TikTok e WeChat conseguem evitar proibição nos EUA

TikTok (Chesnot/Getty Images)

A proibição dos aplicativos chineses TikTok e WeChat em lojas de aplicativos nos Estados Unidos, prevista para o domingo, 20, foi suspensa. No caso do TikTok, o banimento foi evitado após Donald Trump acenar para um acordo entre o app de vídeos e a gigante de softwares Oracle, enquanto o WeChat foi favorecido por uma decisão de uma juíza americana.

Com o acordo com a Oracle, a ByteDance, dona do TikTok, pretende ganhar permissão para manter suas operações nos Estados Unidos. O governo americano alega que o aplicativo de vídeos é uma ameaça à segurança nacional.

“Eu dei minha bênção ao negócio”, disse Trump a jornalistas no sábado. Depois da declaração de Trump, o secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, disse que a proibição do TikTok será adiada em uma semana, até 27 de setembro, tendo em vista os “avanços positivos recentes”.

PUBLICIDADE

O negócio, porém, ainda depende da aprovação formal do Comitê de Investimento Estrangeiro dos Estados Unidos. A nova empresa fruto do acordo se chamará TikTok Global, disse Trump. Segundo os termos do acordo, a ByteDance manterá a maioria dos ativos do TikTok, enquanto a americana Oracle seria a “parceira tecnológica” do aplicativo nos Estados Unidos, responsável por hospedar todos os dados de usuários dos Estados Unidos.

De acordo com o TikTok, a Oracle e também o Walmart participarão de uma rodada de financiamento pré-abertura de capital da TikTok Global, na qual podem assumir uma participação cumulativa de até 20% na empresa. A TikTok Global contratará “pelo menos” 25 mil pessoas, disse Trump.

Quanto ao WeChat, a juíza Laurel Beeler, de São Francisco, atendeu a um pedido feito por usuários e suspendeu a decisão do governo Trump de proibir downloads do APP. (Com agências internacionais)

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:

Lance da Oracle por TikTok espera sinal verde de Trump

Imagem de tela de celular com os ícones de TikTok e Instagram lado a lado (Shutterstock)

(Bloomberg) — A oferta da Oracle pelas operações do TikTok nos Estados Unidos não terão de passar apenas por uma revisão de segurança nacional, mas também receber a bênção do presidente Donald Trump.

O governo dos EUA realizará uma análise de segurança nacional da proposta da Oracle pelo TikTok nesta semana, disse o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, em entrevista à CNBC na segunda-feira.

O acordo, se finalizado, criaria o que Mnuchin chamou de “TikTok Global”. Ele acrescentou que a unidade teria sede nos Estados Unidos e criaria 20 mil empregos – potencialmente uma medida para facilitar o acordo, já que Trump enfrenta o que promete ser uma eleição presidencial muito disputada em novembro.

PUBLICIDADE

Trump também insistiu que qualquer venda do aplicativo de vídeo TikTok incluiria uma porcentagem para o governo federal, mas essa demanda – que se assemelha mais a um negócio imobiliário de alto risco do que a uma alienação ordenada pelo governo – confundiu especialistas e advogados, segundo os quais tal pagamento aumentaria sua autoridade sob a legislação americana.

Uma porta-voz do Tesouro não quis comentar se um acordo com a Oracle incluirá a comissão mencionada por Trump.

A Oracle confirmou em comunicado na segunda-feira que faz parte da proposta apresentada pela ByteDance ao Departamento do Tesouro no fim de semana, na qual atuará como “provedora de tecnologia confiável”.

A Oracle venceu a disputa com a Microsoft nas negociações pelas operações americanas do TikTok no fim de semana, disseram pessoas a par das negociações. O aplicativo de vídeos de propriedade chinesa tenta evitar ser vetado em um confronto entre as duas superpotências mundiais.

A Oracle cultiva relações com Trump desde antes do início de seu governo. O cofundador e presidente do conselho da Oracle, Larry Ellison, é um dos poucos magnatas do Vale do Silício a apoiar abertamente Trump, que o chamou de “grande cara” e expressou seu apoio à oferta da Oracle pelo TikTok. Ellison deixou Trump usar uma de suas propriedades na Califórnia para realizar uma campanha de arrecadação de fundos em fevereiro.

O Comitê de Investimentos Estrangeiros nos EUA, ou Cfius, se reunirá nesta semana antes de apresentar sua recomendação a Trump, que tomará a decisão final. Mnuchin disse que o prazo para um acordo, segundo a ordem executiva de Trump, é 20 de setembro.

PUBLICIDADE

“Teremos discussões com a Oracle e nossa equipe técnica nos próximos dias”, disse Mnuchin, enquanto os dois lados lidam com questões de segurança nacional do governo dos EUA sobre a propriedade do TikTok por uma empresa chinesa.

Um acordo entre a ByteDance, controladora do TikTok, e a Oracle será mais parecido a uma reestruturação corporativa do que a uma venda direta proposta pela Microsoft, embora seja provável que inclua uma participação em uma empresa americana recém-formada, segundo reportagem da Bloomberg News.

Os termos em discussão com a Oracle ainda estão em andamento, disse uma das pessoas. Uma das opções seria a Oracle ficar com uma participação em uma empresa recém-formada nos Estados Unidos enquanto serviria como parceira de tecnologia do TikTok no país, armazenando dados do aplicativo de vídeo nos servidores em nuvem da Oracle.

©2020 Bloomberg L.P.

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email: