Arquivar outubro 2020

Com novo lockdown, governo francês piora projeção para as contas públicas

O déficit público da França chegará a 11,3% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020, arrastado, assim como a dívida pública, pelo novo confinamento, que se estenderá ao longo do mês de novembro, anunciou o ministro das Contas Públicas, Olivier Dussopt.

O déficit, que mede a diferença entre os gastos e as receitas do Estado, aumentará “a 248 bilhões de euros em 2020 (290 bilhões de dólares), 11,3 % do PIB”, anunciou Dussopt no jornal Journal du Dimanche.

Esta estimativa revisa para cima outra anterior, que previa déficit de 10,2% do PIB.

Na sexta, o ministro da Economia, Bruno Le Maire, anunciou que a dívida pública alcançaria 119,8% do PIB este ano, frente a 117,5% anterior, um recorde.

Média de casos e internações por Covid na Europa é a maior desde março

Média de casos e internações por Covid na Europa é a maior desde março

O segundo confinamento, que entrou em vigor na sexta-feira para fazer frente ao recrudescimento da pandemia do novo coronavírus, explica a nova deterioração das contas públicas.

Assim como no primeiro confinamento, durante a primavera no hemisfério norte, o governo adotou medidas custosas para apoiar a economia.

No total, desbloqueará 20 bilhões de euros a mais para enfrentar a crise ao longo de oito semanas, que se somam aos cerca de 470 bilhões de euros (549 bilhões de dólares), previstos desde março.

“Aceitamos deteriorar maciçamente nossas finanças públicas, mas vigiando que seja de forma temporária: as medidas de urgência e de reativação não serão perenes”, assegura Dussopt, lembrando que as exceções são o plano de reativação do sistema sanitário e a redução de alguns impostos para as empresas.

Vídeos: Veja as últimas notícias de economia

20 vídeos

Semana termina com perdas na maioria dos mercados financeiros

Desemprego bate recorde no trimestre encerrado em agostoBolsa de Valores de São Paulo tem a pior semana desde março

Maurício de Sousa lançará livro da Turma da Mônica sobre educação financeira

A Maurício de Sousa Produções lançará uma obra infantil sobre educação financeira, chamada “Como Cuidar do Seu Dinheiro”. O objetivo é iniciar os leitores das histórias em quadrinho de Turma da Mônica no mundo das finanças de maneira lúdica e simplificada. “É de fato um livro para crianças, feito para o público infantil mesmo”, diz Thiago Nigro, 30, parceiro do famoso cartunista na empreitada.

O influenciador é conhecido pela popularidade de seu canal do YouTube, “O Primo Rico”, que conta com cerca de quatro milhões de seguidores. Nigro também é autor de livros e palestrante, além de participar de um podcast e websérie sobre educação financeira.

“É muito delicado falar sobre dinheiro para criança. É um processo muito legal, já que eles têm muita expertise em trabalhar assim. É um projeto longo”, ressaltou.

Na história, escrita e desenhada por Mauricio de Sousa, 85, Nigro volta a ser criança e tem a missão de ensinar Mônica, Cebolinha, Magali, Cascão e toda a turma a usar o dinheiro com sabedoria e planejamento.

“Que todos os pais tenham esses livros para ajudar na educação, já que eu não tive educação financeira, meus pais não tiveram, meus avós. Ninguém tem! Então, quero que a gente comece a mudar isto na base”, explicou o consultor.

O livro será lançado oficialmente em 16 de novembro, mas a pré-venda já foi iniciada.