação do edital da OPA o Conselho de Administração da Alliar terá 15 dias para apresentar sua opinião sobre a oferta aos seus acionistas, recomendando-lhes que aceitem ou não a oferta.

“Reiteramos nossa recomendação de Compra para a Rede D’Or e o preço-alvo de R$ 88 por ação. Para a Alliar, mantemos nossa recomendação neutra e preço alvo de R$ 10 por ação”, afirmam os analistas.

O Itaú BBA atualizou seus modelos para empresas dos setores de aço e mineração sob sua cobertura, apresentando o preço-alvo de 2022, que incorpora os resultados do segundo trimestre de 2021, as previsões sobre PIB e câmbio da equipe macro e as presunções mais altas da equipe de estratégia sobre custo de capital. A previsão para o preço médio do minério de ferro subiu levemente, de US$ 155 por tonelada para US$ 170 por tonelada.

O banco diz que vê um momento desafiador para a commodity, por conta de dados que indicam redução da produção de aço na China. E diz que as perspectivas de valorização da CSN e da Usiminas não representam proposições atraentes de risco e recompensa. Assim, o banco rebaixou ambos os papéis de outperform para market perform (perspectiva de valorização dentro da média do mercado).

Mas manteve as recomendações outperform para Vale e Gerdau, que são suas escolhas favoritas (top picks em inglês) no setor. Para a Vale, o banco apresenta preço-alvo para 2022 em US$ 25, frente ao fechamento de US$ 20,64 de sexta para os papéis VALE na Bolsa de Nova York; para a CSN, de R$ 48, frente a R$ 42,61 de sexta; para Usiminas, R$ 24, frente a R$ 21,15 de sexta para os papéis USIM5; para a Gerdau, R$ 31,32, frente a R$ 40 para os papéis GGBR4.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Quer atingir de uma vez por todas a consistência na Bolsa? Assista de graça ao workshop “Os 4 Segredos do Trader Faixa Preta” com Ariane Campolim.

Resultados de Raízen, Embraer, Cogna, Natura, Magalu, CCR, Cyrela e mais dezenas de balanços; estreia da Kora na B3 e outros destaques

SÃO PAULO – A temporada de resultados é bastante movimentada, com a repercussão dos resultados de Embraer, Cogna, Americanas, Magazine Luiza, Natura, CCR e mais dezenas de balanços. Cosan, CVC e Vivara divulgam seus números após o fim do pregão.

A sessão também marca a estreia da Kora Saúde na B3. Ainda em destaque, a JBS informou que aprovou o envio de uma proposta à Pilgrim’s Pride Corporation para aquisição da totalidade das ações da companhia, negociadas nos Estados Unidos (Nasdaq). Confira os destaques:

Kora Saúde (KRSA3)

A sessão desta sexta-feira marca a estreia das ações da Kora Saúde na B3.

A ação da companhia foi precificada a R$ 7,20 na oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês), no piso da faixa indicativa.

Com isso, a empresa levantou R$ 769,9 milhões, considerando a oferta base e a venda de cerca de 10% de ações adicionais. O montante desconsidera a eventual venda de lote suplementar.

Metade do valor arrecadado, segundo prospecto, deve ser usado em aquisições, enquanto o restante será destinado à expansão orgânica.

A JBS informou na noite de quinta que aprovou o envio de uma proposta à Pilgrim’s Pride Corporation para aquisição da totalidade das ações da companhia, negociadas nos Estados Unidos (Nasdaq).

Segundo fato relevante, o preço oferecido por ação é de US$ 26,50 e o objetivo é fechar o capital da empresa. Atualmente, a JBS detém, por meio de suas subsidiárias, 80,21% das ações da empresa de criação, incubação, processamento e distribuição de frangos e suínos.

Caso a proposta seja aceita, a JBS informa que fará a aquisição por meio de uma de suas subsidiárias nos Estados Unidos e que a Pilgrim’s Pride Corporation poderá se tornar sua subsidiária integral. Veja mais clicando aqui. 

PUBLICIDADE

O Bradesco BBI afirmou que o anúncio foi uma surpresa para nós, mas pode indicar que a JBS continuará com sua listagem (IPO) nos Estados Unidos, o que pode ser um potencial gatilho positivo para as ações. “Todo o resto igual, refletindo esta exclusão do modelo do BBI não mudaria o preço-alvo de R$ 38,00 para a JBS (e recomendação de compra)”, apontam.

Os analistas do BBI estimam que a proposta de fechamento da PPC implica que a JBS terá que pagar US$ 1,3 bilhão para comprar os cerca de 20% que não possui na PPC. O preço oferecido implica um prêmio de 17% sobre o preço de fechamento da PPC em 12 de agosto e um múltiplo EV / EBITDA de um ano a frente de 6,5 vezes, em linha com o múltiplo histórico da PPC de 5 anos.

No entanto, o múltiplo implícito pago pela PPC está acima do múltiplo de negociação da JBS de 4,2 vezes. O que explica esse movimento, na opinião dos analistas do BBI, é de que a JBS pode estar procurando listar toda a sua operação nos Estados Unidos, ou a maior parte dela e, portanto, manter a PPC listado pode não fazer sentido – ter uma entidade maior/mais líquida pode destravar mais valor.

“Dito isso, vemos a JBS sendo negociada com um desconto excessivo de aproximadamente 45% em relação a seu
principal concorrente nos EUA, a Tyson Foods, desconto que poderia ser parcialmente fechado com uma listagem nos Estados Unidos – estimamos que cada redução de 10 pp no desconto para a Tyson Foods, implica um aumento no preço das ações da JBS de R$ 7,00”, apontam os analistas.

A Petrobras não poderá ampliar as escalas de trabalho de empregados próprios e trabalhadores terceirizados quando não houver prévia autorização em instrumento coletivo de trabalho vigente. A decisão, do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT), é válida para todo território nacional.

A medida, divulgada na quinta, é decorrente de Ação Civil Pública (ACP) ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro (MPT), no âmbito do Projeto Ouro Negro.

Segundo nota do MPT, desde o início da pandemia da Covid-19, o órgão tem recebido diversas denúncias de que empresas do setor de óleo e gás, entre elas a Petrobras e empresas terceirizadas, alteraram, unilateralmente, as escalas de trabalho de seus empregados, que é de 14×14, impondo novo regime de trabalho a bordo, de 21×21 dias ou 28×28 dias, sem prévia negociação coletiva. Saiba mais clicando aqui. 

A Cielo fechou a venda da subsidiária Multidisplay para a Bemobi ([ativo=BMBO3]) pelo total de até R$ 185 milhões, segundo fato relevante da empresa de meios de pagamentos à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta sexta-feira.

PUBLICIDADE

Do montante total, R$ 125 milhões referem-se a uma parcela fixa a ser paga na data de fechamento do negócios e R$ 60 milhões a uma parcela variável sujeita a determinadas premissas após o encerramento da operação.

A venda da Multidisplay “faz parte da estratégia de crescente concentração da companhia em suas competências centrais”, afirmou a Cielo.

O Bradesco BBI destacou ver o anúncio como positivo para a Cielo, já que a venda deve ser acretiva não apenas do ponto de vista de valuation, mas também de uma perspectiva qualitativa que deve permitir à Cielo focar em seus negócios principais. O valor representa cerca de 2% do valor de mercado da Cielo.

Minério de ferro

Os contratos futuros do minério de ferro negociados na China fecharam em queda nesta sexta-feira, engatando a segunda semana consecutiva de perdas, diante da fraca demanda pela matéria-prima siderúrgica devido aos controles de produção de aço impostos pelo governo local.

A Associação Chinesa de Ferro e Aço disse em comunicado divulgado nesta semana que as usinas que emitem maior poluição ou consomem mais energia devem reduzir seus níveis de produção. A entidade também prometeu garantir que a fabricação de aço recue em 2021 em uma base anual.

As taxas de utilização de capacidade dos altos-fornos em 247 usinas ao redor da China tiveram leve recuperação nesta semana, atingindo 85,89%, mas seguem bem abaixo da marca de 95,16% registrada em igual período do ano passado, segundo dados da consultoria Mysteel.

O contrato mais negociado do minério de ferro na bolsa de commodities de Dalian chegou a recuar 4,2% nesta sexta-feira, a 814 iuanes (US$ 125,66) por tonelada, antes de fechar em queda de 0,9%, a 842 iuanes/tonelada. Na semana, os futuros do minério acumularam queda de 8,2%.

Já os preços “spot” do minério com 62% de teor de ferro para entrega à China  cederam US$ 4 nesta sexta-feira, a US$ 162/tonelada, depois de já terem recuado US$ 2 na véspera, de acordo com a consultoria SteelHome.

PUBLICIDADE

A empresa de energia Raízen teve lucro líquido de R$ 800,5 milhões no primeiro trimestre do ano/safra 2021 (trimestre de abril a junho), ante prejuízo líquido de R$ 332,8 milhões registrado em igual período de 2020, conforme dados atribuídos aos controladores.

O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda) ajustado do primeiro trimestre do ano/safra 2021 foi de em R$ 1,76 bilhão, 12 vezes superior ao Ebitda de R$ 143,6 milhões de um ano antes.

A Cogna  teve prejuízo líquido ajustado de R$ 20,376 milhões no segundo trimestre, queda de 85,4% nas perdas na comparação com igual período de 2020, quando teve perdas de R$ 139,987 milhões.

A receita líquida foi a R$ 1,3 bilhão, uma redução de 5% refletindo as pressões de receita no ensino superior presencial, cujo resultado foi parcialmente compensado pelo crescimento observado nas receitas de ensino superior EAD e Vasta.

Já o Ebitda recorrente da Cogna foi de R$ 329,5 milhões no segundo trimestre de 2021, o que representa um crescimento de 173,2% na comparação com o mesmo período de 2020. No mesmo período, a margem Ebitda (Ebitda sobre receita líquida) recorrente atingiu 25,3%, uma expansão de 16,5 pontos percentuais.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

Embraer (EMBR3

A Embraer apresentou lucro líquido ajustado (excluindo-se impostos diferidos e itens especiais) de R$ 212,8 milhões e lucro por ação ajustado de R$ 0,29. Este é o primeiro lucro líquido ajustado trimestral da companhia relatado desde o primeiro trimestre de 2018, com impulso da recuperação da demanda por viagens após a forte queda relacionada à pandemia de Covid-19. No segundo trimestre de 2020, o prejuízo líquido ajustado tinha sido de R$ 1,071 bilhão.

A receita líquida da companhia foi de R$ 5,922 bilhões no período, alta de 106,76% em base anual, com crescimento de dois dígitos em todos os segmentos de negócio.

Quer fazer perguntas aos CEOs das empresas que se destacam na Bolsa? Acompanhe a série Por Dentro dos Resultados no YouTube do InfoMoney

A Embraer também divulgou suas estimativas financeiras e de entregas para 2021. Ela estima que as entregas de jatos comerciais fiquem entre 45 e 50 aeronaves e a de jatos executivos entre 90 e 95 unidades. No ano, a projeção é de receita líquida consolidada entre US$ 4 bilhões a US$ 4,5 bilhões, com margem EBIT ajustada de 3,0% a 4,0%, margem EBITDA ajustada de 8,5% a 9,5% e Fluxo de caixa livre entre US$ (150) milhões e zero, sem fusões e aquisições ou desinvestimentos.

Veja mais sobre o balanço clicando aqui. 

A BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão, voltou a registrar prejuízo líquido, desta vez de R$ 199 milhões, no segundo trimestre de 2021, ante lucro líquido de R$ 307 milhões obtido em igual período de 2020, informou a companhia nesta quinta-feira (12).

De acordo com a empresa, o prejuízo decorre de maiores despesas financeiras, cujos principais impactos foram a atualização do valor justo da opção de venda relacionada à combinação de negócios da Banvit e os juros associados ao endividamento, contingências, arrendamentos e passivos atuariais da empresa.

A companhia também informou que, considerando o total societário, o prejuízo líquido no trimestre atingiu R$ 240 milhões.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

A XP apontou que a BRF apresentou incremento da receita com aumento no volume em 6,0% ao mesmo tempo que subiu preços em 20,6%, algo que viram como muito positivo, mas os custos mantiveram o ritmo de alta (alta de 24,6%) e a margem Ebitda recuou para 10,9%, ligeiramente acima da projeção da XP de 10,1%.

No entanto, a empresa aumentou sua participação em produtos de valor agregado (84,2% do volume) e acelerou o ritmo de inovações (7,2% da receita total), melhorando sua estrutura comercial na expectativa de retomada da economia brasileira.

No segmento Internacional, a recuperação nas unidades Halal e de Exportações Diretas foram fundamentais para compensar as margens menores na Ásia. “Em meio a um cenário repleto de incertezas, mantemos nossa recomendação neutra para BRFS3 com preço-alvo de R$ 30 por ação para 2021”, apontam.

A Cyrela teve um lucro líquido de R$ 267 milhões no segundo trimestre de 2021, o que representa um crescimento de 298,2% em relação ao registrado no mesmo período do ano passado, conforme divulgou a construtora nesta quinta-feira (12).

Já o Lucro Líquido dividido pelo Patrimônio Líquido (ROE, na sigla em inglês) da Cyrela foi de 39,3% no trimestre. Foram feitos 19 lançamentos no período, contra três um ano antes.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

Segundo a XP, a Cyrela apresentou resultados fortes no trimestre, ligeiramente acima das estimativas dos analistas. A empresa reportou margens brutas mais fortes do que o esperado devido à maior contribuição dos lançamentos recentes com margens superiores, que compensaram o impacto dos maiores custos de construção.

“Além disso, o desempenho mais forte de suas JVs (Joint Ventures) também ajudou o lucro líquido a superar nossas estimativas para o trimestre”, apontam os analistas, que possuem recomendação de compra e preço-alvo de R$ 33 para a ação.

O lucro líquido da Cury subiu 112,4%, a R$ 78,6 milhões, no segundo trimestre na base de comparação anual.

A receita líquida teve alta de 83,3%, para o recorde de R$ 451,2 milhões, com patamares recordes de lançamentos e vendas do período, de R$ 686,2 milhões e R$ 682,6 milhões, respectivamente.

A margem bruta da companhia foi de 35,4%, no mesmo período do ano passado, para 36,1% de abril a junho deste ano.

A Lavvi teve lucro líquido de R$ 90,4 milhões no segundo trimestre de 2021, um aumento de 6,75 vezes em relação ao mesmo período do ano passado.

A receita líquida foi de R$ 260,2 milhões, multiplicando por cinco na comparação anual.

A XP apontou que, apesar da receita marginalmente abaixo da estimativa dos analistas, a Lavvi reportou resultados sólidos com uma margem bruta robusta de 42% (em linha com as estimativas da XP e alta de 1,7 p.p. trimestre contra trimestre) e mostrou poucos sinais de pressões de custo.

Os resultados foram beneficiados principalmente pelo forte desempenho de vendas de seu recente lançamento principal, o empreendimento Villa Versace. No balanço patrimonial, Lavvi apresentou uma pequena queima de caixa de R$6 milhões, já que a entrada de caixa das vendas do projeto Versace foi compensada pela aquisição de terrenos.

“Em suma, vemos os resultados como positivos e reiteramos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$ 11,50 por ação”, apontam.

A Trisul registrou lucro líquido de R$ 35,4 milhões, estável na comparação anual. A receita líquida subiu 5%, para R$ 210,9 milhões. A margem bruta passou de 33,1% para 36,9%, como reflexo dos aumentos de preços.

A incorporadora paulistana Eztec (EZTC3) obteve lucro líquido de R$ 139,5 milhões no segundo trimestre de 2021, montante 104% maior do que no mesmo período de 2020.

O Ebitda foi de R$ 109 milhões, 101% superior na mesma base de comparação. A margem Ebitda subiu 2 pontos porcentuais, para 38%.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

A Xp apontou que a EZTec apresentou resultados positivos e em linha com as estimativas dos analistas. Apesar da receita e margem bruta mais fortes do que o esperado de 46,3% (1,5 p.p. acima das estimativas da XP e 3,2 p.p. trimestre contra trimestre) devido a um mix mais favorável de projetos sendo reconhecidos (maior contribuição do empreendimento Cidade Maia, que possui margem bruta acima de 51%) e preços de vendas mais elevados.

Do lado negativo, os resultados financeiros mais fracos do que o esperado compensaram parcialmente os resultados e levaram o lucro líquido para patamares próximos das nossas estimativas. A XP reitera recomendação de compra e preço-alvo de R$ 48 por ação;

Lojas Renner (LREN3

A Lojas Renner divulgou nesta quinta-feira (12), após o fechamento do pregão, que apurou lucro líquido de R$ 193,1 milhões no segundo trimestre de 2021, queda de 76,4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando somou R$ 818,1 milhões.

Pressionado em parte por expansão nas despesas operacionais, o número veio abaixo dos R$ 131,7 milhões esperados por analistas consultados pela Refinitv.

De acordo com a companhia, a redução decorreu principalmente da recuperação de crédito fiscal relacionado ao PIS e ao Cofins no período. Em bases comparáveis, o resultado do último trimestre foi 184,7% na base anual, em função, principalmente, do maior resultado operacional.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

A XP aponta que os resultados da companhia mostraram uma recuperação sequencial importante de faturamento com a volta à normalidade acontecendo e a companhia conseguiu apresentar uma melhora relevante de margem bruta. No entanto, as despesas operacionais vieram acima das estimativas da casa, que já incorporavam um cenário mais conservador em relação ao nível de investimentos da construção do seu ecossistema de moda e lifestyle enquanto a companhia queimou R$ 424 milhões de caixa por conta de um aumento relevante em recebíveis.

Magazine Luiza (MGLU3)

O Magazine Luiza registrou lucro líquido ajustado de R$ 89 milhões no segundo trimestre de 2021, revertendo o prejuízo de R$ 62,2 milhões registrado no mesmo período de 2020, informou a companhia nesta quinta-feira (12).

Considerando os ganhos líquidos não recorrentes, o lucro líquido foi de R$ 95,5 milhões, ante prejuízo de R$ 64,5 milhões registrado entre abril e junho do ano passado.

No trimestre, as vendas totais, incluindo lojas físicas, e-commerce com estoque próprio (1P) e marketplace (3P) cresceram 60,5%, para R$ 13,7 bilhões, reflexo do aumento de 46,4% no e-commerce total e de 111,6% nas lojas físicas. O e-commerce atingiu R$ 9,8 bilhões e representou 72% das vendas totais.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

O Credit Suisse destaca que a companhia reportou bons números para o trimestre, combinando crescimento robusto com uma dinâmica saudável de margem Ebitda. O total de GMV reportado foi de alguma forma antecipado pelo mercado.

“Olhando pelo ponto de vista de lucratividade, a margem bruta fico estável, enquanto que a margem Ebitda ajustada continuou em patamares normalizados (5,2%) dado uma diluição dos custos fixos.

As expectativas do Credit sobre a reação do mercado antes da abertura era de neutralidade, já que as expectativas eram bastante altas.

“Papeis de e-commerce no geral brilharam em 2020, mas perderam momentum em 2021 com os portfolios inclinados a empresas value e de commodities. Assim alguns investidores acreditam que há desafios para continuar entregando crescimento nos próximos trimestres dado a performance já brilhando no ano passado. O segundo trimestre veio para ‘trucar’ essa visão. E-commerce bombou e deve continuar tendo um momentum forte”, apontam.

Americanas (AMER3)

A Americanas SA, fruto da integração das operações das Lojas Americanas com a B2W, teve um lucro líquido de R$ 225 milhões no segundo trimestre de 2021, revertendo o prejuízo de R$ 36 milhões registrado no mesmo período do ano passado.

Já o Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciações e Amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) Ajustado da Americanas totalizou R$ 1,07 bilhão, em expansão de 44,9% na comparação anual.

A receita líquida da companhia, por sua vez, somou R$ 6,918 bilhões, valor 46,1% superior ao do segundo trimestre de 2020.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

A Americanas ainda anunciou estimativa de valor presente líquido das sinergias da combinação de negócios com a B2W de R$ 1,6 bilhão até 2024, já considerando os custos da transação.

A companhia projetou ainda em R$ 2,3 bilhões, até 2024, o valor bruto estimado das sinergias, antes dos custos da combinação.

Em sua primeira divulgação após a consolidação da fusão, a XP avalia que a Americanas reportou resultados fracos referentes ao segundo trimestre de 2021, com GMV total subindo 33% na base anual (abaixo dos seus pares), puxado pelo crescimento de 37% do GMV online (acima de Via mas abaixo de Magalu e MELI).

Em relação à rentabilidade, a margem bruta e Ebitda foram pressionadas pela maior penetração das vendas online e investimentos em marketing e novas iniciativas. Com isso, o prejuízo líquido (excluindo-se o efeito não recorrente de R$ 309 milhões referentes à créditos fiscais) totalizou R$ 85 milhões (versus estimativa da XP de perdas de R$ 42 milhões).

Contudo, apesar dos resultados fracos, a XP destaca que a companhia trouxe algumas informações novas positivas como o guidance de sinergias decorrentes da fusão operacional de negócios, totalizando um valor presente estimado de R$1,6 bilhão (3,8% de rendimento) e o anúncio de uma recompra de até 17,5 milhões de ações (4% do free float).

“Vemos a Americanas como um ecossistema robusto com diversas iniciativas sendo implementadas buscando a melhora da experiência, recorrência e fidelização de seus clientes. Ainda, acreditamos que tanto a fusão como a aquisição do HNT devem destravar valor ao longo do tempo, com a companhia inclusive detalhando sinergias a serem capturadas em ambas frentes no seu resultado. Mantemos nossa recomendação de Compra com preço alvo de R$82,0 e R$12,0 por ação para AMER3 e LAME4, respectivamente”, destaca a XP.

O BBI aponta que, apesar de crescer um pouco acima das expectativas da casa, o crescimento do comércio eletrônico ficou abaixo do MercadoLibre e do Magalu, mesmo com a implementação do frete grátis e dos incentivos para que os vendedores usem o atendimento.

“Esperamos ver o crescimento acelerar no segundo semestre contra base de comparação mais fácil, mas até que ponto a Americanas ganhará participação de mercado em 2022 não está claro. Talvez mais importante para as ações seja o anúncio de sinergias por trás da fusão das lojas e negócios online”, avalia.

Banrisul (BRSR6

O Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) registrou lucro líquido de R$ 281,9 milhões no segundo trimestre de 2021, alta de 135,3% ante o resultado de R$ 119,8 milhões apurado no mesmo período de 2020.

A rentabilidade do Banrisul, medida pelo retorno sobre patrimônio líquido (ROAE), deu um salto de 7,2 pontos porcentuais, chegando a 13,1% em um ano. Na comparação com o primeiro trimestre de 2021, houve um recuo de 0,1 ponto.

A carteira de crédito do Banrisul fechou junho em R$ 36,865 bilhões, valor que inclui coobrigação e riscos em garantias prestadas. Excluídas as garantias prestadas, o saldo das operações de crédito totalizou R$ 36,640 bilhões em junho de 2021, com crescimento de R$ 674,2 milhões ou 1,9% nos doze meses.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

Para o BBI, o Banrisul apresentou uma qualidade de lucro fraca, apesar do lucro líquido em linha, o que foi explicado principalmente pela menor alíquota efetiva de imposto, enquanto o lucro antes dos impostos ficou bem abaixo da expectativa do BBI, principalmente em função do menor lucro líquido de juros.

“Observamos que o desempenho do lucro líquido de juros e das receitas com tarifas foi mais fraco do que o de outros bancos, embora reconhecemos que a qualidade dos ativos e as despesas pareciam controladas. Como tal, mantemos nossa recomendação neutra levando em consideração uma qualidade de lucros mais fraca, apesar do valuation”, apontam.

A PagSeguro registrou lucro líquido de R$ 272,1 milhões no segundo trimestre deste ano, resultado 8,2% inferior ao obtido no mesmo período do ano passado.

Já as receitas totais da companhia se expandiram em 74,6%, na mesma comparação, e somaram R$ 2,369 bilhões entre abril e junho.

O volume total de pagamentos (TPV, na sigla em inglês) saltou 154% e alcançou R$ 102 bilhões, no segundo trimestre,

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

O Credit Suisse comentou o crescimento acima do esperado em valor total de pagamentos do PagSeguro, de 89% na comparação anual, e que a receita líquida superou sua estimativa em 7%. O faturamento bruto superou as expectativas do Credit.

O banco vê o PagBank é um sucesso, com crescimento rápido e adição líquida de 2,1 milhões de clientes, dentre os quais 5 milhões são consumidores. O valor total de pagamentos do PagBank cresceu 341% no ano, e 261% no primeiro trimestre. O portfólio de empréstimos atingiu R$ 627 milhões, e as receitas do PagBank cresceram 89% na comparação anual. O Credit ressalta que o PagSeguro revisou suas diretrizes para cima, e mantém avaliação outperform, com preço-alvo de US$ 63, frente à cotação de US$ 57,09 de quinta para os papéis PAGS, negociados na Nasdaq.

O Grupo Soma  teve um lucro líquido de R$ 66,2 milhões no segundo trimestre de 2021, o que representa um crescimento de 252,1% em relação ao registrado no mesmo período do ano passado, conforme divulgou a varejista de moda e vestuário nesta quinta-feira (12).

Já o Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciações e Amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) do Soma totalizou R$ 100,5 milhões, em expansão de 143,9% na comparação anual.

A receita líquida da companhia, por sua vez, somou R$ 566,2 milhões, valor 58,8% superior ao do segundo trimestre de 2020.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

Energisa (ENGI11

Influenciada por uma forte recuperação nas vendas, a Energisa reportou lucro líquido consolidado de R$ 749 milhões no segundo trimestre do ano, revertendo prejuízo de R$ 88 milhões registrado no mesmo período do ano passado.

O movimento reflete o efeito positivo de R$ 142 milhões referente à Marcação a Mercado de Derivativos, sem efeito caixa, sendo R$ 72,8 milhões de impacto negativo referente ao bônus de subscrição atrelado à 7ª emissão.

Também se deve considerar o impacto de R$ 214,8 milhões positivo referente à opção de compra pela companhia da participação de minoritários da Energisa Participações Minoritárias. No acumulado do semestre foi apurado salto de 228,6% no lucro, para R$ 1,622 bilhão.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

A Marisa  teve um prejuízo líquido de R$ 59,5 milhões no segundo trimestre de 2021, o que representa uma melhora ante as perdas de R$ 171,7 milhões no mesmo período do ano passado, mas não uma reversão total, conforme divulgou a varejista de moda e vestuário nesta quinta-feira (12).

Já o Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciações e Amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) Ajustado da Marisa totalizou R$ 40,5 milhões, revertendo o Ebitda negativo de R$ 66,8 milhões no segundo trimestre de 2020.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

A CCR reportou prejuízo líquido de R$ 44 milhões no segundo trimestre do ano, uma perda 69% menor do que a registrada um ano antes, informou a companhia em balanço enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta quinta-feira, 12.

Segundo a concessionária, o resultado se deve a um efeito não recorrente. No trimestre, a companhia celebrou um Termo Aditivo e Modificativo (TAM) preliminar com o governo de São Paulo, que prevê uma indenização de R$ 1,2 bilhão e a aplicação de R$ 2,3 bilhões em rodovias paulistas.

O fato influenciou os resultados e gerou o prejuízo, porém, considerando os dados de mesma base (quando são excluídos o desembolso para o Tesouro estadual, o reequilíbrio de ViaQuatro e a CCR ViaCosteira — que teve contrato assinado em julho de 2020 –, o grupo apresentou lucro líquido de R$ 294,4 milhões, ante prejuízo de R$ 142,5 milhões um ano antes.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

O Itaú BBA avalia os resultados divulgados pela CCR para o segundo trimestre como neutros. A depreciação e a amortização (D&A em inglês) estão em linha com a estimativa do banco, de R$ 531,4 milhões, ligados a um pagamento relacionado com o acordo preliminar entre AutoBan, SPVias e ViaOeste e o governo do estado de São Paulo. O lucro Ebitda e a margem Ebitda se mantiveram estáveis no trimestre.

A concessionária de logística Rumo  teve aumento de receitas no segundo trimestre, favorecida pelo aumento de volumes transportados e das tarifas cobradas de clientes, mas efeitos ligados à renovação da Malha Paulista pesaram no lucro.

A companhia, controlada pela Cosan, anunciou nesta quinta-feira que seu lucro líquido de abril a junho somou R$ 314 milhões, queda de 22,4% sobre um ano antes.

No relatório de resultados, a Rumo explicou que teve um ganho não recorrente de R$ 316 milhões no segundo trimestre de 2020, ligados à renovação da concessão da malha ferroviária paulista.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

A XP avalia que a Rumo reportou resultados fortes, embora esperados.

Além disso, destacou que, “em um bem-vindo exercício de transparência, a administração da Rumo decidiu descontinuar suas projeções financeiras para 2021 dada a baixa visibilidade dos volumes transportados no semestre devido às fracas perspectivas da safra de milho (um evento limitado à safra deste ano, em nossa opinião, não impactando nossas estimativas de demanda positivas de longo prazo)”, apontam.

Apesar do cenário de volume desafiador de 2021, os analistas notaram melhora significativa da Rumo nas tarifas ferroviárias (alta de 14% na base anual e de 2% na trimestral), confirmando uma recuperação sequencial no semestre que deve aliviar as preocupações dos investidores acumuladas desde o fraco desempenho de tarifas em 2020. “Reiteramos nossa recomendação de compra e visão positiva para a Rumo”, aponta a XP.

O Credit Suisse também ressaltou que a Rumo decidiu descontinuar a diretriz (guidance em inglês) para 2021 por conta de incertezas quanto a volumes de milho, prejudicados pelas condições climáticas, atraso em colheitas de soja. As estimativas da empresa para produção de milho foram reduzidas em 14%, a 82 milhões de toneladas, e as exportações de milho, em 38%, a 18 milhões de toneladas. A decisão indica que agora a empresa pretende apresentar resultados abaixo das estimativas mais modestas do lucro Ebitda, de R$ 4 bilhões, apesar de a diretriz relativa a 2025 continuar válida. O Credit Suisse mantém avaliação outperform e preço-alvo de R$ 25.

Natura & Co divulgou nesta quinta-feira lucro de cerca de R$ 235 milhões para o segundo trimestre, revertendo prejuízo do ano anterior, graças às estratégias aprimoradas de e-commerce e integração com a norte-americana Avon.

O Ebitda caiu 3,4% sobre um ano antes, para R$ 630 milhões.

Apesar do impacto da pandemia no setor global de beleza e cuidados pessoais, a empresa informou que suas quatro marcas – The Body Shop, Avon, Aesop e Natura – tiveram vendas maiores no período.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

O BBI apontou que a Natura teve um conjunto sólido de resultados, que mostra desempenhos robustos de todas as marcas em mercados que ainda enfrentam dificuldades (mercados da Avon Internacional) ou em processo de abertura e normalização (Brasil e América Latina).

“O crescimento na América Latina hispânica continua impressionante, com a marca Natura + 78% e a marca Avon + 72% (ambas em moeda constante), o que mostra a força que a primeira está construindo nos principais mercados fora do Brasil, e as primeiras vitórias de uma melhor gestão da Avon. No Brasil, achamos que alguns investidores podem ter planejado um crescimento maior para a marca Natura do que os 8% reportados, mas gostaríamos de observar que a taxa de execução de 2 anos acima de 20% nos trimestres anteriores foi extraordinariamente alta, então o crescimento provavelmente desacelerará para a faixa de 6 a 8%, que vemos como a taxa de execução sustentável para a Natura no Brasil”, avaliam os analistas do BBI.

A receita da Avon Brasil é menor do que no segundo trimestre de 2019 – mais do que no 1T21 – mas o BBI destaca que este foi o primeiro trimestre completo com a nova segmentação e modelo comercial implantado, o que levou à redução da base de representantes.

“A boa notícia é que a empresa está registrando ganhos de market share (mercado) da Avon no Brasil (uma boa notícia por si só) e isso está sendo conquistado junto com ganhos de market share também para a Natura, o que dá um sinal precoce de que as duas marcas são complementares”, avaliam.

Outro ponto importante a ser destacado é a melhora na satisfação dos representantes da Avon no Brasil e também em alguns mercados da Avon International, o que deve reduzir o churn (taxa de rotatividade), o que por sua vez reduzirá os custos de recrutamento de novos representantes e melhorará o serviço oferecido ao consumidor final.

A Sabesp mais do que dobrou seu lucro no segundo trimestre, refletindo sobretudo efeito da valorização do real contra o dólar, o que ofuscou a receita praticamente estável.

A companhia de saneamento do Estado de São Paulo anunciou nesta quinta-feira que seu lucro de abril a junho somou R$ 773,1 milhões, um salto de 104,4% ante mesma etapa de 2020.

Porém, o resultado veio pouco abaixo da previsão de analistas compilada pela Refinitiv, de R$ 819,5 milhões.

Veja mais sobre o resultado clicando aqui. 

A XP aponta que a Sabesp reportou resultados mais fracos do que o esperado, com um Ebitda ajustado de R$ 1,426 bilhão vindo 12,9% e 22,0% abaixo das estimativas da XP e do consenso, respectivamente. “Mantemos nossa recomendação Neutra na Sabesp, com preço-alvo de R$ 50 por ação”, apontam.

A Sanepar teve lucro de R$ 331,8 milhões no segundo trimestre, alta de 16,7% na comparação anual. A receita da companhia subiu 10,7% de abril a junho, para R$ 1,27 bilhão ante igual período de 2020.

O Ebitda foi a R$ 581,9 milhões, alta de 23,3%.

A XP aponta que a Sanepar divulgou resultados melhores do que o esperado no trimestre, com Ebitda ajustado de R$ 582,7 milhões 16,7% acima da  estimativa da casa de R$ 499,1 milhões e 17,9% acima do consenso.

“O sólido resultado reflete o impacto de tarifas médias acima do esperado devido a um melhor mix nos segmentos de água e esgoto, implicando em um aumento de 9,9% nas tarifas de água e 7% nas tarifas de esgoto na base anual, contra estimativas da XP de 2,2% e 2,7%. Além disso, a Sanepar reportou menores custos gerenciáveis de R$ 492,5 milhões, 6,5% abaixo da estimativa de R$ 526,8 milhões.

Por fim, o lucro líquido de R$ 331,8 milhões, 40% acima da estimativa da XP de R$237,1 milhões, também reflexo do resultado operacional mais forte.

“Daqui para a frente, nossa maior preocupação continua sustentada pelas incertezas em relação ao desenrolar da atual crise hídrica do estado do Paraná, na qual acreditamos ser essencial monitorar. Mantemos nossa recomendação neutra nas ações da Sanepar (SAPR11) com preço alvo de R$ 24,50 por unit”, apontam os analistas.

A CPFL Energia  registrou lucro líquido de R$ 1,126 bilhão no primeiro trimestre de 2021, salto de 143,6% ante igual período do ano passado, em meio a uma retomada no consumo de eletricidade no país.

O Ebitda consolidado atingiu R$ 2,054 bilhões, avanço de 70% na comparação anual, acrescentou a CPFL, do grupo chinês State Grid.

“O destaque vem da retomada do consumo de energia, com crescimento de 12,9%, ficando inclusive acima do patamar do segundo trimestre de 2019”, disse em nota o presidente da companhia, Gustavo Estrella.

As vendas de energia na área de concessão da empresa totalizaram 16.881 gigawatts-hora (GWh) no período, de acordo com a CPFL.

“Esse crescimento se deu principalmente na classe industrial, que registrou crescimento 27,4%, em função da recuperação da indústria em segmentos relevantes em nossas regiões”, afirmou o executivo, acrescentando que o segmento comercial teve avanço de 14,1% na comparação anual, mas permaneceu com valor negativo ante mesma etapa de 2019.

No segmento de geração, Estrella destacou um bom desempenho do vento nos parques eólicos da empresa, o que levou a um aumento de 38,2% na geração eólica, e ressaltou que os reajustes contratuais também favoreceram o resultado do trimestre, uma vez que boa parte deles estão atrelados ao IGP-M.

A CPFL ainda reportou receita operacional líquida de R$ 8,813 bilhões no trimestre encerrado em junho, alta de 34,3% no ano a ano, enquanto os investimentos avançaram em 57,2%, para R$ 1,019 bilhão.

A administradora de shopping centers BR Malls registrou lucro líquido ajustado de R$ 57,127 milhões no segundo trimestre do ano, ante R$ 10,246 milhões no mesmo período de 2020, o que representa uma alta de 457,6%.

O Ebitda ajustado somou R$ 140,12 milhões, aumento de 188,4% sobre a mesma base de comparação. A margem Ebitda passou de 26,2% no segundo trimestre de 2020 para 53,5% no mesmo trimestre deste ano.

A receita líquida no intervalo foi de R$ 261,872 milhões, alta de 41,1% sobre abril a junho de 2020.

As vendas totais no trimestre atingiram R$ 3,48 bilhões, aumento de 346% quando comparado ao mesmo período do ano anterior. O indicador de vendas mesmas lojas (SSS) diminuiu 25,3% no trimestre na comparação com 2019.

“Os resultados dos shoppings listados no trimestre foram melhores do que o esperado, especialmente em termos de uma recuperação da receita de aluguel antes do esperado, o que também aconteceu no caso da brMalls. Esperamos que o segundo semestre continue a tendência e até o nosso ponto de preocupação neste trimestre – a inadimplência – deve apresentar uma recuperação gradual”, aponta o BBI, que possui recomendação neutra para o BRML3 e R$ 13,50 por ação de preço-alvo.

A distribuidora de energia Light teve lucro líquido de R$ 3,2 milhões no segundo trimestre de 2021, ante prejuízo líquido de R$ 44,7 milhões registrado no segundo trimestre de 2020.

A receita líquida da companhia foi de R$ 3 bilhões no segundo trimestre de 2021, alta de 27,7% frente os R$ 2,35 bilhões no mesmo período de 2020.

A SLC Agrícola registrou lucro de R$ 447,2 milhões no segundo trimestre, mais do que o dobro (alta de 128,1%) dos R$ 196,1 milhões de um ano antes.

Na mesma base de comparação, a receita líquida subiu 85,5%, chegando a R$ 1 bilhão nos três meses, como resultado do aumento de preços em todas as culturas, combinado ao maior volume faturado de algodão e soja.

Com isso, o resultado operacional medido pelo Ebitda – sigla em inglês do lucro sem os descontos de despesas com a dívida, impostos, depreciação e amortização – ficou em R$ 755,3 milhões, também mais de duas vezes acima (alta de 113,2%) da cifra apurada no segundo trimestre do ano passado.

O resultado final da empresa contou ainda com alta de 52,9% no cálculo do valor justo dos ativos biológicos da companhia, que reflete a expectativa de retorno das lavouras que passam por transformação biológica relevante.

Mahle Metal Leve (LEVE3)

A Mahle Metal Leve teve lucro líquido R$ 170 milhões no segundo trimestre de 2021, ante prejuízo de R$ 39,5 milhões no mesmo período de 2020.

A receita líquida de vendas subiu 146,4%, a R$ 360,9 milhões.

O Bradesco BBI avaliou os resultados da Mahle Metal Leve como acima do esperado. O Ebitda ajustado no segundo trimestre de R$ 194 milhões é superior àquele do mesmo período de 2020, de R$ 9 milhões, e equivalente a 69% daquele do mesmo período de 2019, e acima da expectativa do Bradesco, de R$ 109 milhões.

O Bradesco mantém avaliação underperform (perspectiva de desempenho abaixo da média do mercado), mas elevou o preço-alvo de 2022 de R$ 21 para R$ 24, incorporando os resultados do trimestre em seu modelo de valoração, e elevou a estimativa para 2021 em 53%, e de 2022 a 44% por conta de créditos fiscais e margem Ebitda acima do esperado no primeiro semestre.

A Ser Educacional teve lucro líquido de R$ 25,6 milhões no segundo trimestre de 2021, 53,0% abaixo frente o lucro líquido de R$ 54,7 milhões apurado no segundo trimestre de 2020.

A receita líquida foi de R$ 734,8 milhões no segundo trimestre de 2021, alta de 18,2% em relação aos R$ 621,8 milhões no mesmo período de 2020.

O Ebitda totalizou R$ 107,8 milhões, 19,4% menor sobre o Ebitda de R$ 133,6 milhões em igual período do ano passado.

A XP apontou que a Ser divulgou um conjunto misto de resultados com uma receita líquida 12% acima do esperado ofuscada por uma queda de lucro líquido, principalmente devido a despesas não recorrentes e resultado financeiro pior do que o esperado (juros mais baixos na mensalidade e descontos maiores);

A companhia apresentou fortes indicadores operacionais com um número de alunos 3% acima do esperado devido a aquisições e EAD, com ticket médio 8% acima da expectativa da XP. No entanto, o Ebitda ajustado de R$ 97 milhões ficou 10% abaixo das estimativas da XP, principalmente devido a maiores despesas com marketing e pessoal.

“O resultado sem brilho nos leva a reiterar nossa recomendação neutra e preço-alvo de R$ 17 por ação”, aponta.

Grupo SBF (SBFG3)

O Grupo SBF, controlador da Centauro, registrou lucro líquido de R$ 24,078 milhões no segundo trimestre de 2021, revertendo o prejuízo de R$ 102,287 milhões registrado um ano antes.

Entre abril e junho, o Ebitda somou R$ 169,394 milhões, também revertendo o indicador negativo de R$ 46,759 milhões na comparação anual. No critério ajustado, a empresa teve Ebitda de R$ 149,809 milhões e R$ 93,169 milhões (ex-IFRS), revertendo os resultados negativos de R$ 37,544 milhões e R$ 84,858 milhões, respectivamente.

A companhia atingiu receita líquida de R$ 1,122 bilhão no trimestre, alta anual de 369,1%. A dívida líquida foi de R$ 473,995 milhões, enquanto a alavancagem medida por dívida líquida ajustada por Ebitda foi de 1,59x, ante caixa líquido de R$ 917,713 milhões e -2,19x no ano anterior.

A empresa apresentou um resultado financeiro negativo de R$ 44,6 milhões no segundo trimestre, devido ao aumento de despesas financeiras no trimestre devido ao maior endividamento da companhia, justificado pelas dívidas tomadas para aquisição de Fisia e para reforço de caixa devido à pandemia. O fluxo de caixa operacional foi negativo em R$ 224,3 milhões.

A rede de medicina diagnóstica Alliar lucrou R$ 10,4 milhões no segundo trimestre de 2021, ante do prejuízo de R$ 84 milhões apurado um ano antes.

O Ebitda foi de R$ 64,8 milhões, com margem de 22,9%, ante Ebitda negativo de R$ 34,4 milhões e margem de -26,5% um ano antes.

A receita líquida subiu mais de 100%, a R$ 283 milhões, puxada pelo crescimento de exames de imagem que totalizaram receita bruta de R$ 247,6 milhões, avanço de 116,8%.

A Alper registrou um lucro líquido ajustado de R$ 1,725 milhão no segundo trimestre de 2021, alta de 201% na base de comparação anual.

A receita líquida saltou 43,5%, a R$ 32,695 milhões. O Ebitda ajustado subiu 114%, para R$ 6,238 milhões, enquanto a margem Ebitda avançou 6,3 pontos percentuais, a 19,1%.

Alphaville (AVLL3)

A Alphaville teve queda de 32,3% seu prejuízo líquido no segundo trimestre deste ano ante igual período de 2020, passando R$ 116,3 milhões para R$ 78,7 milhões, com valores  atribuíveis aos controladores.

A receita líquida foi R$ 22,2 milhões negativos para R$ 69,3 milhões em abril a junho de 2021.

A Arezzo teve lucro líquido atribuível aos sócios controladores de R$ 132,5 milhões no segundo trimestre deste ano, ante o prejuízo de R$ 82,3 milhões registrado no mesmo período de 2020.

A receita líquida saltou 258%, a R$ 553 milhões.

O Ebitda ajustado foi de R$ 84 milhões, ante resultado negativo de R$ 72,1 milhões em igual período de 2020. A margem ajustada cresceu 12 pontos percentuais, para 15,2%.

A XP aponta que a Arezzo registrou resultados sólidos no segundo trimestre, com Ebitda 9% acima das estimativas, impulsionado por margens brutas mais altas e menores despesas de SG&A.

Os principais destaques foram: (i) sólido desempenho de vendas, com vendas brutas 40,5% acima dos níveis de 2019, principalmente explicadas pela Reserva e Vans (com um crescimento orgânico estimado em alta de 7% e vendas ex-Reserva/Vans estagnadas vs 2019); e (ii) rentabilidade sólida, com expansão da margem bruta em funçao de vendas maiores da AR&Co, penetração do comércio eletrônico e menores promoções, e expansão da margem Ebitda com alavancagem operacional.

BMG 

O banco BMG teve lucro recorrente de R$ 85 milhões no segundo trimestre, 15,2% menor frente igual período do ano passado e baixa de 2,9% ante o primeiro trimestre.

A margem financeira foi de R$ 924 milhões, com retração de 8,3% na comparação anual e de 2,2% na trimestral.

O ROAE (retorno ajustado anualizado) foi de 8,8% no segundo trimestre, ante 9,0% no primeiro trimestre.

A plataforma de distribuição de seguros e produtos financeiro Wiz Soluções teve lucro líquido ajustado de R$ 84,6 milhões no segundo trimestre de 2021, alta de 66,8% na comparação anual.

A receita bruta foi de R$ 244,8 milhões, alta de 44,5% em relação ao mesmo intervalo do ano passado. O Ebitda ajustado subiu 43,8%, a R$ 109,5 milhões.

Bradespar (BRAP4)

A Bradespar, holding que detém participação na Vale, teve lucro de R$ 2,24 bilhões no segundo trimestre, alta de 673% frente os R$ 290,8 milhões registrados no mesmo período de 2020.

Grupo Mateus (GMAT3)

O Grupo Mateus, empresa de varejo que atua no Norte e Nordeste do País, apresentou lucro líquido ajustado de R$ 191 milhões no segundo trimestre, apontando leve queda de 2,5% ante o mesmo intervalo de 2020. A receita líquida no período somou R$ 3,724 bilhões, 28,9% maior que a de um ano atrás.

A companhia destaca a abertura de 45 lojas nos últimos 12 meses, das quais 20 estão em novas cidades e um ganho de 10% de participação em venda bruta com as inaugurações.

O Ebitda ajustado somou R$ 248 milhões, indicando queda de 2,5% ante o segundo trimestre de 2020, ao passo que no critério ajustado alcançou R$ 255 milhões, uma leve alta de 0,5%. A margem Ebitda ajustada caiu 1,9 ponto porcentual, para 6,8%.

O resultado financeiro ficou em R$ 13,3 milhões, com uma queda de 60,1% sobre o segundo trimestre de 2020. Entre abril e junho, as despesas do grupo com vendas representaram 8,9% da receita líquida, contra 6,7% de um ano antes. Esse aumento, acrescenta a companhia, pode ser atribuído, principalmente, ao crescimento da venda bruta em mesmas lojas e à boa performance das 45 lojas inauguradas.

A XP aponta que o Grupo Mateus reportou resultados sólidos do segundo trimestre de 2021, acima das estimativas dos analistas. O principal destaque do resultado foi o crescimento do faturamento em 29% na comparação anual, principalmente impulsionado pela forte abertura de lojas da companhia (45 novas lojas nos últimos doze meses e 12 entre abril e junho).

Apesar de apresentar uma pressão de margem bruta (queda de 0,8 ponto na base anual), a companhia conseguiu expandir a margem Ebitda (alta de 0,2 ponto na base anual) através de alavancagem operacional e controle de despesas, apesar de maiores despesas com a transferência da operação do CD de Belém do Pará para Santa Isabel. A companhia apresentou uma queima de caixa de R$ 28 milhões, explicada principalmente pelos investimentos associados ao seu plano de expansão.

Paraná Banco

O lucro líquido do Paraná Banco somou R$ 43,5 milhões no segundo trimestre, queda de 15% em relação ao primeiro trimestre, mas aumento de 173,6% em um ano.

O retorno sobre o patrimônio líquido médio (ROAE) foi a 14% em junho, redução de 3,4 pontos na comparação trimestral e incremento de 8,5 pontos percentuais em 12 meses.

Track&Field (TFCO4)

A Track&Field teve lucro líquido de R$ 13,4 milhões no segundo trimestre de 2021, ante prejuízo líquido contábil de R$ 1,38 milhão em igual período de 2020.

O Ebitda ficou em R$ 20,1 milhões, com margem de 21,3%, mais de 19 vezes o resultado do mesmo trimestre ano anterior. O Ebitda ajustado totalizou R$ 17,8 milhões.

O TC (Traders Club) teve lucro líquido ajustado de R$ 1,1 milhão no segundo trimestre, queda de 8,4% em relação aos três primeiros meses de 2021 e 72,3% menor em comparação ao mesmo período de 2020. Depois de uma margem Ebitda de 62% 12 meses atrás, a métrica caiu para 4,9%.

