Arquivar 2021

Dólar abre perto da estabilidade em dia de divulgação de PIB

1 de 1
Cédulas de dólar — Foto: Gary Cameron/Reuters

Cédulas de dólar — Foto: Gary Cameron/Reuters

O dólar abriu perto da estabilidade nesta quinta-feira (2), de olho na votação da PEC dos Precatórios no Senado e nos números oficiais do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil no 3º trimestre, que apontaram que o país entrou em recessão técnica.

Às 9h06, a moeda norte-americana subia 0,02%, cotada a R$ 5,6717. Veja mais cotações.

Na quarta-feira, o dólar fechou em alta de 0,59%, a R$ 5,6703. Com o resultado, passou a acumular avanço de 9,31% no ano.

PEC dos Precatórios passa por votação no Senado nesta quinta-feira (2)

PEC dos Precatórios passa por votação no Senado nesta quinta-feira (2)

No exterior, os investidores monitoravam a ameaça representada pela variante Ômicron do coronavírus e a velocidade com que o Federal Reserve reduzirá os estímulos nos Estados Unidos.

Na cena local, o mercado segue de olho na tramitação da PEC dos Precatórios, que teve a votação no plenário do Senado adiada para esta quinta-feira. Os mercados também avaliam os dados do PIB do terceiro trimestre, que registrou queda de 0,1%. Os dados do segundo trimestre também foram revisados para baixo, mostrando uma queda de 0,4%.

Considerada prioritária pelo governo do presidente Jair Bolsonaro, a proposta altera o prazo de correção do teto de gastos pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o que abriria espaço fiscal para o pagamento de auxílio de R$ 400 por família em 2022, mas é amplamente vista como prejudicial à credibilidade fiscal do país, já que modificaria a principal âncora para os gastos do governo.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne nos próximos dias 7 e 8 de dezembro para deliberar sobre a taxa básica de juros. A expectativa é de novo acréscimo de 1,50 ponto percentual (que levaria a taxa para 9,25% ao ano), mas no mercado há quem espere elevação de até 2 pontos percentuais.

Por que o dólar sobe? Assista no vídeo abaixo:

Entenda a alta do dólar

Entenda a alta do dólar

Desemprego na zona do euro recua para 7,3% em outubro

A taxa de desemprego da zona do euro voltou a cair em outubro, para 7,3%, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (2) pela Eurostat, a agência oficial de estatísticas do bloco. Em setembro, havia ficado em 7,4%.

A agência estima que 12 milhões de pessoas estejam desempregadas no bloco. Considerando toda a União Europeia, a estimativa é de 14,3 milhões.

1 de 1
Taxa de desemprego na zona do euro — Foto: Economia g1

Taxa de desemprego na zona do euro — Foto: Economia g1

Preços ao produtor

Os preços ao produtor na zona do euro saltaram mais do que o esperado em outubro, mostraram dados nesta quinta-feira, devido principalmente ao aumento nos preços de energia, enquanto o desemprego diminuiu conforme a economia continua a se recuperar da pandemia.

A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, informou que os preços nos portões das fábricas dos 19 países que usam o euro subiram 5,4% em outubro sobre o mês anterior e 21,9% em relação ao mesmo mês de 2020.

Economistas consultados pela Reuters esperavam alta mensal de 3,5% e anual de 19,0%. Os preços de energia exerceram o maior peso, saltando 16,8% na base mensal e 62,5% na comparação anual.

Os preços ao produtor se traduzem em preços mais altos para os consumidores. Em novembro, a inflação ao consumidor atingiu 4,9%, maior nível em 25 anos desde que os dados começaram a ser compilados.

INSS: veja calendário de pagamento de benefícios em 2022

Os segurados que recebem aposentadoria, pensão ou auxílio-doença podem conferir as datas de pagamento dos benefícios em 2022. O calendário, divulgado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), deve ser seguido de acordo com o número do benefício do segurado.

Os pagamento seguirão a mesma sequência de anos anteriores.

Para aqueles que recebem um salário mínimo, os depósitos referentes a janeiro serão feitos entre os dias 25 de janeiro e 7 de fevereiro. Segurados com renda mensal acima do piso nacional terão seus pagamentos creditados a partir de 1 de fevereiro. Veja abaixo o calendário:

1 de 1
calendário de pagamento de benefícios em 2022 — Foto: Divulgação

calendário de pagamento de benefícios em 2022 — Foto: Divulgação

Atualmente, são mais de 36 milhões de pessoas com direitos a benefícios do INSS no país.

“A data de depósito dos proventos depende do número final do cartão de benefício, sem considerar o último dígito verificador, que aparece depois do traço, para aqueles que foram concedidos recentemente. Para aqueles que possuem seu benefício há algum tempo, vale a data que já habitualmente recebiam”, orienta o INSS.