As receitas líquidas subiram 60,8% no trimestre e 196% em 12 meses, para R$ 23,2 milhões, com efeito do aumento do número de assinaturas e do lançamento de planos de maior valor agregado (o TC Premium). Contudo, contratações para posições chave na fase pré-IPO reduziram a margem e pesaram no desempenho, destacou o CEO do TC, Pedro Albuquerque Filho.

A Dasa reverteu o prejuízo de R$ 343 milhões registrados no segundo trimestre de 2020 e apurou lucro líquido ajustado (que inclui impactos da Covid-19, efeitos não recorrentes e stock options) de R$ 451 milhões entre abril e junho deste ano.
A receita operacional bruta totalizou $ 2,8 bilhões no período, aumento de 104,8% na base trimestral e recorde para a companhia.

O Ebitda ajustado no período foi de R$ 591 milhões, ante resultado negativo de R$ 79 milhões um ano antes. Já a margem ajustada veio em 22,7%, contra margem negativa de 6,3% no segundo trimestre de 2020.

Eletromidia (ELMD3)

A Eletromidia encerrou o segundo trimestre de 2021 como prejuízo líquido de R$ 10,6 milhões, uma melhora de 71,5% em relação ao prejuízo de R$ 37,3 milhões registrado no mesmo período do ano passado.

Entre abril e junho deste ano, a companhia teve uma receita líquida de R$ 70,9 milhões, crescimento de 354,8% ante os R$ 15,6 milhões apurados nos mesmos meses de 2020.

Já o Ebitda ajustado veio em R$ 9 milhões, crescimento de 134% na base anual, com margem Ebitda de 12,6%.

A Mills Estruturas e Serviços de Engenharia registrou lucro líquido de R$ 19,9 milhões no segundo trimestre deste ano, revertendo prejuízo de R$ 12,5 milhões apurado um ano antes.

Entre abril e junho de 2021, a receita líquida totalizou R$ 172,4 milhões, alta de 75,4% em relação aos R$ 98,3 milhões apurados no mesmo período de 2020.

O Ebitda ajustado somou R$ 61,9 milhões, 201,4% acima dos R$ 20,6 milhões registrados um ano antes.

A companhia também aprovou a distribuição de R$ 20,1 milhões de Juros Sobre Capital Próprio (JC) antecipados referentes ao lucro líquido no primeiro semestre, que serão pagos no terceiro trimestre deste ano.

Multilaser (MLAS3)

A Multilaser Industrial encerrou o segundo trimestre de 2021 com lucro líquido de R$ 202,3 milhões, alta de 122,9% em relação aos R$ 90,7 milhões registrados um ano antes.

A receita líquida da companhia teve queda de 11,8% na base anual, para R$ 1,2 bilhão, enquanto o Ebitda somou R$ 186,4 milhões, ante R$ 98,9 milhões no segundo trimestre de 2020 – alta de 88,6%.

A Neogrid registrou lucro líquido de R$ 8,9 milhões no segundo trimestre deste ano. O resultado representa um aumento de 461,7% em relação ao lucro de R$ 1,6 milhão registrado um ano antes.

A receita líquida da companhia totalizou R$ 58,7 milhões entre abril e junho deste ano, crescimento de 16,7% na base anual.

No período, o Ebitda somou R$ 12,3 milhões, 27,5% acima dos R$ 9,7 milhões registrados no mesmo trimestre de 2020. Já a margem Ebitda ficou em 21% no último trimestre – aumento de 1,8 ponto percentual na base anual.

Springs Global ( SGPS3)

A empresa de lar e decoração Springs Global teve prejuízo líquido de R$ 37,8 milhões no segundo trimestre deste ano, ampliando o prejuízo de R$ 65,2 milhões registrado um ano antes.

A receita da companhia subiu 46,2% entre abril e junho deste ano, na base anual, para R$ 385 milhões.

Já o Ebitda veio em R$ 43 milhões, bem acima dos R$ 2,7 milhões no segundo trimestre de 2020. A margem Ebitda, por sua vez, ficou negativa em 9,8% — melhora de 15 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano anterior.

Em mais um trimestre impactado pelo coronavírus, a empresa de entretenimento T4F registrou prejuízo líquido de R$ 14,6 milhões no segundo trimestre deste ano.

O resultado, contudo, representa uma melhora de 43% em relação ao prejuízo de R$ 25,6 milhões apurado um ano antes.

Excluindo efeitos não recorrentes, o prejuízo líquido foi de R$ 12 milhões no último trimestre.

A receita líquida da companhia ficou em R$ 1,6 milhão, queda de 41% na base anual, enquanto o Ebitda ajustado ficou negativo em R$ 9,7 milhões – melhora de 21% em relação ao mesmo período de 2020.

O Grupo Technos apurou lucro líquido de R$ 7,6 milhões no segundo trimestre deste ano, revertendo parte do prejuízo de R$ 17,3 milhões registrado um ano antes.

A receita líquida da companhia cresceu 329,2% ante o segundo trimestre de 2020, para R$ 76,5 milhões, enquanto o Ebitda ajustado somou R$ 17,5 milhões, com margem Ebitda ajustada de 22,9%.

Renova Energia ( RNEW4)

A Renova Energia, em recuperação judicial, encerrou o segundo trimestre de 2021 com prejuízo líquido de R$ 54,3 milhões, alta de 5,6% em relação ao prejuízo de R$ 51,5 milhões registrado no mesmo período de 2020.

A receita operacional líquida da companhia somou R$ 25,6 milhões, alta de 127,4% ante os R$ 11,3 milhões apurados um ano antes.

Já o Ebitda ajustado veio em R$ 3,3 milhões, queda de 91,1% ante o Ebitda de R$ 37,3 milhões registrado no mesmo período de 2020.

3tentos ( TTEN3)

A empresa do setor agrícola 3tentos mais que duplicou seu lucro líquido no segundo trimestre deste ano, para R$ 114,3 milhões. No mesmo período de 2020, a companhia havia registrado lucro de R$ 35 milhões.

Entre abril e junho deste ano, a empresa apurou uma receita operacional líquida de R$ 1,2 bilhão, crescimento de 52,3% na base anual, com destaque para o crescimento dos segmentos de insumos e indústria.

O Ebitda ajustado, por sua vez, somou R$ 99,7 milhões no segundo trimestre, alta de 74,1% ante o mesmo período de 2020, com margem Ebitda ajustado de 8,3%, aumento de 1,7 ponto percentual.

Triunfo ( TPIS3)

A Triunfo Participações e Investimentos teve prejuízo líquido da ordem de R$ 5 milhões no segundo trimestre deste ano, um aumento de 550% em relação ao lucro de R$ 1,1 milhão apurado um ano antes.

A receita líquida ajustada ficou em R$ 240,5 milhões, alta de 13,6% na base anual, enquanto o Ebitda ajustado somou R$ 94,8 milhões – alta de 5,8% ante os R$ 89,5 milhões registrados entre abril e junho de 2020.

Já a margem Ebitda veio em 39,4%, queda de 2,9 pontos percentuais na base de comparação anual.

Orizon [(ativo= ORVR3])

A Orizon encerrou o segundo trimestre deste ano com lucro líquido de R$ 6,4 milhões, queda de 74,4% em relação aos R$ 25 milhões apresentados no mesmo período de 2020.

No período, da receita líquida atingiu R$ 92,7 milhões, crescimento de 1,7% frente a registrada no segundo trimestre do ano passado sem créditos de carbono.

Segundo a companhia, os créditos de carbono gerados em 2021 serão negociados em “momento oportuno”, dado a tendência de valorização dos preços no mercado mundial.

O Ebitda ajustado totalizou R$ 37,6 milhões no período, alta de 23,8% na base anual, com margem Ebitda ajustado de 40,5%.

Westwing (WEST3)

A Westwing registrou um lucro líquido de R$ 596,6 mil no segundo trimestre de 2021, ante R$ 15,83 milhões em igual período de 2020.

O Ebitda Ajustado no trimestre foi negativo em R$ 3,3 milhões, melhora de R$ 1,4 milhão em relação ao primeiro trimestre de 2021, e redução de R$ 6,2 milhões em relação ao segundo trimestre de 2020, em função dos maiores investimentos na operação, apontou a companhia.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Quer atingir de uma vez por todas a consistência na Bolsa? Assista de graça ao workshop “Os 4 Segredos do Trader Faixa Preta” com Ariane Campolim.

Repercussão de resultados do 2º trimestre de RD, C&A, Marfrig e mais; Eletrobras, Raízen, JBS e outros destaques

(Getty Images)

O noticiário corporativo é movimentado, com destaque mais uma vez para a temporada de balanços do segundo trimestre.

Na véspera, foram divulgados os números de BR Distribuidora (BRDT3), C&A (CEAB3),  Marfrig (MRFG3), NotreDame Intermédica (GNDI3), Porto Seguro (PSSA3), Taurus Armas (TASA4), Qualicorp (QUAL3), Randon (RAPT4) e Raia Drogasil (RADL3).

Serão divulgados nesta quarta-feira os resultados de Aeris (AERI3), Aliansce Sonae (ALSO3), B3 (B3SA3), Banco Inter (BIDI11), Copel (CPLE6), Eletrobras (ELET6), Enauta (ENAT3), Guararapes (GUAR3), Hapvida (HAPV3), Helbor (HBOR3), JBS (JBSS3), Locaweb (LWSA3), LPS (LPSB3), Moura Dubeux (MDNE3) e MRV (MRVE3).

Também serão revelados os números de Oi (OIBR4), Simpar (SIMH3), Sul América (SULA11), Suzano (SUZB3), Taesa (TAEE11), Ultrapar (UGPA3), Valid (VLID3), Via Varejo (VVAR3) e Wilson Sons (WSON33).

Confira mais destaques:

A Raízen, em conjunto com sua controlada Raízen Energia, informou que concluiu a aquisição da totalidade das ações de emissão da Biosev. Como parte da transação, a Hédera Investimentos e Participações exerceu o bônus de subscrição emitido por ocasião da Assembleia Geral da Raízen realizada em 1º de junho de 2021, e passou a ser titular de 330.602.900 ações preferenciais de emissão da Companhia, representativas de 3,22% do seu capital.

“A conclusão desta operação consolida aposição de liderança da Raízen no processo de transição energética através da ampliação da oferta de energia mais eficiente, limpa e renovável, passando a contar com 35 parques de bioenergia e uma capacidade de processamento de 105 milhões de toneladas de cana por safra, proporcionando uma matriz energética cada vez mais limpa e sustentável”, disse a empresa, em nota.

BR Distribuidora (BRDT3)

A BR Distribuidora informou lucro líquido de R$ 382 milhões no segundo trimestre de 2021, alta de 103,2% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a companhia foi impactada pelas medidas restritivas impostas em função da pandemia da Covid-19.

O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado foi de R$ 1,018 bilhão no trimestre, alta de 24,8% na comparação anual.

PUBLICIDADE

Para o Morgan Stanley, os resultados da BR Distribuidora ficam levemente abaixo da expectativa. O Ebitda recorrente ficou 8% abaixo da expectativa do banco e 11% abaixo do consenso do mercado, o que o banco atribui a margens menores de comercialização no segmento de varejo, que foram parcialmente compensadas por margens de comercialização menores em aviação. A margem Ebitda consolidada de R$ 97 por metro cúbico é classificada pelo banco como forte para um trimestre desafiador.

O banco mantém avaliação overweight (perspectiva de valorização acima da média do mercado), e diz esperar que a ação continue a propor uma remuneração atrativa para acionistas, ao mesmo tempo em que a nova gestão começará a lidar com questões de longo prazo ligadas à transição energética. O banco mantém preço-alvo de R$ 33, frente à cotação de R$ 28,58 de terça.

A varejista C&A lucrou R$ 69,2 milhões no segundo trimestre deste ano, revertendo o prejuízo de R$ 192,1 milhões reportados em igual período de 2020.

O resultado foi impactado pelo reconhecimento de créditos não recorrentes. Excluindo o efeito, a C&A teria tido prejuízo de R$ 83,8 milhões entre abril e junho.

A receita líquida subiu 299% no comparativo anual, para R$ 1,175 bilhão; a empresa aponta a base ruim de comparação em meio ao fechamento das lojas por conta da pandemia de covid-19 no segundo trimestre do ano passado.

De acordo com o Bradesco BBI, há vários pontos positivos no que foi um trimestre difícil para a C&A (e para todos os varejistas baseados em shoppings).

“Em primeiro lugar, a declaração de perspectiva da administração é otimista e sugere (salvo quaisquer circunstâncias imprevistas) um final de ano positivo no importante quarto trimestre. Em segundo lugar, o desempenho no comércio eletrônico parece bom, com GMV [volume bruto de mercadorias] acima de 34% na base anual, embora tenha havido uma base de comparação elevada (crescimento de quase 300% no segundo trimestre de 2020)”, avaliam os analistas do banco.

O comércio eletrônico representou 17% da receita do varejo. Finalmente – e talvez o mais importante – a administração colocou por escrito (pela primeira vez, acreditam os analistas) que espera resolver as questões pendentes com seu parceiro de serviços financeiros, o Bradesco, neste ano.

PUBLICIDADE

Além desses pontos, a empresa também está abrindo novas lojas mais uma vez e continua investindo em sua cadeia de suprimentos e implementando uma infraestrutura de distribuição mais sofisticada. “Isso nos deixa otimistas e portanto, mantemos nossa recomendação outperform. Nosso preço-alvo caiu ligeiramente para R$ 17 (esperado para 2022) de R$ 18 (esperado para 21) devido a revisões de estimativas”, avaliam.

A RD, dona das redes de drogarias Raia e Drogasil, teve lucro líquido de R$ 266,4 milhões no segundo trimestre, um salto de 342,5% ano a ano. Em termos ajustados, o lucro somou R$ 232 milhões de abril a junho, crescimento de 276% em relação a igual etapa de 2020.

De acordo com a XP, a RD reportou sólidos resultados referentes ao segundo trimestre de 2021, com Ebitda 5% acima do esperado pelos analistas e forte lucro líquido, beneficiado por créditos fiscais não recorrentes de R$ 58 milhões.

A forte performance de vendas mesmas lojas de alta de 26% na base anual, beneficiadas pela fraca base de comparação e pelo reajuste de preços de medicamentos, ganhos de participação de mercado em todas as regiões e a rentabilidade sólida foram os principais destaques.

“A companhia reportou fortes resultados e expansão de margens apesar dos investimentos na construção de sua plataforma de saúde. Além disso, a RD anunciou a aquisição de uma plataforma digital focada no aumento da aderência à tratamentos de doenças crônicas e uma pequena recompra de 3 milhões de ações (0,3% do float)”, avaliam.

A Marfrig Global Foods informou na terça lucro líquido recorde de R$ 1,738 bilhão no segundo trimestre, alta de 9% em relação ao mesmo período do ano anterior, impulsionado pelo bom desempenho da operação norte-americana da empresa.

O Ebitda do frigorífico ficou em R$ 3,9 bilhões, o que representa uma queda de 3,6% ante o segundo trimestre de 2020.

A receita líquida, por sua vez, totalizou R$ 20,6 bilhões, valor 9% superior ao reportado de abril a junho do ano passado.

PUBLICIDADE

O Credit Suisse diz que mantém uma visão positiva em relação à Marfrig, e diz acreditar que o ritmo operacional deve continuar forte. O banco afirma que o braço National Beef deve se beneficiar da oferta favorável de gado nos Estados Unidos e os spreads fortes da indústria nos próximos meses. Na América do Sul, o banco diz avaliar que não há espaço para valorização do gado. O Credit também ressalta iniciativas da gestão visando eficiência, que podem levar a um endividamento e a um fluxo livre de caixa mais favoráveis. O banco diz que vê a Marfrig como uma das empresas mais atrativas dentro de sua cobertura, e mantém a recomendação outperform, com preço-alvo de R$ 26, frente à cotação de R$ 19,56 de terça.

NotreDame Intermédica (GNDI3)

A NotreDame Intermédica teve prejuízo no segundo trimestre, refletindo forte alta das despesas com procedimentos médicos, que haviam sido represados durante os períodos de isolamento para conter a pandemia.

A companhia anunciou na noite de terça-feira que seu prejuízo entre abril e junho somou R$ 48 milhões, ante lucro de R$ 223,4 milhões um ano antes. Em termos ajustados, a companhia passou de lucro de R$ 303,9 milhões para prejuízo de R$ 9,9 milhões.

Embora tenha tido receita líquida 22,7% maior ano a ano, a R$ 3,2 bilhões, a companhia viu a linha contas médicas caixa, seu item mais relevante dos custos de serviços prestados, dar um salto de 56,9%, a R$ 2,64 bilhões, o que aumentou em 18 pontos percentuais a sinistralidade, para 82,7%.

Diante disso, o resultado operacional da Notre Dame medido pelo Ebitda ajustado somou R$ 131,6 milhões, queda de 75%. A margem Ebitda ajustada teve um tombo de 16 pontos percentuais, para 4,1%.

A XP apontou em relatório que o GNDI postou resultados ruins com pressão de sinistralidade mais alta (alta de 18 pontos na base anual e  4 pontos acima das expectativas dos analistas) levando a uma queda do Ebitda a um número 33% abaixo da projeção da XP, que compensou o crescimento robusto da receita devido a um aumento sólido no número de beneficiários de planos de saúde.

“No entanto, vemos esse impacto como transitório (causado principalmente pela Covid, número maior de procedimentos eletivos e a sinistralidade mais alta dos ativos recém adquiridos) e não estrutural e acreditamos que a empresa deve continuar crescendo organicamente e deve ser capaz de reduzir estruturalmente a sinistralidade uma vez que o impacto da Covid e de procedimentos eletivos deve reduzir e a sinistralidade dos ativos recém adquiridos deve convergir para os níveis históricos do GNDI”, apontam Vitor Pini e Matheus Soares, analistas da XP.

Santos Brasil (STBP3)

A Santos Brasil teve lucro líquidode R$ 60,4 milhões, ante resultado negativo, de R$ 9,4 milhões no segundo trimestre de 2020.

A receita líquida subiu 68,8% quando comparada ao mesmo período em 2020, totalizando R$ 379,5 milhões.

Os principais fatores responsáveis por impulsionar esta alta foram o crescimento nos volumes dos terminais portuários (+ 31% no ano contra ano) e o crescimento da receita em operações de armazenamento (+ 53% no ano contra ano), destaca a Levante Ideias de Investimentos

A movimentação de contêineres em Vila do Conde cresceu 13,1% no ano contra ano, estimulada pelas exportações de commodities minerais e agropecuárias.

Destaque também para o Tecon Imbituba, com crescimento na movimentação de contêineres de 12,7% no ano contra ano, devido à recuperação do fluxo de cabotagem.

Além disso, o Ebitda da companhia exibiu um avanço de 250,0% no ano contra ano, a R$ 147,7 milhões no trimestre. Sua margem Ebitda também apresentou avanço de 20,1 pontos percentuais, a 38,9% no trimestre.

A linha foi impulsionada pelos maiores volumes e maior ticket médio nos terminais portuários, além de melhoria nas suas operações logísticas e em terminais de veículos.

Vulcabras (VULC3)

A Vulcabras teve R$ 91,5 milhões no segundo trimestre, ante prejuízo de R$ 75,4 milhões no mesmo período de 2020. A receita saltou 305%, a R$ 399 milhões.

Porto Seguro (PSSA3)

A Porto Seguro teve lucro líquido de R$ 658,6 milhões no segundo trimestre de 2021, quase estável em relação ao mesmo período de 2020, com alta anual de 0,3%. Na comparação com o período entre janeiro e março deste ano, o avanço foi de 122%.

A Allied teve lucro líquido de R$ 152,3 milhões, 1.719% acima dos R$ 8,4 milhões registrados no mesmo período de 2020. O lucro líquido recorrente – sem levar em conta os efeitos extraordinários – foi de R$ 74,3 milhões, avanço de 786,3%.

A XP destaca que a empresa teve um trimestre muito forte e bastante acima das expectativas. A empresa atingiu uma receita líquida de R$ 1,5 bilhão, com alta de 84% na base anual e cerca de 60% acima das estimativas da XP, impulsionada pelo crescimento surpreendente nas linhas de distribuição e varejo digital – mesmo diante da forte base comparativa com o segundo trimestre de 2020 – que mais do que compensaram a piora no varejo físico.

O forte crescimento também veio acompanhado de melhores margens, mesmo com o menor resultado do varejo físico, o qual possui margens maiores, reflexo da maior eficiência nas despesas operacionais. Com isso, o lucro líquido recorrente de ficou duas vezes acima da estimativa da XP.

“Os resultados reforçam a nossa visão construtiva para a Allied e com isso reiteramos nossa recomendação de compra e preço alvo de R$ 38 por ação” apontam.

Positivo (POSI3)

A Positivo registrou lucro de R$ 51 milhões no segundo trimestre, revertendo assim o prejuízo de R$ 8,6 milhões.

A XP aponta que a companhia reportou resultados sólidos no segundo trimestre, acima das estimativas dos analistas.

A companhia continua tendo forte demanda em todas as suas unidades de negócios, avaliam, com forte desempenho da receita líquida (alta de 88,5% na base anual) sendo impulsionado (i) pelo crescimento das vendas de notebooks e produtos de tecnologia nos segmentos de varejo e corporativo (ii) maior mix de produtos e (iii) aumento do ticket médio.

O lucro bruto foi de R$ 204 milhões (alta de 241% na base anual) e  32,2% acima das estimativas da XP, enquanto a margem bruta foi de 25,9%, versus 14,3% em igual período no segundo trimestre.

“Após um primeiro trimestre marcado por números históricos e crescimentos nos principais indicadores operacionais e financeiros da companhia, a empresa reforçou sua confiança na continuidade dessa tendência para o segundo semestre já que historicamente cerca de 55% da receita anual está concentrada no segundo semestre”, aponta a XP, que mantém recomendação de compra e preço-alvo de R$ 16 por ação para POSI3.

Aura Minerals (AURA33)

A mineradora Aura lucrou US$ 21 milhões no segundo trimestre deste ano,  cinco vezes acima do apurado em igual período de 2020, enquanto a receita líquida foi a US$ 112 milhões.

O Itaú BBA avalia os resultados divulgados pela Aura Minerals como mais fracos do que o esperado. O Ebitda de US$ 40,2 milhões ficou 13% abaixo de sua estimativa, e 23% menor do que no trimestre anterior, apesar de mais do que o dobro na comparação anual.

O banco diz que o desempenho abaixo do esperado pode ser atribuído a exportações 6% menores no trimestre, de 66,8 mil onças equivalentes de ouro (kGEO na sigla em inglês), que ofuscam os preços mais altos do cobre e do ouro. O custo do dinheiro aumentou 15% na comparação trimestral, a US$ 922 por onça. A posição de caixa caiu a US$ 7 milhões por conta de pagamento extraordinário de dividendos.

O banco mantém avaliação outperform para a Aura Minerals, com preço-alvo para 2021 de R$ 80 para os papéis AURA33.

No embalo da demanda vinda do transporte da safra agrícola que, somada a aquisições, levou a empresa ao melhor resultado trimestral de sua história em receita líquida, o grupo Randon reportou lucro de R$ 122,1 milhões no segundo trimestre, mais do que o dobro (alta de 121%) se comparado ao mesmo período de 2020.

Na mesma base comparativa, a receita líquida também mais do que dobrou, marcando crescimento de 126,6% e a cifra recorde de R$ 2,11 bilhões nos três meses. Já o resultado operacional medido pelo Ebitda marcou R$ 322,6 milhões: alta de 109,6%.

A fabricante de implementos rodoviários e autopeças também elevou na terça suas estimativas de faturamento bruto para R$ 12 bilhões neste ano, ante expectativa anterior de R$ 9,6 bilhões. A reavaliação ocorre em meio a um mercado crescente de caminhões e investimentos em rodovias. A previsão de investimento orgânico foi elevada de R$ 250 milhões para R$ 320 milhões.

O Itaú BBA avaliou os resultados da Randon como positivos. O banco diz que a empresa continua a se beneficiar de um bom momento em suas divisões de caminhões e partes de carros. O BBA também ressalta que a Randon revisou suas diretrizes para 2021 e mantém avaliação outperform (perspectiva de valorização acima da média do mercado) para a Randon, com preço-alvo para 2021 de R$ 18,5 para os papéis RAPT4, negociados na terça por R$ 13,32.

Qualicorp (QUAL3)

A empresa de planos de saúde Qualicorp teve queda no lucro do segundo trimestre, refletindo maiores despesas financeiras e com campanhas de vendas.

A companhia anunciou que seu lucro de abril a junho somou R$ 90,3 milhões, queda de 28,4% contra um ano antes.

Embora tenha tido crescimento de 6,9% ano a ano da receita líquida, a R$ 517,2 milhões, isso veio às custas de maiores despesas com itens como marketing.

O Ebitda recuou 19,9%, para R$ 234 milhões, refletindo maiores iniciativas para acelerar vendas e investimentos em inovação e marketing.

A margem Ebitda ajustada foi de 38,9%, queda de 9,4 pontos percentuais, “abaixo do patamar que consideramos justo para nosso negócio no longo prazo”, afirmou a companhia no relatório.

A Qualicorp fechou junho com 2,58 milhões de vidas, crescimento de 11,3% em 12 meses.

Taurus Armas (TASA4)

A Taurus Armas lucrou R$ 193,6 milhões no segundo trimestre de 2021, número que corresponde a um crescimento de 395,1% na comparação com o mesmo período do ano passado.

O Ebitda da fabricante de armas ficou em R$ 224,4 milhões, o que representa uma expansão de 106,3% ante o segundo trimestre de 2020.

A receita líquida, por sua vez, totalizou R$ 651,1 milhões, em um avanço de 48,8% na base anual.

A Eletrobras informou que obteve resultado desfavorável em recurso impetrado no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) em uma ação de cobrança relativa a empréstimo compulsório sobre energia elétrica. Segundo a estatal, o processo está provisionado pelo montante de R$ 1,47 bilhão, acrescido de multas e honorários advocatícios. A companhia disse que aguardará a publicação do acórdão para avaliar potenciais medidas cabíveis.

Santander Brasil (SANB11)

Já o Santander Brasil informou na terça-feira a obtenção de registro de companhia aberta para seu braço de pagamentos, Getnet, além de aprovação da B3 para listagem e negociação de ações e units. Segundo fato relevante, a Getnet aguarda aprovação da Securities and Exchange Comission (SEC, CVM dos EUA) para negociação de suas ações na Nasdaq.

A Bloomberg destaca que o plano da JBS para comprar a australiana Huon Aquaculture pode estar sob ameaça com o aumento da participação do magnata da mineração Andrew Forrest na produtora de salmão para um nível que poderia bloquear o negócio.

Forrest e seu family office elevaram a fatia na Huon, negociada em Sydney, de 7,3% para 18,5%, segundo documento regulatório divulgado na quarta-feira. O investimento destaca os avanços da Huon na melhoria das práticas ambientais em uma indústria com uma reputação “terrível”, disse Forrest em entrevista.

(com Bloomberg, Reuters e Estadão Conteúdo)

Em curso gratuito de Opções, professor Su Chong Wei ensina método para ter ganhos recorrentes na bolsa. Inscreva-se grátis e participe.

Klabin, Petz, Iguatemi, construtoras e mais companhias divulgam resultados; estreia da Oncoclínicas na Bolsa e outros destaques

SÃO PAULO – A sessão desta terça-feira (9) é marcada por uma série de novos resultados do segundo trimestre, com atenção especial para os números de Klabin, Minerva, Itaúsa, Petz, Alupar e algumas construtoras. Além disso, a sessão marca a estreia da ação da Oncoclínicas na B3. Confira no que ficar de olho:

Oncoclínicas (ONCO3)

A Oncoclínicas tem a sua estreia na B3 na sessão desta terça-feira. A companhia precificou sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) a R$ 19,75 por papel em operação que movimentou cerca de R$ 2,67 bilhões, de acordo com o prospecto definitivo da operação.

O preço estabelecido para a ação da rede de clínicas de tratamento contra o câncer ficou abaixo da faixa estimada de preço para o IPO, entre R$ 22,21 e R$ 30,29.

A oferta compreendeu distribuição primária de 90.049.527 ações ordinárias e secundária de 45.024.764 ações de acionistas vendedores – FIPs Josephina e Josephina II.

Os recursos da oferta primária serão destinados para projetos de investimento, aquisições futuras e em andamento, além de capital de giro.

A Minerva registrou lucro líquido de R$ 116,7 milhões no segundo trimestre, queda de 54% ante o mesmo período do ano passado. Apesar disso, a empresa ainda vê um cenário positivo puxado por exportação e sinergia entre as operações sul-americanas.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) da companhia atingiu R$ 544,9 milhões no período, recuo de 7,7% no mesmo comparativo.

O diretor financeiro da Minerva, Edison Ticle, disse que o destaque do trimestre é o lucro líquido pois, apesar da queda, trata-se de um “resultado realmente muito forte”, mas que é comparado a uma base mais elevada — em 2020, a pandemia da Covid-19 elevou a demanda por alimentos em diversos setores.

PUBLICIDADE

“Houve queda ante o segundo tri do ano passado, mas porque (2020) foi um ponto fora da curva”, afirmou a jornalistas em videoconferência.

A receita líquida da empresa atingiu R$ 6,28 bilhões no segundo trimestre, alta de 42,9% no ano a ano.

O CEO da Minerva, Fernando Galletti de Queiroz, disse que ainda há certas dificuldades logísticas no mercado global, com falta de contêineres e tempos mais longos para transportes de cargas, mas a demanda externa segue aquecida.

“A Ásia segue como o grande vetor comprador… e a China como o principal destaque. No segundo trimestre de 2021, cerca de 36% da nossa receita de exportação teve origem no mercado chinês”, informou a empresa, mesmo diante de entraves relacionados à pandemia da Covid-19.

A Petz registrou lucro líquido de R$ 21,6 milhões no segundo trimestre de 2021, alta de 109% ante o mesmo período de 2020. O Ebitda ajustado, por sua vez, ficou em R$ 56,2 milhões, alta de 50,3%.

A empresa atingiu R$ 2 bilhões de faturamento nos últimos 12 meses pela primeira vez em sua história, com a receita bruta total em R$ 598 milhões no segundo trimestre, alta de 57,5% ante o valor apresentado um ano antes.

As vendas online representaram 30,3% do total das vendas no trimestre, chegando a R$ 181,2 milhões de receita bruta total, ganho de 85%.

A Itaúsa, holding controladora do Itaú Unibanco (ITUB4), registrou lucro líquido de R$ 3,5 bilhões no segundo trimestre deste ano, valor 487% superior ao apresentado um ano antes.

PUBLICIDADE

O lucro líquido recorrente, por sua vez, foi de R$ 2,86 bilhões no período, alta de 99% sobre o mesmo período de 2020.

O resultado reflete a combinação de melhora da economia brasileira após o choque da pandemia do coronavírus, e também de efeitos fiscais extraordinários.

A alta do lucro foi impactada, principalmente pelo resultado de seu principal ativo, o Itaú, além de um ganho de R$ 476 milhões com a reavaliação de crédito tributário com a majoração da alíquota da CSLL.

Além disso, um ano antes, a Itaúsa tinha reportado despesa extraordinária de R$ 543 milhões com sua unidade CorpBanca, no Chile, e outra de R$ 312 milhões com doação a um programa para combate aos efeitos da pandemia.

A Itaúsa ainda reportou aumento de receitas com ativos não financeiros, incluindo a fabricante de calçados Alpargatas (ALPA4); a Dexco (DTEX3), de louças e painéis de madeira; da transportadora de gás NTS; e da Copa Energia.

Já o ativo total da holding passou de R$ 56,55 bilhões para R$ 69,42 bilhões entre o segundo trimestre do ano passado e este, uma alta de 22,8%.

O endividamento líquido, por sua vez, teve um salto de 1.715% em um ano, passando de R$ 213 milhões entre abril e junho de 2020 para R$ 3,867 bilhões no segundo trimestre deste ano.

Além disso, em outro comunicado, a companhia informou o pagamento de juros sobre capital próprio brutos de R$ 0,03734 por ação, por conta do dividendo obrigatório do exercício de 2021. Com o desconto de 15% do imposto de renda na fonte, o JCP líquido será de R$ 0,031739.

PUBLICIDADE

O valor será pago no dia 26 de agosto e terão direito os acionistas com ações ITSA4 no dia 13 de agosto, com os papéis passando a negociar na forma “ex” a partir de 16 de agosto. Contando os dividendos já anunciados este ano, a companhia irá pagar R$ 798 milhões em proventos líquidos.

A Klabin registrou lucro líquido de R$ 719 milhões no segundo trimestre de 2021, ante prejuízo de R$ 383 milhões no mesmo período de 2020 e com alta de 71% frente os R$ 421 milhões registrados entre janeiro e março deste ano.

A receita líquida aumentou 38% na comparação anual, para R$ 4,076 bilhões, com crescimento em todas em todas as linhas de negócio, e 27% desconsiderando a receita proveniente das unidades adquiridas da International Paper (IP).

O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) foi de R$ 1,798 bilhão, alta de 35% frente os R$ 1,333 bilhão na base anual e 41% superior na comparação com o primeiro trimestre de 2021. Já a margem Ebitda ajustada caiu 1 ponto percentual na base anual, indo de 45% para 44%, enquanto avançou 8 pontos na comparação trimestre a trimestre.

O Fluxo de Caixa Livre (FCL) Ajustado somou R$ 4,7 bilhões nos últimos doze meses, o que representa um FCL yield Ajustado de 16,4%.

A relação entre dívida líquida e Ebitda em dólares encerrou o trimestre em 3,6 vezes, comparado a 4 vezes no primeiro trimestre de 2021. Em reais, 3,3 vezes no segundo trimestre versus 4,2 vezes nos primeiros três meses de 2021.

“O segundo trimestre de 2021 seguiu com forte demanda pelos produtos da Klabin tanto no mercado local quanto no mercado externo. Estas condições favoráveis de mercado, aliadas ao sólido desempenho operacional, impulsionaram os resultados da companhia no período”, afirmou a Klabin em seu release de resultados.

Iguatemi (IGTA3)

A rede Iguatemi, dona de 14 shopping centers, dois outlets e três torres comerciais, apresentou lucro líquido de R$ 279 milhões no segundo trimestre de 2021, montante seis vezes maior do que no mesmo período de 2020.

O Ebitda atingiu R$ 108,9 milhões, recuo de 5,4% na mesma base de comparação. A margem Ebitda diminuiu 7,6 pontos porcentuais, para 63,9%.

A receita operacional líquida totalizou R$ 170,3 milhões, aumento de 5,8%.

A disparada no lucro líquido da Iguatemi partiu da linha de resultado financeiro, onde foi apurada uma receita de R$ 365,5 milhões em contrapartida a uma despesa de R$ 19,5 milhões um ano antes.

Por trás dessa linha está a participação de 10% que a Iguatemi possui, via fundo, na Infracommerce, empresa de soluções digitais para o comércio eletrônico. Esta empresa entrou na Bolsa em maio, levando a Iguatemi a fazer a marcação a mercado do ativo em seu balanço, o que gerou o ganho extraordinário ‘não caixa’.

A Iguatemi também apresentou melhora dos seus resultados operacionais. A receita líquida cresceu ajudada pela reabertura dos shoppings e pela redução dos descontos no aluguel dos lojistas com mais alívio da pandemia.

Os resultados acima também já embutem o efeito da linearização dos descontos – prática contábil que dilui os descontos nos aluguéis ao longo dos períodos de vigência dos contratos. A linearização contribuiu com apenas R$ 2,7 milhões neste trimestre, 97% menos do que um ano antes.

A reabertura dos shoppings também elevou a linha de custos e despesas em 92%, para R$ 74,4 milhões.

A Iguatemi chegou ao fim de junho com dívida total de R$ 3,08 bilhões, 6,2% abaixo de março. A disponibilidade de caixa encontrava-se em R$ 1,8 bilhões, 10% a mais nessa comparação sequencial. Com isso, a dívida líquida ficou em R$ 1,3 bilhões, com uma alavancagem (medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda) de 2,58 vezes.

O Bradesco BBI aponta que, mesmo com uma vacância acima da média, o Iguatemi apresentou sinais positivos de
recuperação nas vendas dos lojistas, que esperam eventualmente se traduzir em melhoria contínua dos indicadores operacionais e financeiros. O reconhecimento contábil por trás do IPO do IFCM3 (IGTA tem 9% de participação) também permitiu à Iguatemi reduzir os indicadores de alavancagem, aliviando a pressão de seus covenants de dívida e começando a adicionar algum fôlego para movimentos estratégicos, um ponto de preocupação que os analistas esperam remover da lista se sua proposta de estrutura acionária for aprovada. “Nesse ínterim, mantemos nossa recomendação neutra para IGTA3
com um preço-alvo de R$ 50 por ação”, avaliam os analistas.

São Martinho (SMTO3)

A companhia de açúcar e etanol São Martinho reportou lucro líquido de R$ 190,1 milhões no primeiro trimestre fiscal de 2021/22, alta de 64,3% na comparação anual, em período que a empresa obteve maior preço médio na venda de todos os seus produtos.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado da companhia somou R$ 688,3 milhões, avanço de 40,1% no ano a ano.

“Reflexo principalmente do maior preço médio de comercialização de etanol (+84,7%), açúcar (+28,3%), cogeração (+24,9%), além do volume de comercializado de CBios”, disse a empresa em relatório sobre o aumento do Ebitda.

A receita líquida da São Martinho atingiu R$ 1,32 bilhão, variação positiva de 28,8% em relação ao mesmo período do ano passado, também apoiada pelos preços mais elevados de vendas, enquanto o fluxo de caixa operacional totalizou R$ 448 milhões, crescimento de 49,7%.

Já a relação entre dívida líquida e Ebitda ajustado, que mede a alavancagem da companhia, ficou em 1,02 vez, redução de 30,8% no ano a ano.

O Credit Suisse avaliou os resultados do primeiro trimestre de 2022 da São Martinho como bons, mas em linha com a expectativa do mercado. O banco diz que o Ebitda, que subiu 40% na comparação anual, ficou 2% acima de sua expectativa.

O Itaú BBA avaliou os resultados informados pela São Martinho como fortes, e ressaltou a alta de 40% do Ebitda na comparação anual, a R$ 688 milhões, em meio a preços favoráveis de commodities e apesar do clima desfavorável, que vinha prejudicando a produtividade. O banco ressaltou que a empresa divulgou geração de caixa de R$ 170 milhões, e diz que a empresa não foi afetada por geadas recentes, o que deve garantir resultados fortes para a colheita de 2021 e 2022.
O Itaú mantém recomendação outperform (perspectiva de valorização acima da média do mercado) e preço-alvo para 2021 de R$ 42.

A construtora Even registrou lucro líquido de R$ 54 milhões entre abril e junho deste ano, uma alta de 102% na comparação com o mesmo período de 2020. Na comparação com o primeiro trimestre, porém, houve uma queda de 35,2% no lucro.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado teve um crescimento de 17,3% na comparação anual, ficando em R$ 65 milhões no segundo trimestre.

A receita líquida, por sua vez, cresceu 39,5%, ficando em R$ 522,38 milhões, puxadas principalmente pelas vendas de R$ 354 milhões, com VSO consolidada de 16%.

O Retorno Sobre o Patrimônio Líquido (ROE) anualizado, encerrou o segundo trimestre em 12,3%, um avanço de 6 pontos percentuais sobre os 6,6% apresentados entre abril e junho de 2020.

O BBI destacou os resultados da Even como sólidos, já que uma forte receita gerou números significativamente acima do consenso, enquanto a margem bruta ficou estável e a margem de backlog aumentou 2 pontos percentuais após uma forte revisão no primeiro trimestre de 2021. Além disso, os analistas encontraram conforto na forte posição de caixa da Even  e no valuation atraente, reafirmando recomendação de compra para EVEN3, com um preço-alvo para final de 2021 de R$ 15 por  ação.

Direcional (DIRR3)

A Direcional apresentou lucro líquido de R$ 40,688 milhões no segundo trimestre de 2021, o que representa crescimento de 20% em relação ao mesmo período de 2020.

O Ebitda ajustado somou $ 89,996 milhões, avanço de 47,8% na mesma margem de comparação. A margem Ebitda ajustado cresceu 6,4 pontos porcentuais, para 21,3%.

A margem bruta subiu 5,0 pontos porcentuais, para 38,0%, o maior patamar já registrado pela Direcional após o seu IPO. Já a receita operacional líquida totalizou R$ 422,162 milhões, aumento de 3,4%.

O resultado financeiro líquido piorou, ficando negativo em R$ 14,423 milhões, ante resultado negativo de apenas R$ 1,393 milhão um ano antes.

A grande responsável pelo crescimento do lucro da Direcional no período foi a melhora das margens. Segundo a companhia, essa melhora decorreu da apuração de economias nas obra dos projetos que estão em estágio avançado de construção e, portanto, com menor exposição ao aumento de custo de insumos que tem pressionado todo o setor.

A prática da incorporadora é de reconhecer eventuais economias apenas na parte final de cada obra. “Desse modo, a despeito do cenário atual de aumento de custos, as apropriações de economia de obra (…) foram mais do que suficientes para compensar a pressão inflacionária em projetos que estão sendo iniciados”, descreveu a empresa.

As despesas gerais e administrativas totalizaram R$ 64 milhões, um incremento anual de 36%, enquanto as despesas comerciais totalizaram R$ 45 milhões, avanço de 14%.

A Direcional encerrou o segundo trimestre com dívida líquida de R$ 241,610 milhões, sete vezes mais do que um ano antes. Nesse período, a dívida bruta subiu 35%, para R$ 880,866 milhões, enquanto as disponibilidades em caixa subiram 13,3%, para R$ 946,589 milhões.

A alavancagem (medida pela relação entre dívida líquida e patrimônio líquido) foi de 2,3% para 18,6%, refletindo principalmente o pagamento de dividendos aos acionistas e operações para captação de recursos ao longo do último ano.

O Bradesco BBI destacou que a empresa bateu margem bruta de 37,8%  em função de: (i) maior agilidade na política de preços; (ii) maior contribuição da Riva; e (iii) redução de custos de projetos de construção em estágio final.

A revisão para cima da margem a reconhecer (margem REF) sugere que a tendência positiva deve continuar no terceiro trimestre de 2021.

“Embora a receita líquida da Direcional tenha ficado um pouco abaixo de nossa estimativa (2%), após a revisão para cima nas margens a serem reconhecidas para 40,5%, sentimos que há um potencial de alta para nossas estimativas do final do ano de 2021 e 2022, pois o reconhecimento da receita ainda tem que incorporar os lançamentos recentes que: (i) estão sendo vendidos com margens maiores; e (ii) deve levar a uma diluição adicional de custos no 2S21”, avalia o BBI.

Na visão dos analistas, ultrapassando seus pares e superando as estimativas já otimistas, o DIRR3 combina: (i) crescimento de dois dígitos; (ii) potencial de valorização para o consenso; e (iii) P / L de um dígito, “uma das histórias mais baratas em nossa cobertura”, seguindo assim a escolha principal.

A incorporadora Mitre teve lucro líquido de R$ 21,2 milhões no segundo trimestre, alta de 113% ante o mesmo período de 2020.

A receita líquida, por sua vez, aumentou 153%, para R$ 164,7 milhões, refletindo a aceleração da evolução física de obras e início das atividades em alguns canteiros.

Já a margem bruta da companhia passou de 31,9%, no segundo trimestre do ano passado, para 34,7% entre abril e junho de 2021. A incorporadora informou também margem bruta ajustada de 35,5%, ante 35% no mesmo período do ano passado.

A Melnick lucrou R$ 12,32 milhões no segundo trimestre, queda de cerca de 45% ante o lucro de R$ 22,35 milhões registrado em igual período do ano passado.

Já a receita líquida de vendas e serviço teve baixa de 2,16%, a R$ 183 milhões.

A Alupar, empresa que atua em geração e transmissão de energia elétrica, teve lucro líquido atribuído aos sócios da empresa de R$ 332 milhões no segundo trimestre de 2021,  321% acima frente os R$ 79 milhões de igual período do ano passado.

A receita operacional líquida foi de R$ 1,3 bilhão, 27% superior ante os R$ 1,05 bilhão registrados um ano antes. O Ebitda foi de R$ 1,13 bilhão, alta de 153% na base anual.

BTG Pactual (BPAC11)

O BTG Pactual encerrou o segundo trimestre de 2021 com lucro líquido ajustado de R$ 1,719 bilhão, representando um crescimento de 74% em relação ao resultado do mesmo período do ano passado, que foi de R$ 987 milhões. Frente ao trimestre imediatamente anterior, o lucro líquido ajustado subiu 43,6%. De acordo com o banco, o resultado trimestral foi recorde. O lucro líquido não ajustado somou R$ 1,678 bilhão, acima dos R$ 977 milhões do segundo trimestre de 2020.

O banco reportou receitas totais R$ 3,77 bilhões no segundo trimestre de 2021, crescimento de 52% sobre igual período do ano anterior e de 35% em relação ao primeiro trimestre. O retorno sobre o patrimônio ajustado cresceu 4,1 pontos-base para 21,6% em 12 meses. Frente ao primeiro trimestre, houve aumento de 5,1 pontos-base.

“Tivemos o melhor trimestre da nossa história, com resultados expressivos em todas as linhas de negócios, crescimento acelerado das nossas franquias de clientes, alta rentabilidade e manutenção de métricas de capital acima da média da indústria”, disse o presidente do BTG Pactual, Roberto Sallouti.

O patrimônio líquido do BTG Pactual encerrou o segundo trimestre em R$ 35 bilhões, um crescimento de 36,7% frente ao mesmo período do ano passado e avançou 15,2% em comparação ao primeiro trimestre.

Os ativos totais do banco somaram R$ 335,2 bilhões, valor acima dos R$ 230,4 bilhões do segundo trimestre de 2020 e dos R$ 289,8 bilhões no primeiro trimestre.

O índice de Basileia caiu 2,1 pontos-base para 17,3% no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano passado. No primeiro trimestre, estava em 17,7%.

Sequoia Logística (SEQL3)

A Sequoia Logística e Transportes teve lucro líquido de pouco mais de R$ 3 milhões no segundo trimestre, ante o prejuízo de R$ 8 milhões em igual período do ano passado.

No critério ajustado, excluindo despesas não recorrentes e amortização do ágio, o lucro foi de R$ 17,6 milhões, alta de quase 25 vezes ante os R$ 700 mil registrados no segundo trimestre de 2020.

A receita líquida subiu 75% na base de comparação trimestral, para R$ 368,9 milhões.

Blau Farmacêutica (BLAU3)

A Blau teve lucro de R$ 99 milhões no segundo trimestre, 35% acima frente igual período de 2020. Já a receita líquida subiu 15%, para R$ 371 milhões.

BR Partners (BRBI11)

O banco BR Partners  lucrou R$ 35 milhões no segundo trimestre, 47% acima do mesmo período de 2020. A receita líquida subiu 14,3%, a R$ 76,2 milhões.

A fabricante de peças automotivas Fras-le lucrou R$ 44,9 milhões no segundo trimestre, 220,8% acima na base de comparação anual.

A receita líquida totalizou R$ 599,1 milhões, salto de 113,9% na base anual.

A Mobly teve prejuízo de R$ 17 milhões no primeiro trimestre deste ano, 124% acima do registrado em igual período de 2020.

O InfoMoney conversou com Victor Noda, cofundador da Mobly, sobre os resultados do segundo trimestre e os planos para os trimestres seguintes.

Foram mais de 321 mil pedidos no segundo trimestre de 2021. O volume bruto de mercadorias ficou estável em R$ 247,4 milhões, alta de 0,4% na comparação entre o segundo trimestre de 2020 e o segundo trimestre de 2021.

Mesmo com um GMV estável, a receita líquida cresceu: a Mobly registrou alta de 38,6% na mesma base de comparação, para R$ 175,7 milhões. Segundo Noda, o aumento da receita líquida apesar de um volume similar de mercadorias aconteceu porque a empresa reduziu seu prazo de entrega e reconheceu mais vendas ao longo do trimestre. O prazo médio de entrega no país caiu de 19,3 para 12,5 dias na comparação entre 1T2021 e 2T2021. Confira mais clicando aqui. 

A JSL lucrou R$ 93,1 milhões no segundo trimestre deste ano, revertendo assim prejuízo de R$ 16,3 milhões em igual período de 2020.

A receita líquida teve um avanço de 58,6%, aa R$ 922,4 milhões. Já o Ebitda subiu 157,5%, para R$ 211,7 milhões.

Latam

A Latam Airlines, aérea em recuperação judicial, teve prejuízo de US$ 769,6 milhões no segundo trimestre 2021, uma cifra  13,5% menor na base de comparação anual.

Já a receita subiu  55,4%, a a US$ 888,7 milhões.

A Embraer informou na segunda-feira que concluiu a venda de 16 novos jatos E175 para a norte-americana SkyWest, com o valor do contrato, segundo preços de tabela das aeronaves, somando US$ 798,4 milhões. Segundo a fabricante brasileira, os aviões serão incluídos na carteira de pedidos da Embraer do terceiro trimestre. As entregas estão previstas para 2022.

A BRF tem realizado importações de milho do Paraguai e da Argentina para “garantir o abastecimento da companhia com a melhor competitividade possível”, informou o vice-presidente de Planejamento Integrado e Logística da companhia, Leonardo DallOrto. O volume importado e os preços, porém, não foram divulgados, por serem considerados informações estratégicas da empresa.

“Estamos vivendo um momento de pressão de custos e alta volatilidade que pressiona toda a indústria no Brasil. Nossas estratégias de compras e abastecimento têm nos garantido uma vantagem competitiva importante nesse cenário, mas não estamos imunes a seus impactos”, disse o executivo.

As compras do milho estrangeiro ocorrem em um momento de elevação de preços por causa da quebra da safrinha brasileira. As lavouras do Centro-Sul do País foram drasticamente afetadas, primeiro pela estiagem, e, posteriomente, pelas geadas registradas no último mês. A consultoria AgRural, por exemplo, revisou na semana passada a projeção de colheita no Centro-Sul, de 54,6 milhões de toneladas em 1º de julho para 51,6 milhões de toneladas em agosto.

A BRF, nessa conjuntura, opta por trazer milho dos países vizinhos e segue analisando a possibilidade de trazer o grão dos Estados Unidos, com a isenção temporária da tarifa externa comum (TEC) para importações de grãos. “Ainda não fizemos compras dos EUA. No momento, as importações do Mercosul se mostram mais atrativas”, conforme Dall’Orto.

A Petrobras informou na segunda-feira que iniciou a fase vinculante do processo de venda, em conjunto com a Sonangol Hidrocarbonetos, da totalidade da participação de ambas as empresas no bloco exploratório terrestre POT-T-794, localizado na Bacia Potiguar.

Os potenciais compradores habilitados para essa fase receberão carta-convite com instruções sobre o processo de desinvestimento, incluindo orientações para o due diligence e o envio das propostas vinculantes, afirmou a Petrobras em comunicado.

A concessão do bloco foi adquirida em 2006, em rodada de licitações realizada pela ANP. A Petrobras detém 70% de participação, enquanto a Sonangol –operadora da concessão– possui os outros 30%.

“O consórcio perfurou dois poços na área, sendo um descobridor de gás e um de delimitação. Não há compromissos remanescentes do Programa Exploratório Mínimo (PEM) a serem cumpridos”, disse a petroleira estatal.

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)

Em curso gratuito de Opções, professor Su Chong Wei ensina método para ter ganhos recorrentes na bolsa. Inscreva-se grátis e participe.

M.Dias Branco lucra R$ 142,3 mi no 2º tri, estreia das ações da Viveo, queda do petróleo e do minério e mais destaques

SÃO PAULO – O noticiário corporativo desta semana tem como destaque a temporada de resultados, com a divulgação de mais de cem balanços no período.

Na noite de sexta-feira passada, a indústria de alimentos M.Dias Branco informou que registrou lucro líquido de R$ 142,3 milhões no segundo trimestre de 2021, o que representa uma retração de 6,6% ante o reportado no mesmo período do ano passado.

Depois do fechamento do mercado nesta segunda-feira (9), atenção para os resultados de Blau, BR Partners, Direcional, Iguatemi, Minerva, Mobly, Even, Fras-le, Itaúsa, Melnick, Mitre e São Martinho.

Essa segunda-feira marca a estreia das ações da Viveo.

No mercado de commodities, o dia é de queda forte para o minério de ferro e para o petróleo. O petróleo tem baixa de cerca de 4%, com os investidores preocupados com demanda menor por combustíveis, caso a variante delta impeça o processo de reabertura das economias.

“As futuras novas ondas de coronavírus são um dos principais riscos para a nossa projeção do brent, que agora tem um preço médio de US$ 68 por barril em 2022 e de US$ 63 por barril em 2023. Continuamos confortáveis com nossas estimativas, apesar da propagação da variante Delta”, aponta o BBI.

O minério de ferro também apresenta forte queda, também em meio a projeções de maior oferta e desaceleração da demanda na China. O contrato mais negociado do minério de ferro na bolsa de commodities de Dalian, para entrega em janeiro de 2022, fechou em queda de 4,4%, a 852,50 iuanes (US$ 131,67 ) por tonelada, depois de tocar uma mínima de 845 iuanes –menor patamar desde 1º de abril.

“Com a perspectiva de menor produção dos altos-fornos no segundo semestre de 2021 em relação ao primeiro, e a recuperação nos embarques de minério de ferro da Austrália e Brasil, mantemos nosso intervalo de US$ 140 a US$ 170 /tonelada para o minério de ferro (CFR China) no médio prazo”, disse Atilla Widnell, diretor-gerente da Navigate Commodities em Cingapura, informa a Reuters.

Confira mais destaques:

M.Dias Branco (MDIA3)

PUBLICIDADE

A indústria de alimentos M.Dias Branco registrou lucro líquido de R$ 142,3 milhões no segundo trimestre de 2021, o que representa uma retração de 6,6% ante o reportado no mesmo período do ano passado, segundo informações divulgadas pela empresa nesta sexta-feira (6).

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) da companhia somou R$ 167,2 milhões, em queda de 25,9% sobre o valor do segundo trimestre de 2020.

Por fim, a receita líquida totalizou R$ 1,979 bilhão, em incremento de 5% na comparação anual.

O volume de vendas chegou a 450 mil toneladas, abaixo das 536 mil toneladas vendidas de abril a junho do ano passado.

Segundo a administração, o segundo trimestre do ano passado foi marcado pelo aumentado temporário e atípico da demanda, estimulada pelo auxílio emergencial e pelo aumento do consumo dentro dos lares, criando uma “base de comparação mais difícil” para o segundo trimestre de 2021.

Em relação ao Ebitda, a gestão defende que a retração é “explicada pelo aumento das commodities em doláres, pela quedas dos volumes e pelo impacto desfavorável do câmbio.”

O Itaú BBA avaliou os resultados divulgados pela M. Dias Branco como neutros. A empresa informou Ebitda ajustado de R$ 147 milhões, frente a estimativa de R$ 134 milhões e o consenso do mercado de R$ 108 milhões. A maior parte do resultado acima do esperado se deve a volumes maiores e elasticidade de preços maior do que o esperado. Mas o banco ressalta que a margem Ebitda está em 7%, queda de 4,5 pontos percentuais na comparação anual, em linha com a expectativa do Itaú.

O banco destaca a queima de caixa de R$ 96 milhões, com uma relação entre dívida líquida e lucro Ebitda de 0,5 vez, estável em relação ao primeiro trimestre. O banco ressalta que a empresa anunciou um programa de recompra de títulos que pode atingir 10% de suas ações disponíveis aos investidores. O banco mantém avaliação market perform (perspectiva de valorização dentro da média do mercado) e preço-alvo de R$ 30 para 2021, frente à cotação de R$ 33,35 de sexta.

PUBLICIDADE

O Bradesco BBI destacou que o Ebitda ajustado ficou 20% acima do consenso e 24% acima da estimativa dos analistas, principalmente devido às despesas gerais, com vendas & administrativas, que ficaram 18% abaixo da estimativa do banco e representaram 24% das vendas totais (versus as estimativas do BBI de 27% no 2T21, que também é a premissa do banco de longo prazo), dado um maior benefício das medidas de eficiência.

Dito isso, embora a perda de participação de mercado de 2,6 pontos em relação ao ano anterior para biscoitos e 3,6 pontos em relação ao ano anterior para massas seja algo a ser monitorado, isso melhorou sequencialmente durante o trimestre (alta de 0,7 ponto para biscoitos em junho versus março e alta 0,9 ponto para massas em maio-junho versus março-abril), o que pode indicar que os concorrentes estão acompanhando os aumentos de preços da M. Dias (+ 25% em base
anual).

Os analistas veem os múltiplos como atrativos. “Além disso, esperamos que um declínio nos preços das commodities
agrícolas durante o segundo semestre de 2021 até 2024, que representam aproximadamente 65% dos custos totais da empresa, resultará em lucro líquido no período de 2022-2024 para M. Dias na média 35% acima do consenso”, apontam os analistas.

A sessão marca a estreia das ações da Viveo. A distribuidora de produtos médicos precificou na quinta-feira sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) a R$ 19,92 por papel. As ações serão negociadas com o código ‘VVEO3’.

O Conselho de Administração da Unidas aprovou a realização da 21ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, no valor de R$ 1,1 bilhão. As debêntures serão em série única, da espécie quirografária, com adicional e prazo de 10 anos. Há possibilidade de a quantidade de 1,1 milhão de debêntures serem elevadas em 20%.

SmartFit (SMFT3)

A SmartFit  anunciou a compra de 100% da Smartex Escola de Ginástica e Dança. “A empresa é responsável pela operação de 34 academias de ginástica Smart Fit espalhadas pelo território nacional”, destacou a rede de academias em comunicado ao mercado.

A quitação de passivos ambientais pela Petrobras é uma das alternativas avaliadas para o governo federal obter recursos que financiem o chamado vale-gás, programa que beneficiaria famílias carentes atingidas pela disparada do preço do produto, disseram duas fontes próximas nas negociações. Um fundo abastecido com pagamentos das multas ambientais da estatal bancaria o auxílio social que vem sendo anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro.

O Palácio do Planalto encomendou estudos para minimizar o custo do gás de cozinha, item básico da população, após o valor do produto da Petrobras às distribuidoras subir cerca de R$ 1 por quilo no acumulado do ano, para R$ 3,60 por quilo. Em 2021, o produto subiu 37,5% e 40% em praças como Paulínia (SP) e Duque de Caxias (RJ), segundo dados da Petrobras, que aprovou seis altas consecutivas neste ano, na esteira da recuperação dos preços do petróleo.

PUBLICIDADE

A Petrobras também informou nesta segunda-feira que contratou o JPMorgan  como assessor para vender sua participação na petroquímica Braskem (BRKM5). A empresa confirmou reportagem da Reuters, publicada na última quinta-feira, com base em três fontes a par do assunto.

“A Companhia confirma que contratou o JP Morgan para assessoramento financeiro da eventual e futura transação referente à sua participação na Braskem”, disse a Petrobras.

Na manhã de quinta-feira, executivos da Petrobras disseram em teleconferência com investidores que tinham contratado assessores para vender sua fatia na Braskem, sem dar mais detalhes. O conglomerado Novonor, antes conhecido como Odebrecht, retomou a venda do controle acionário da Braskem em abril, mas até agora não encontrou comprador.

A Eletrobras informou nesta sexta-feira que a usina hidrelétrica Curuá-Una, cuja concessão pertence à controlada Eletronorte, está incluída no escopo do processo de privatização da companhia e deverá ser objeto de uma nova outorga de geração de eletricidade.

Com isso, de acordo com comunicado publicado pela estatal, haverá inclusão, no cálculo do processo, do valor adicionado a ser pago pela Eletrobras pelas novas concessões. O ativo está localizado no Pará e possui 30,3 megawatts de capacidade instalada.

Carrefour Brasil (CRFB3)

O Carrefour Brasil informou na sexta-feira que seu conselho de administração elegeu Marco Aparecido de Oliveira como presidente da unidade Atacadão.

Oliveira já dividia a liderança da divisão nos últimos dois anos com Roberto Müssnich, que seguirá no grupo até o fim deste ano. Depois, apoiará o Carrefour Brasil em “reflexões estratégicas até junho de 2024”, afirmou a empresa, sem dar mais detalhes.

“Vemos a notícia como neutra, uma vez que ambos os executivos tem ampla experiência no setor e um ótimo histórico de entrega de resultados para a companhia”, destaca a XP.

Notre Dame Intermédica (GNDI3)

A Notre Dame Intermédica informou na sexta-feira que recebeu homologação para prestar serviços de assistência dental a servidores públicos de Belo Horizonte, valendo a partir de 1º de dezembro. Segundo a empresa, cerca de 20 mil servidores da capital mineira optaram por contratar plano de saúde através da modalidade de adesão.

A BRF anunciou nesta sexta-feira investimentos de R$ 171 milhões na operação do Rio Grande do Sul, enquanto os produtores integrados da empresa no Estado também devem alocar um total de R$ 181 milhões em suas estruturas para aumentar a capacidade de alojamento e modernizar as instalações.

Segundo comunicado, o aporte da BRF será direcionado para a modernização e ampliação das unidades produtivas em Marau, Serafina Corrêa e em Lajeado, além de uma nova fábrica de rações em Gaurama.

​​A Gerdau anunciou na sexta-feira que vai investir R$ 6 bilhões em Minas Gerais nos próximos cinco anos em aumento de capacidade produtiva de laminados e em outras iniciativas que incluem energia. Executivos da empresa já tinham informado na quarta-feira que a companhia vai instalar um novo laminador de bobinas a quente na usina de Ouro Branco, com capacidade para mil toneladas por ano, além de uma nova máquina de perfis estruturais com capacidade para 500 mil toneladas.

O Bradesco BBI comentou os dados da CCR, cujo portfólio de estradas de pedágio teve em julho desempenho estável em relação ao patamar do mesmo período de 2019, com alta de 2,9 pontos percentuais em relação à semana anterior. O tráfego em concessões urbanas caiu 41% em comparação com 2019 e 0,5 ponto percentual na comparação semanal, e o tráfego em concessões de aeroporto caiu 38% em relação a 2019 e 0,1 ponto percentual em relação à semana imediatamente anterior.

Rede D’Or (RDOR3)

O Itaú BBA iniciou a cobertura da Rede D’Or, com avaliação outperform e preço-alvo para 2022 de R$ 88. O banco diz que a empresa tem praticamente todos os fatores que importam para liderar a onda de consolidações no setor.

O Credit Suisse conversou com o CEO da Ambev, Jean Jereissati, e com o CFO Lucas Lira após a divulgação dos resultados do segundo trimestre. O banco afirma que o setor está produzindo 20% menos do que os níveis anteriores à pandemia. O banco avalia que a precificação continua favorável para que a gestão administre preços de matérias-primas. Houve alta de 12% na composição de preços no primeiro semestre, parcialmente explicada por alta nos preços do terceiro e do quarto trimestres de 2020 e menos descontos.

O banco diz esperar que os preços da Ambev continuem fortes no segundo semestre após a alta em junho e acredita que os próximos trimestres devam marcar uma recuperação de margens. O Credit mantém avaliação outperform (perspectiva de valorização acima da média do mercado) e preço-alvo de R$ 21,50.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Em curso gratuito de Opções, professor Su Chong Wei ensina método para ter ganhos recorrentes na bolsa. Inscreva-se grátis e participe.

Resultados de Tenda, Cia. Hering, Tupy, Ouro Fino, JHSF e mais; Petrobras avançando na venda da Braskem e mais destaques

SÃO PAULO – O noticiário corporativo desta sexta-feira (6) segue tendo como destaque a temporada de resultados, com atenção para os números de Tenda, BK Brasil, JHSF, ABC Brasil, Eneva, Cia. Hering, Tupy, entre outras companhias.

Fora da temporada, a Reuters informa, citando fontes, que a Petrobras contratou o JPMorgan como assessor para vender sua participação na petroquímica Braskem.

Fusões e aquisições também estão no radar. A Americanas e a Marisa publicaram um fato relevante comunicando que estão tendo conversas preliminares sobre uma possível combinação de negócios.

A Marcopolo comunicou que, em função da falta de determinados componentes eletrônicos associados ao seu processo produtivo, resolveu conceder férias coletivas em suas unidades industriais localizadas no Brasil a partir do dia 23 de agosto, com duração de 20 dias na planta San Marino e 30 dias nas plantas de Ana Rech e São Mateus.

Já a JBS firmou um acordo (escritura de implementação) com a Huon Aquaculture Group Limited, segunda maior empresa de aquicultura de salmão da Austrália, para adquirir todas as ações emitidas da Huon por 3,85 dólar australiano por ação, representando um valor de mercado de 425 milhões de dólares australianos, ou cerca de R$ 1,648 bilhão. Confira mais destaques:

O Tribunal de Contas da União (TCU) concluiu ver risco ao desenvolvimento e à reorganização do mercado de refino de petróleo no Brasil com os desinvestimentos da Petrobras, após uma auditoria para verificar como o governo federal tem atuado para reorganizar o mercado nacional de refino de petróleo, tendo em vista a venda de oito refinarias da estatal.

“O pleno abastecimento de todos os mercados regionais de combustíveis também corre riscos. Ambas as situações ocorrem tendo em vista os desinvestimentos em curso no âmbito da estatal Petrobras”, concluiu a auditoria que teve como relator o ministro Walton Alencar Rodrigues.

De acordo com o diretor Financeiro da Petrobras, Rodrigo Araújo, porém, a constatação do TCU não tem relação direta com o processo de desinvestimento da companhia, e sim com a reorganização do setor.

Na quinta, executivos da Petrobras disseram em teleconferência com investidores que tinham contratado assessores para vender sua fatia na Braskem (BRKM5), sem dar mais detalhes. Segundo informações obtidas pela agência internacional de notícias Reuters com três fontes a par do assunto, a estatal contratou o JPMorgan como assessor para vender sua participação na Braskem.

PUBLICIDADE

A empresa de incorporação, hotelaria e administração de shopping centers JHSF  registrou um lucro líquido de R$ 321,4 milhões no segundo trimestre de 2021, alta de 26,4% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo demonstração de resultados divulgada nesta quinta-feira (5).

Já o Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciações e Amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) Ajustado da companhia somou R$ 444,4 milhões, em uma expansão de 158,8% sobre o reportado no segundo trimestre do ano passado.

O Itaú BBA avaliou os resultados divulgados pela JHSF como positivos. O banco ressalta alta de vendas de 34,6% em maio e de 30,9% em junho em comparação com o mesmo período de 2019. O lucro líquido e a margem bruta acima do esperado foram parcialmente ofuscados por maiores gastos gerais, com vendas e administrativos (SG&A na sigla em inglês) e um gasto financeiro extraordinário, levando a uma receita líquida em linha com a expectativa. O banco aponta que a margem bruta na divisão residencial permaneceu em um nível saudável, de 78%, frente a 83% no primeiro trimestre de 2021.

O Itaú BBA avalia a empresa como outperform (perspectiva de valorização acima da média do mercado) para a JHSF, com preço-alvo para 2021 de R$ 10,1, frente à cotação de R$ 7,55 de quinta.

Cia. Hering (HGTX3)

A Cia. Hering apresentou lucro líquido de R$ 7,1 milhões no segundo trimestre de 2021. O número significa uma retração de 94,4% se comparado ao registrado no mesmo período de 2020. Segundo a companhia, a queda se relaciona aos créditos de PIS e Cofins reconhecidos no balanço de um ano atrás, que puxou os números daquele trimestre para cima.

O Ebitda, por sua vez, foi de R$ 21,8 milhões, queda de 70% em relação ao informado um ano antes.

“Excluindo os efeitos não recorrentes e participação nos lucros, o Ebitda corrente foi de R$ 35,5 milhões, crescimento de R$ 77 milhões versus o segundo trimestre de 2020. Comparado ao segundo trimestre de 2019, o Ebitda corrente retraiu 24,2% impactado principalmente pelo menor faturamento e pressão na margem bruta em função da maior inflação de insumos e custo de produtos”, explica a gestão da companhia

Ouro Fino (OFSA3)

A empresa de saúde animal Ouro Fino teve lucro líquido de R$ 29,1 milhões no segundo trimestre de 2021, 91,5% acima na comparação com o mesmo período de 2020, de R$ 15,2 milhões. A receita líquida totalizou R$ 231 milhões, alta de 33,9% na base anual.

PUBLICIDADE

A companhia de geração de energia elétrica Engie registrou um lucro líquido de R$ 319 milhões no segundo trimestre de 2021, queda de 58,4% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo demonstração de resultados divulgada nesta quinta-feira (5).

Já o Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciações e Amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) Ajustado da companhia somou R$ 1,532 bilhão, em uma expansão de 19,7% sobre o reportado no segundo trimestre do ano passado.

O Itaú BBA avaliou os resultados apresentados pela Engie Brasil, relativos ao segundo trimestre, como neutros. O banco diz que o Ebitda ajustado ficou levemente abaixo de sua estimativa por conta de custos de energia maiores por conta de custos maiores de compra por conta de piora do risco hidrológico, medido pelo “general scaling factor” (GSF, fator que calcula a diferença entre a energia gerada pelas hidrelétricas e sua garantia física). O banco também ressalta que a Engie aprovou a distribuição de R$ 790 milhões em dividendos. O banco mantém avaliação outperform e preço-alvo para 2021 em R$ 49, frente à cotação de R$ 37,1 de quinta.

BK Brasil (BKBR3)

O Burger King Brasil  voltou a registrar prejuízo líquido no segundo trimestre de 2021, no valor de R$ 97,1 milhões, 48% menor na comparação com o mesmo intervalo de 2020, quando perdeu R$ 186,8 milhões. Apesar dos impactos ainda sentidos pela pandemia entre abril e junho, o grupo comemora “progresso expressivo” não só em relação ao mesmo período do ano anterior, mas na melhora operacional significativa do primeiro para o segundo trimestre de 2021.

O Ebitda foi de R$ 3,1 milhões de abril a junho, desempenho que ajudou a reverter o indicador negativo do mesmo período do ano passado, de R$ 96,3 milhões.

A rede de fast-food também apresentou aumento de 94% na receita operacional líquida no último trimestre, somando R$ 567,9 milhões frente aos R$ 292,7 milhões no encerramento do segundo trimestre de 2020. Quando comparada ao desempenho de janeiro a março deste ano, a receita operacional líquida subiu 1%.

O Itaú BBA avaliou os resultados divulgados pelo Burger King Brasil como positivos e acima do esperado. As vendas totais subiram 94% na comparação com o segundo trimestre de 2020, mas caíram 16% em comparação com o mesmo período de 2019, antes dos efeitos da pandemia. O banco diz que as margens brutas representaram uma surpresa positiva por conta de mais promoções e gestão de receitas. Além disso, a empresa publicou um Ebitda positivo, frente à expectativa de prejuízo feita pelo Itaú. O banco mantém recomendação market perform (perspectiva de valorização dentro da média do mercado) e preço-alvo para 2021 de R$ 13.

O Bradesco BBI avalia os resultados do Burger King para o segundo trimestre de 2021 como positivos, em linha com as expectativas. A receita ficou em linha com a expectativa do Bradesco, com a alta exposição do Burger King a shoppings como um fator que pesou contra a empresa. A margem Ebitda, de -4.8%, ficou 2 pontos percentuais acima da expectativa do Bradesco, mas ainda assim abaixo do nível normalizado por conta de fechamento de lojas. O prejuízo líquido ajustado, de -R$ 97 milhões ficou acima da expectativa do banco, de -R$ 68 milhões. O banco mantém recomendação neutra (perspectiva de valorização dentro da média do mercado) e preço-alvo de R$ 13.

PUBLICIDADE

O Morgan Stanley diz que o Burger King Brasil é sua “top pick” (escolha preferida) no momento no setor. O banco diz que, após o segundo trimestre de 2021, os principais impactos materiais da pandemia ficaram para trás. No segundo semestre, o banco diz esperar que as vendas fechem perto dos níveis anteriores à pandemia, e que a estratégia de abertura de lojas seja retomada, levando a atenção dos investidores para o potencial de crescimento da empresa. O Morgan mantém recomendação overweight (perspectiva de valorização acima da média do mercado) para o Burger King Brasil, e preço-alvo de R$ 12.

A empresa de geração de energia Eneva registrou um lucro líquido de R$ 118,1 milhões no segundo trimestre de 2021, em crescimento de 37,7% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo demonstração de resultados divulgada nesta quinta-feira (5).

O Ebitda excluindo poços secos da companhia somou R$ 377,5 milhões, em um avanço de 35% sobre o reportado no segundo trimestre do ano passado. O Ebitda contábil foi de R$ 368,6 milhões, o que corresponde a uma alta de 31,4%.

A receita líquida, por sua vez, totalizou R$ 962,5 milhões, o que representa um incremento de 85,6% na comparação anual.

ABC Brasil (ABCB4)

O banco ABC Brasil registrou lucro líquido de R$ 136,3 milhões no segundo trimestre de 2021, crescimento de 11,4% em relação ao trimestre anterior e de 121,3% em relação ao mesmo período de 2020. No semestre, houve crescimento de 81,4% em relação ao mesmo período de 2020..

O Retorno Anualizado sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) foi de 12,3% no trimestre, um aumento de aproximadamente 100 pontos base em relação ao trimestre anterior, e de 630 pontos base em relação ao mesmo período do ano passado.

A Tenda registrou uma queda de lucro líquido de 16,1% no segundo trimestre de 2021 na comparação anual, a R$ 34 milhões. Frente os três primeiros meses, a queda é de 8%.

Já a receita líquida totalizou R$ 699 milhões nesse trimestre, alta de 33% frente o mesmo período de 2020 e alta de 16% na comparação com janeiro a março de 2021.

O Bradesco BBI avalia os resultados divulgados pela Tenda como negativos, com pressão significativa sobre as margens, mas forte receita líquida. Com uma queda de 30% até o momento em 2021, o banco diz que vê potencial de valorização da Tenda. Mas diz que a surpresa negativa para as margens no segundo trimestre de 2021 devem levar a um resultado abaixo do esperado para as estimativas de rendimentos para o ano fiscal de 2021 feitas pelo banco, de R$ 198 milhões, e aquelas do consenso do mercado, de R$ 225 milhões. Isso deve prejudicar ainda mais o desempenho dos papéis. O banco diz acreditar que a elevação de preços é uma decisão tática que parece necessária, e sugere uma mudança na abordagem da Tenda do mercado.

O banco vê que os preços mais altos vêm sendo aceitos, o que sugerem que a concorrência pode estar se enfraquecendo, em especial entre empresas menores. No entanto, os preços mais altos ainda devem levar ao menos três ou quatro trimestres para se evidenciarem nas margens da Tenda. Por isso, o Bradesco mantém preferência para a Direcional, que espera que tenha um desempenho significativamente superior ao da concorrência. O Bradesco mantém avaliação outperform também para a Tenda, e preço-alvo de R$ 36.

O Credit Suisse avaliou os resultados da Tenda como fracos, e manteve recomendação neutra para a empresa. O banco diz que mantém cautela frente aos resultados futuros, por conta de aceleração de lançamentos das empresas no segundo trimestre e ausência de sinais de desaceleração da cadeia de suprimentos da construção civil. O banco mantém preço-alvo de R$ 35, frente à cotação de R$ 21,05 de quinta.

A Tupy teve lucro de R$ 31,5 milhões no segundo trimestre, ante perda de R$ 82,8 milhões registrada no mesmo período do ano passado. A receita cresceu 155,1%, para R$ 1,64 bilhão.

O BBA apontou que os números da Tupy referentes ao segundo trimestre deste ano mostraram uma receita robusta, mas que foi ofuscada por margens menores na comparação com o trimestre anterior.

“Vale explicar que comparar os resultados da multinacional brasileira de metalurgia com os números do segundo trimestre do ano passado não é o mais adequado, dado o forte impacto da pandemia do Covid-19 no período. Olhando para um futuro em que a cadeia de suprimentos automotivos se normalize, a demanda continue aquecida e que a Tupy consiga continuar repassando os custos para seus clientes, vemos a companhia voltando a mostrar margens mais robustas”, apontam os analistas.

Americanas (AMER3), Lojas Americanas (LAME4) e Marisa (AMAR3)

A Americanas e as Lojas Americanas divulgaram fato relevante na noite de quinta informando que foi identificado um “vazamento de informação” sobre uma possível operação com a Marisa.

No documento, a Americanas afirma que manteve contato preliminar com a Marisa, mas que não há “qualquer tipo de formalização de interesse por parte da Americanas”.

“A Americanas sempre monitora, no curso normal de seus negócios, inclusive por meio de seus assessores financeiros, potenciais oportunidades no mercado”, escreve a companhia.

Também houve posicionamento por parte da Marisa, que informou, em fato relevante, que contratou a assessoria da Lazard para avaliar alternativas de otimização de sua estrutura de capital (incluindo sua unidade de negócios Mbank).

“A companhia informa que, não obstante rumores de mercado que chegaram a seu conhecimento, não possui neste momento qualquer acordo concreto para a realização de uma operação, seja com as Americanas S.A., seja com outro participante de mercado”.

Segundo matéria publicada nesta manhã pelo Valor, que citou duas fontes, a Americanas e a Lojas Marisa abriram conversas sobre uma potencial fusão de aquisição, em que a Americanas compraria a rede de vestuário da família Goldfarb por troca de ações e uma parte relevante em caixa, no esboço inicial.

Na avaliação da XP, caso a operação ocorra, há alguns aspectos positivos com uma possível combinação de negócios.

Seriam quatro os benefícios principais: (i) adição da categoria de moda ao ecossistema da Americanas através de uma marca reconhecida; (ii) ampla capilaridade nacional, com 355 lojas em todos estados brasileiros (53% no Sudeste); (iii) potencial de sinergias entre Ame (braço financeiro da Americanas) e o MBank (banco digital da Marisa) ao reforçar a atração da classe C para o segmento financeiro da AMER; e (iv) sinergia entre base de clientes das duas companhias, dado que a Marisa atende principalmente as classes B e C.

“No entanto, teríamos que entender qual o valor da transação para estimar se há uma potencial criação de valor, dado que a Marisa tem passado por uma forte reestruturação recentemente e tem enfrentado desafios para melhorar seus resultados”, avaliam os analistas.

A XP mantém recomendação de compra para AMER3 e LAME4, com preço alvo de R$ 82 e R$ 12, respectivamente.

Marcopolo (POMO4)

A Marcopolo comunicou que, em função da falta de determinados componentes eletrônicos associados ao seu processo produtivo, resolveu conceder férias coletivas em suas unidades industriais localizadas no Brasil a partir do dia 23 de agosto, com duração de 20 dias na planta San Marino e 30 dias nas plantas de Ana Rech e São Mateus.

A Azul informou ao mercado que o tráfego total de passageiros, medido pelo RPK, teve alta de 253% frente julho de 2020. O tráfego doméstico teve salto de 268,6% em julho, enquanto o tráfego internacional subiu 110,8%.

A JBS firmou um acordo (escritura de implementação) com a Huon Aquaculture Group Limited, segunda maior empresa de aquicultura de salmão da Austrália, para adquirir todas as ações emitidas da Huon por 3,85 dólar australiano por ação, representando um valor de mercado de 425 milhões de dólares australianos, ou cerca de R$ 1,648 bilhão. O valor da empresa (enterprise value) é de 546 milhões de dólares australianos (que inclui sua dívida líquida de 121 milhões de dólares australianos), totalizando cerca de R$ 2,117 bilhões.

O Conselho de Administração da Huon, incluindo os principais acionistas, Peter e Frances Bender (que controlam conjuntamente 53% das ações emitidas da Huon), recomendaram por unanimidade que todos os demais acionistas votassem a favor do acordo na ausência de uma proposta superior e com a confirmação de um parecer independente de que a transação atende aos melhores interesses dos acionistas da Huon. Cada Diretor da Huon também anunciou sua intenção de votar, ou obter o voto de todas as ações da Huon detidas por ele em favor do acordo.

“Trata-se de uma aquisição estratégica, que marca a entrada da JBS no negócio de aquicultura. Vamos repetir o que fizemos anteriormente com frango, suínos e produtos de valor agregado – para deixar nosso portfólio ainda mais abrangente”, afirma Gilberto Tomazoni, CEO Global da JBS. Ele comenta ainda que a Huon possui 33 anos de experiência com uma “produção sustentável, de alta tecnologia, produtos de qualidade superior amplamente reconhecidos pelo consumidor australiano, num setor com ótimas perspectivas de crescimento no mundo todo. A aquicultura será uma nova plataforma de crescimento dos nossos negócios”, pontuou.

A Huon é a segunda maior empresa de aquicultura de salmão da Austrália com operações verticalmente integradas, situadas na Tasmânia, abrangendo incubatórios, aquicultura marinha, colheita, processamento, marketing, vendas e distribuição. A Huon investiu mais de 350 milhões de dólares australianos nos últimos cinco anos em infraestrutura operacional de ponta e práticas sustentáveis no ciclo de produção de salmão. Os produtos primários incluem filés de salmão frescos, produtos porcionados embalados a vácuo e outros produtos de valor agregado para o mercado interno de atacado, varejo e canais de exportação.

A JBS ressalta que a transação está sujeita às condições usuais, incluindo, entre outras coisas, o recebimento das aprovações regulatórias, judiciais e dos acionistas da Huon. A transação está atualmente prevista para ser concluída no final de 2021.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Em curso gratuito de Opções, professor Su Chong Wei ensina método para ter ganhos recorrentes na bolsa. Inscreva-se grátis e participe.